Dicionário Aegis de Design

(Resultado para atuação Ilustrador(a))

  • Aubrey Beardsley

    Ilustrador(a)Acessar
  • Walter Crane

    Ilustrador(a)Acessar
  • Fidus

    Ilustrador(a)Acessar
  • Georges Ferdinand Bigot

    Ilustrador(a)Acessar
  • Jessie Marion King

    Ilustrador(a)Acessar
  • Adolf Hohenstein

    Ilustrador(a)Acessar
  • Henri de Toulouse-Lautrec

    Ilustrador(a)Acessar
  • Adolfo de Carolis

    Ilustrador(a)Acessar
  • Katsushika Hokusai

    Ilustrador(a)Acessar
  • Dante Gabriel Rossetti

    Ilustrador(a)Acessar
  • Frances MacDonald

    Ilustrador(a)Acessar
  • Harry Clarke

    Ilustrador(a)Acessar
  • Julius Klinger

    Ilustrador(a)Acessar
  • Kitagawa Utamaro

    Ilustrador(a)Acessar
  • Bertha Lum

    Ilustrador(a)Acessar
  • James Herbert Mcnair

    Ilustrador(a)Acessar
  • Alexandre de Riquer i Ynglada

    Ilustrador(a)Acessar
  • Walter Dorwin Teague

    Ilustrador(a)Acessar

BEARDSLEY, Aubrey
(Aubrey Beardsley)

ATUAÇÃO: Ilustrador(a)
 Parece existir em sua obra um espírito curioso, bizarro, que evoca o Japão, algo de sortilégio e de grotesco, tal como o sonho provocado pelo ópio."
CRANE, Walter. Apud DEMPSEY, Amy. [2003]
Estilos, escolas e movimentos.
São Paulo, Cosac Naify.
 CRONOLOGIA: 
  • 1872 - Nasce em Brighton, na Inglaterra.

  • 1883 - Ganha reconhecimento muito cedo ao participar de concertos de piano com a irmã Mabel, tendo apenas 11 anos de idade.

  • 1885 - Começa a esboçar seus primeiros desenhos e caricaturas que são divulgados pelo jornal de sua escola, o Bristol Grammar School Past and Present.

  • 1885 - Descobre o amor pelo teatro. Escreve sua primeira peça na qual contracena com seus colegas de escola.

  • 1888 - Vai trabalhar em um escritório de arquitetura e, depois, na firma de seguros Guardian Life and Fire Insurance Company.

  • 1891 - Aconselhado por Sir Edward Burne-Jones e por Pierre Puvis de Chavannes, começa a encarar a arte como profissão.

  • 1892 - Inscreve-se nos cursos da Westminster School of Art. Começa a criar as ilustrações para Le Morte d'Arthur, de Sir Thomas Malory.

  • 1893 - Faz a primeira apresentação de suas ilustrações no The Journal.

  • 1894 - Ilustra o livro Salomé, de Oscar Wilde, seu amigo íntimo.

  • 1894 - Ajuda a fundar a revista The Yellow Book, onde começa a trabalhar como Editor de Arte.

  • 1895 - É afastado injustamente do cargo de editor do The Yellow Book. Trabalha, sucessivamente, para as revistas The Savoy e The Studio.

  • 1896 - Faz ilustrações satíricas para uma publicação do livro Les Liaisons Dangereuses, de Chordelos de Laclos.

  • 1896 - Ganha notoriedade com a publicação de The Rape of the Lock. Divulga sua polêmica ilustração de Lysistrata, de Aristófanes.

  • 1897 - Com o agravamento de seu estado de saúde – e com medo da morte -, converte-se ao Catolicismo e ordena a seu Editor que queime todos os seus trabalhos profanos, (no que é desobedecido).

  • 1898 - Morre precocemente aos 25 anos, vítima de tuberculose, em Menton, França.

CRANE, Walter
(Walter Crane)

 Todos enfatizavam a dignidade do trabalho e havia também aqueles que, como Crane e Ashbee, invocavam o socialismo para elevar o trabalho à categoria de um predicado sobre o qual não apenas uma arte sadia e bela estava baseada mas também na qual se assentava uma sociedade mais saudável e plena”.

ADAMS, Steven.[1987]
The Arts & Crafts Movement.
London, Grange Books.
 CRONOLOGIA: 
  • 1845 - Nasce em Liverpool, Inglaterra.

  • 1859 - Torna-se aprendiz do entalhador William James Linton, por meio de quem travou contato direto com trabalhos de Pré-Rafaelitas como Rossetti, Millais e outros.

  • 1864 - Começa a ilustrar para o também entalhador e artista gráfico Edmund Evans. Trabalha inicialmente em um livro de cantigas de roda e de embalar (nursery rhymes).

  • 1874 - Em uma série de ilustrações - que começa com The Frog Prince - passa a exibir uma clara influencia da Arte Japonesa.

  • 1877 - Planeja, com Edmund Evans, a execução do livro de canções de ninar: The Baby’s Opera.

  • 1882 - Elabora The Goose Girl, ilustração do livro Household Stories from Grimm, que, mais tarde, foi reproduzida em tapeçaria por Morris.

  • 1882 - É eleito membro do Institute of Painters in Water Colours.

  • 1888 - Funda a Arts And Crafts Exhibition Society.

  • 1890 - Torna-se Vice Presidente da Healthy and Artistic Dress Union que promovia roupas largas, ao invés de rígidas, apertadas e pesadas.

  • 1893 - Exibe Neptune’s Horses - obra prima da ilustração -, na New Gallery.

  • 1894 - Colabora com Morris na decoração das páginas de The Story of the Glittering Plain.

  • 1894 - Torna-se Diretor de Design na Manchester Municipal School.

  • 1895 - Mostra seus trabalhos mais recentes em exposição na galeria/loja L’Art Nouveau, de Siegfried Bing, em Paris.

  • 1898 - Publica suas aulas de Manchester no livro The Bases of Design.

  • 1915 - Morre aos 69 anos, em Sussex, Inglaterra

HÖPPENER, Hugo
(Fidus)

ATUAÇÕES: Ilustrador(a), Pintor(a)
 
 CRONOLOGIA: 
  • 1868 - Nasce em Lübeck, na Alemanha.

  • 1886 - Conhece o artista Karl Wilhelm Diefenbach, também conhecido como o "apostolo da natureza", e se junta à sua comuna próxima a Munique. Por sua devoção a Diefenbach e seu estilo de vida vegetariano, nudista e lúdico, recebe o apelido Fidus (fiel).

  • 1892 - Se muda para Berlim, onde cria uma nova comuna e trabalha como ilustrador para a revista Sphinx. Seus trabalhos contém uma aura mística e psicodélica de sonhos, e aparecem constantemente na revista Jugend e outras publicações ilustradas.

  • 1900 - Fidus torna-se um dos mais conhecidos pintores da Alemanha, influenciado por escritores como Arthur Moeller van der Bruck, Heinrich e Julius Hart e pelos movimentos anti-materialista e Wandervogel.

  • 1912 - Desenha um famoso poster para um congresso sobre "higienização biológica" em Hamburgo.

  • 1918 - O interesse por seus trabalhos de ilustração começa a diminuir.

  • 1932 - Torna-se membro do partido nazista, porém, apesar de seu entusiasmo pela ideologia, Fidus não recebe apoio do regime.

  • 1937 - Seu trabalho é apreendido pelos nazistas e a venda de suas imagens é proibida.

  • 1948 - Morre aos 79 anos em Woltersdorf, na Alemanha.

BIGOT, Georges Ferdinand
(Georges Ferdinand Bigot)

ATUAÇÕES: Ilustrador(a), Pintor(a)
 
 CRONOLOGIA: 
  • 1860 - Nasce em Paris, França.

  • 1872 - Entra para a Escola de Belas Artes em Paris, aonde teve artistas como Jean-Léon Gérôme e Carolus-Duran como professores. Durante seu tempo na escola, Bigot conhece o Japonismo e se torna amigo de inúmeros colecionadores de arte japonesa.

  • 1878 - Frequenta a Exposição Universal aonde se vê particularmente encantado com o pavilhão de arte japonesa, o que fomenta sua vontade de se mudar para o Japão.

  • 1880 - Trabalha para os jornais “La Vie Moderne” e “The World Parisien” como ilustrador, para juntar o dinheiro da viagem.

  • 1882 - Muda-se para Yokohana, no Japão, aonde prontamente inicia seu aprendizado da lingua e pintura tradicional locais, enquanto ensina aquarela na Academia Imperial do Exército Japonês.

  • 1887 - Publica um jornal satírico, chamado “Tôbaé”, aonde ilustra cenas do cotidiano japonês, ridiculariza políticos e critica o que chama de ‘excessos da “ocidentalização do Japão”’. Por medo da censura, publica somente em Yokohana. Torna-se o pioneiro dos cartuns de cunho político e social no Japão.

  • 1891 - Lança o livro ilustrado O Diário de Uma Gueixa em Tóquio.

  • 1894 - É enviado para a Coréia durante a Primeira Guerra Sino-Japonesa em um trabalho especial para a revista inglesa “London Graphic”.

  • 1897 - Lança o livro ilustrado As Aventuras do Capitão Goudzougoudzou.

  • 1899 - Com a revisão dos Tratados Desiguais entre a China e o Japão e o fim da extraterritorialidade, decide voltar para a França, divorciando-se de sua esposa e levando seu filho consigo. Ao retornar para a Europa, passa a trabalhar para várias revistas e jornais franceses.

  • 1904 - Ilustrou a narrativa da guerra Russo-Japonesa para o jornal semanal “L’Illustration”.

  • 1906 - Se muda para Bièvres, aonde começa a colaborar com a gráfica e editora Pellerin. Publica inúmeras histórias ilustradas sobre o folclore asiático.

  • 1911 - Publica o quadrinho “A Vida de um Jogador ou Os Apaches do Grande Mundo”.

  • 1927 - Morre aos 67 anos em Bièvres, França.

KING, Jessie M.
(Jessie Marion King)

 
 CRONOLOGIA: 
  • 1875 - Nasce em Bearsden, na Escócia.

  • 1891 - Após uma infância conturbada e pais rigorosos que desencorajaram seu interesse artístico, Jessie começa seu treinamento como professora de Arte na Universidade Queen Margaret, em Glasgow.

  • 1892 - Entra para a Escola de Arte, em Glasgow, onde recebe inúmeros prêmios enquanto aluna.

  • 1898 - Conquista uma medalha de prata por suas ilustrações para o livro A Luz da Ásia, na Competição Nacional em South Kensington.

  • 1899 - Forma-se na Escola de Arte de Glasgow e passa a lecionar Decoração de Livros e Design. É também contratada por uma loja de departamentos na Alemanha, que se interessa por seu trabalho, e lhe pede uma gama de itens "feitos ao novo estilo escocês".

  • 1902 - Viaja pela Alemanha e Itália, e é fortemente inspirada pelos trabalhos de Botticelli. No mesmo ano, recebe medalha de ouro por sua capa para o livro L'Evangile de L'Enfance, na Exposição Internacional de Arte Decorativa Moderna, em Turin, o que a consolida como proeminente ilustradora de livros do movimento de Glasgow.

  • 1903 - Torna-se membro do comitê da Sociedade de Artistas de Glasgow.

  • 1905 - Entra para a Sociedade de Mulheres Artistas de Glasgow. Sua contribuição para o movimento escocês começa a despontar com exposições de sua arte em Londres e, dois anos mais tarde, em Glasgow.

  • 1911 - Abre, juntamente com seu marido, o pintor e designer Ernest Archibald Taylor, o Atelier e Escola de Arte em Sheiling em Paris. Seus trabalhos durante sua estadia na França são considerados de grande influência para a criação do movimento Art Déco.

  • 1920 - Transfere seu Atelier e Escola de Arte para Kirkcudbright, de volta na Escócia, onde estabelece um importante centro para mulheres artistas chamado Green Gate Close, no qual manteve um estúdio próprio para trabalhar com cerâmica.

  • 1924 - Inspirada pelo estilo de arte javanês conhecido como batik, escreve e ilustra o livro Como Cinderela Conseguiu Ir Ao Baile.

  • 1949 - Morre aos 74 anos em Kirkcudbright, na Escócia.

TOULOUSE-LAUTREC, Henri de
(Henri de Toulouse-Lautrec)

 A sensibilidade exasperada pelas cores contrastantes é uma das qualidades de seu “macabro” gênio. Nada o repele; pinta beleza e feiúra com soberba indiferença; pinta o vício e o vil, exóticas, atrozes e obscenas criaturas com a absoluta insolência e o máximo cinismo de um Diabo ou de um Deus que criaram em mútuo antagonismo o cruel e adorável mundo no qual vivemos. (…) Parte da técnica de Lautrec consiste não somente no seu modo original de observar a realidade, mas na sua maneira de ver as coisas: não em porções, não em sombras, mas em massas (…) Lautrec tinha uma paixão por cores brutais, em contrastes violentos e muitas vezes excessivos."
SYMONS, Arthur. [1930]
From Toulouse-Lautrec to Rodin.
New York, Kessinger Publishing..
 CRONOLOGIA: 
  • 1864 - Nasce em Albi, na França.

  • 1878 - Sofre duas quedas consecutivas, nas quais quebra os dois fêmures devido a uma doença manifestada anos antes, que afeta a formação dos ossos, fazendo com que Henri não ultrapasse a altura de 1,52m.

  • 1880 - Monta um estúdio particular em Paris e passa a frequentar teatros e cabarés de Montmartre.

  • 1882 - Estuda Pintura com o retratista Léon Bonnat e, posteriormente, com Fernand Cormon, cujo ateliê frequenta por cinco anos.

  • 1888 - Pinta La Blanchisseuse no jardim de Pere Foret, Paris.

  • 1889 - Expôe suas obras no Salon des Indépendants.

  • 1890 - Produz ilustrações para a revista humorística semanal Le Rire.

  • 1891 - É contratado por Charles Zidler para criar o cartaz do Moulin Rouge, que corresponde ao seu primeiro cartaz litográfico.

  • 1893 - Tem sua primeira mostra individual, na galeria Booussod & Valadon.

  • 1894 - Produz ilustrações para La Revue Blanche.

  • 1896 - É impresso seu trabalho Elles, série de litografias coloridas focada no universo feminino, que produz um panorama da vida nos bordéis.

  • 1899 - O excesso de álcool faz com que seja internado em uma clínica psiquiátrica após um colapso nervoso.

  • 1901 - Morre vítima de sífilis e alcoolismo, em Malmoré, na França.

HOKUSAI, Katsushika
(Katsushika Hokusai )

 
 CRONOLOGIA: 
  • 1760 - Nasce em Edo (atual Tóquio), no Japão.

  • 1774 - Torna-se aprendiz de um entalhador, aonde trabalha por alguns anos.

  • 1778 - Entra para o estúdio de Katsukawa Shunshō, diretor da escola Katsukawa, com quem começa a aprender a arte do ukiyo-e.

  • 1779 - Recebe de seu mestre o nome Shunrō, sob o qual publica suas primeiras impressões, uma série de retratos de atores de teatro Kabuki.

  • 1793 - Morre seu mestre Shunshō, o que faz com que Hokusai comece a explorar outros estilos de arte. É logo expulso da escola Katsukawa por Shunkō, mestre de disciplina, por realizar estudos na escola rival. Hokusai leva o constrangimento como grande fonte de inspiração para sua arte.

  • 1800 - Adota seu nome mais conhecido, Katsushika Hokusai, e publica duas coleções de paisagens, chamadas “Vistas Famosas da Capital Leste” e “Oito Vistas de Edo”.

  • 1807 - Hokusai trabalha em colaboração com o novelista Takizawa Bakin numa série de livros ilustrados.

  • 1811 - Aos 51 anos, Hokusai muda seu nome para Taito e começa o período no qual produz a Hokusai Manga (uma coleção de desenhos de animais, pessoas, objetos, etc) e vários manuais de arte.

  • 1826 - Começa a trabalhar em seu quadro mais famoso “A Grande Onda de Kanagawa”, junto com uma série de outras peças; intitulada “Trinta e Seis Vistas do Monte Fuji” a série foi concluída por volta de 1834.

  • 1839 - Um incêndio destrói o estúdio de Hokusai, e grande parte de seus trabalhos.

  • 1849 - Morre aos 88 anos em Edo, no Japão.

ROSSETTI, Dante Gabriel
(Dante Gabriel Rossetti)

 
 CRONOLOGIA: 
  • 1828 - Nasce em Londres, Inglaterra.

  • 1841 - Entra para a Academia de Desenho de Henry Sass, onde fica por pouco tempo. Logo após entrando para a Academia Real.

  • 1848 - Deixa a Academia Real para estudar sob a tutela de Ford Madox Brown, de quem vira bom amigo. No mesmo ano, conhece William Holman Hunt e juntos de John Everett Millais, fundam a Irmandade Pré-Rafaelita.

  • 1850 - É lançada a primeira revista de sua irmandade, chamada 'The Germ', contendo um de seus poemas. No mesmo ano, expõe sua pintura intitulada "O Anúncio", que mostra uma jovem Virgem Maria. As duras críticas recebidas o fazem se retrair e, a partir de então, raramente expor suas obras.

  • 1855 - Após anos se dedicando a traduzir poesia italiana, tem sua primeira ilustração publicada. Chamada "As Damas de Elfen-Mere", acompanha um poema de William Allingham.

  • 1856 - É recrutado por William Morris e Edward Burne-Jones, muito inspirados por sua visão e design medieval, para contribuir na Revista de Oxford e Cambridge sobre arte e poesia.

  • 1861 - Se torna parceiro fundador na firma de artes decorativas Morris, Marshall, Faulkner e Co., contribuindo com designs de vitrais e objetos de decoração.

  • 1870 - Publica a coleção "Poemas por D.G. Rossetti" onde reune vários de seus trabalhos. Dentre eles, a sequência de sonetos chamada "A Casa da Vida", que conta o desenvolvimento físico e espiritual de um relacionamento. É tido como seu trabalho literário mais importante.

  • 1872 - A dura recepção dos críticos em relação a sua coleção de poemas o levam a ter um colapso mental e depressão profunda.

  • 1874 - É retirado da firma de artes decorativas por William Morris. Rossetti se afunda cada vez mais em seu vício em drogas e sua instabilidade mental piora.

  • 1881 - Lança um segundo volume chamado "Baladas e Sonetos" que inclui os sonetos finais da sequência "A Casa da Vida".

  • 1882 - Morre aos 53 anos em Kent, na Inglaterra.

MACDONALD, Frances
(Frances MacDonald)

 
 CRONOLOGIA: 
  • 1873 - Nasce em Staffordshire, na Inglaterra.

  • 1891 - Entra para as aulas de pintura na Escola de Arte de Glasgow junto de sua irmã, Margaret. É lá onde conhecem o arquiteto Charles Rennie Mackintosh e o artista Herbert MacNair, juntas dos quais formam o grupo "The Four" da Escola de Glasgow.

  • 1894 - Participa da primeira exposição das obras do grupo. Seu estilo de vanguarda chama a atenção do público e traz notoriedade ao "The Four", mas suas obras são ridicularizadas por seu estilo ‘fantasmagórico’, rendendo-lhes a alcunha de ”Spook School”. No mesmo ano, abre com sua irmã um estúdio de design onde trabalham com diversas formas de arte.

  • 1895 - Tem duas de suas pinturas e duas de sua irmã publicadas no livro Yellow Book de Aubrey Beardsley.

  • 1899 - Casa-se com Herbert MacNair e, juntos, mudam-se para Liverpool. O casal passa a trabalhar em conjunto produzindo aquarelas e realizando design de interiores.

  • 1902 - Exibe uma sala de escrita para mulheres na Primeira Exposição Internacional de Arte Moderna Decorativa em Turin, junto de seu marido. Logo após, Frances começa a lecionar arte e a trabalhar com jóias, peças esmaltadas e tecidos.

  • 1905 - A Escola de Arquitetura e Arte Aplicada, onde Herbert MacNair leciona, é fechada, iniciando um processo de declínio na carreira do casal.

  • 1909 - Com os negócios da família indo de mal a pior, retorna para Glasgow com seu marido após perderem a maior parte de seu dinheiro.

  • 1921 - Morre aos 48 anos em Glasgow, na Escócia.

CLARKE, Harry
(Harry Clarke)

 
 CRONOLOGIA: 
  • 1889 - Nasce em Dublin, Irlanda. Filho de um decorador de igrejas, Harry cresceu em torno de muitas escolas de arte.

  • 1905 - Deixa a universidade de Belvedere após a morte de sua mãe poucos anos antes, e começa a trabalhar como aprendiz no estúdio de seu pai durante o dia e frequentar aulas na Escola de Arte de Dublin à noite.

  • 1910 - Seu vitral “The Consecration of St Mel, Bishop of Longford, by St Patrick” ganha a medalha de ouro na Competição Nacional da Banca de Educação em Londres. A primeira de três medalhas de ouro consecutivas por seus vitrais na Competição Nacional.

  • 1914 - Casa-se com a artista Margaret Crilley e, juntos, se mudam para Londres, onde Harry começa a trabalhar com encomendas de ilustração de livros.

  • 1916 - É impresso seu primeiro projeto completo de ilustração, contendo 16 placas coloridas e mais 24 em meio-tom para o livro “Fairy Tales by Hans Christian Andersen”.

  • 1918 - Entrega nove vitrais encomendados para a Capela de Honan. Seu trabalho magnífico e bem detalhado cimenta sua reputação como um artesão habilidoso e original.

  • 1921 - Morre seu pai, Joshua Clarke, e Harry se muda para seu estúdio na North Frederick Street. Enquanto seu irmão cuida das encomendas de decoração, Harry continua a realizar suas encomendas em vidro, logo tendo seu nome associado a alta qualidade em vitrais.

  • 1923 - É instalado o vitral The Ascension em Brisbane, recebido com grande aclamação.

  • 1927 - Clarke entrega ao Ministro irlandês sua proposta para uma encomenda de vitral contendo oito cenas distintas de obras de escritores irlandeses para a Organização Internacional do Trabalho em Genebra. Sua ideia é rejeitada após serem consideradas impróprias algumas das cenas contendo dançarinas semi-n

  • 1931 - Morre em Coire, Suíça, aos 41 anos de idade.

KLINGER, Julius
(Julius Klinger)

 
 CRONOLOGIA: 
  • 1876 - Nasce em Dornbach, próximo a Viena, na Austria.

  • 1895 - Consegue seu primeiro emprego como ilustrador para aa revista de moda Wiener Mode em Viena, onde conhece Kolomon Moser, que se torna seu mentor e incentiva sua carreira artística.

  • 1896 - Vai para Munique aonde trabalha como ilustrador para as revistas Jugend e Meggendorfer Blätter.

  • 1897 - Se muda para Berlim e abre um estúdio de design gráfico com Albert Knab. Começa então sua carreira como designer na qual trabalha para muitas revistas durante anos e torna-se notório pela criação de posteres.

  • 1901 - Lança seus livros “Das Weib im modernen Ornament”, sobre ornamentos, e “Die Grotesklinie und ihre Spiegelvariationen im modernen Ornament und in der Dekorationsmalerei”, que revela suas visões sobre as obras do Jugendstil da época.

  • 1905 - Estabelece um contrato oficial com a gráfica Hollerbaum & Schmidt, entrando para seu time de artistas. Seu trabalho rapidamente ganha popularidade.

  • 1910 - Torna-se um dos artistas de poster mais reconhecidos, e a demanda de seu trabalho é alta. Em Setembro do mesmo ano, começa a lecionar para a recém-fundada Escola Técnica Superior de Artes Decorativas.

  • 1912 - Torna-se o diretor das aulas decorativas.

  • 1915 - É recrutado forçadamente pelo exército austríaco.

  • 1919 - Cria inúmeros pôsteres e propagandas para a campanha publicitária da empresa de papeis de cigarro Tabu.

  • 1925 - Publica um ensaio crítico, chamado Das Chaos der Künste, polemizando a cerca de sua visão da “transfiguração da propaganda como uma ‘alta’ arte e da dissolução da publicidade servindo apenas ao consignatário” e rejeitando a ornamentação por si só.

  • 1928 - Viaja para os Estados Unidos onde trabalha brevemente para a General Motors, mas retorna para Viena no ano seguinte, decepcionado.

  • 1930 - Leciona na Kunstgewerbe- und Handwerkerschule em Magdeburg por um ano, sob indicação de seu amigo Wilhelm Deffke.

  • 1942 - É deportado com sua esposa para Minsk, na Bielorussia, aonde os dois são mortos.

UTAMARO, Kitagawa
(Kitagawa Utamaro)

 
 CRONOLOGIA: 
  • 1753 - Nasce, chamado Kitagawa Ishitarō. Seu local de nascimento é desconhecido.

  • 1770 - Torna-se aprendiz de Toriyama Sekien, artista treinado na Escola Kanō da alta classe japonesa. Apesar de sua alta formação, Sekien era dedicado ao ukiyo-e e sua arte era voltada ao povo de Edo.

  • 1782 - É contratado pelo jovem e ambicioso editor Tsutaya Jūzaburō. Mais tarde, realiza um banquete para vários grandes artistas japoneses onde anuncia seu novo nome artístico, Utamaro.

  • 1783 - Lança, em colaboração com seu amigo escritor Shimizu Enjū, seu primeiro livro ilustrado, entitulado As Fantásticas Viagens de um Playboy na Terra dos Gigantes. Muda-se para a casa de Tsutaya, tornando-se o principal artista da firma. Passa os anos seguintes realizando ilustrações para livros.

  • 1791 - Deixa a ilustração de livros de lado e passa a se concentrar em retratos de mulheres sozinhas, diferente da preferência de outros artistas de ukiyo-e, que costumam representá-las em grupos.

  • 1793 - Ganha reconhecimento que dá fim à sua semi-exclusividade com a firma de Tsutaya, começando a produzir uma série de trabalhos bem conhecidos. Ao longo dos anos, realiza inúmeras ilustrações e estudos da natureza e arte erótica - que, no Japão, não possuía a conotação negativa da pornografia ocidental

  • 1797 - Sofre grande impacto com a morte de seu amigo de longa data Tsutaya Jūzaburō, afetando a qualidade de sua arte a partir de então.

  • 1804 - No auge de sua carreira, é preso ao publicar gravuras de um conto banido. A pintura entitulada Hideyoshi e Suas Esposas, que mostra o general Toyotomi Hideyoshi com suas concubinas, é acusada de manchar a dignidade do real Hideyoshi. A experiência o abala emocionalmente e acaba com sua carreira.

  • 1806 - Morre aos 53 anos em Edo, Japão.

LUM, Bertha
(Bertha Lum)

 
 CRONOLOGIA: 
  • 1869 - Nasce em Tipton, Iowa, Estados Unidos.

  • 1895 - Ingressa no Instituto de Arte de Chicago, onde estuda design durante um ano.

  • 1896 - Começa a estudar Ilustração com Frank Holme e a arte de fazer vitrais com Anne Weston.

  • 1901 - Retorna ao Instituto de Arte de Chicago para estudar desenho de figura e é influenciada pelas técnicas japonesas apresentadas no livro de Arthur Wesley Dow.

  • 1903 - Casa-se e tem sua lua de mel no Japão, aonde se depara com a arte oriental do ukiyo-e pela qual se apaixona, adquirindo várias ferramentas para gravura em madeira e encontrando impressões e artistas da técnica antes de retornar aos Estados Unidos.

  • 1907 - Retorna ao Japão mais uma vez para uma estadia de 14 semanas para aprender mais da técnica de gravura em madeira. É apresentada ao mestre Bonkotsu Igami, que a ensina a entalhar, e a Kumakichi Nishimura, com quem aprende a imprimir suas gravuras.

  • 1912 - Tem sua gravura Mulheres Raposa, dentre outras, exposta na Décima Exposição de Arte Anual em Tokyo. Os seus são os únicos trabalhos estrangeiros apresentados.

  • 1915 - Recebe medalha de prata por suas gravuras coloridas na Exposição Universal do mesmo ano.

  • 1919 - Tem seus trabalhos inclusos na Exposição de Gravuras e Impressões do Insituto de Arte de Chicago.

  • 1922 - Publica seu primeiro livro ilustrado “Gods, Goblins and Ghosts”, sobre lendas do oriente. No fim deste ano, muda-se para Pequim, na China, com suas filhas.

  • 1923 - Um terremoto em Tokyo destrói boa parte de seus blocos de madeira e trabalhos.

  • 1924 - Retorna para Califórnia nos Estados Unidos onde mora por alguns anos fazendo trabalhos em estilo mais diversificado; principalmente retratos de atores e atrizes. Poucos anos depois, retorna definitivamente para Pequim.

  • 1936 - Viaja ao Japão para imprimir, novamente, suas gravuras e publica seu segundo livro ilustrado “Gangplanks to the East”.

  • 1937 - Sua visão começa a se deteriorar, diminuindo sua produção de novas gravuras até parar.

  • 1954 - Morre aos 84 anos em Genova, na Itália.

MCNAIR, James Herbert
(James Herbert Mcnair)

 1868 - 1955
 CRONOLOGIA: 
  • 1868 - Nasce em Glasgow, na Escócia.

  • 1888 - Entre 1888 e 1895 recebe treinamento em Arquitetura na firma Honeyman & Keppie, onde conhece Charles Rennie MacKintosh, de quem se torna amigo.

  • 1895 - Tem posters, trabalhos de arte decorativa e de mobiliário expostos no Salon de l’Art Nouveau, em Paris.

  • 1898 - Nomeado professor de Design na School of Architecture and Applied Art, em Liverpool.

  • 1899 - Casa-se com Frances MacDonald, que vai viver com ele em Liverpool.

  • 1902 - Projeta o Writing Room para o pavilhão escocês da Esposizione Internazionale d’Arte Decorativa Moderna, em Turim.

  • 1902 - Tem o projeto do interior de sua casa em Liverpool publicado na The Studio Magazine.

  • 1905 - Com o fechamento da Escola de Arquitetura e Artes Aplicadas, e com a perda da fortuna familiar, encontra-se em apuros. Sua obra começa a declinar.

  • 1909 - Volta para Glasgow onde enfrenta dificuldades para encontrar emprego.

  • 1911 - Aos poucos, vai parando de produzir: não se conhece nenhum de seus trabalhos após esta data.

  • 1921 - Abalado com a morte da esposa, Frances MacDonald, destrói a maior parte das obras dela, bem como as suas e se muda para a cidade de Argyll, no oeste da Escócia.

  • 1955 - Morre, em Argyll, aos 86 anos.

RIQUER, Alexandre
(Alexandre de Riquer i Ynglada)

 Desde pelo menos 1894 Alexandre de Riquer introduziu e praticou [na Catalunha] uma variante do Art Nouveau inspirada diretamente por fontes Britânicas - sobretudo (...) por William Morris, Burne-Jones e pelo legado que estes deixaram nas artes gráficas e decorativas. (...) [No entanto, a arte de Riquer] sofreu modificações estilísticas a partir de 1894. Ele passou a adotar uma mescla de Gótico com Japonismo também características do Art Nouveau. Utilizava linhas circundando superfícies chapadas e sutis harmonizações de cores que emprestavam às suas composições uma sensação antirrealista consoante com as temáticas simbolistas de sua imaginação”.
TRENC Ballester, Eliseu & YATES, Alan. [1988]
Alexandre de Riquer: The British Connection in Catalan Modernisme.
The Anglo Catalan Society..
 CRONOLOGIA: 
  • 1856 - Nasce na cidade de Calaf, província de La Segarra, Espanha, filho de família nobre, o sétimo Conde da Casa de Dávalos.

  • 1864 - Inicia seus estudos na Escola Jesuíta de Manresa.

  • 1869 - Com o exílio de seu pai – que apoiou a facção carlista derrotada na Revolução de 1868 -, seguiu para Béziers, na França, onde continuou seus estudos no Colégio Imaculada Conceição.

  • 1873 - Ingressa na Escola de Belas Artes de Toulouse, França, onde se inicia nas pinturas figurativas.

  • 1874 - Retorna a Barcelona onde ingressa na Escola de Belas Artes de Llotja.

  • 1879 - Viaja pela Europa – Itália, França e Inglaterra -, para consolidar seus conhecimentos artísticos. Entra em contato com o Arts & Crafts e com o Movimento Estético.

  • 1882 - Abre um atelier no sobrado da Patisserie Mallorquina, em Barcelona.

  • 1888 - Colabora com Lluís Domènech na Exposição de 1888 e com Antoni Gaudí no Palau Guëll.

  • 1889 - Visita a Feira de Paris e é influenciado pelas obras da Irmandade Pré-Rafaelita lá expostas e pelo movimento simbolista.

  • 1890 - Faz sua primeira exposição na Sala Parés, tendo os pássaros como objeto. A exposição é um tremendo sucesso.

  • 1896 - Cria aquele que é considerado o primeiro pôster do Art Nouveau Catalão para a Exposição de Artes e Indústria.

  • 1900 - Funda (e torna-se diretor artístico) do Jornal Joventut.

  • 1914 - Faz uma série de exposições com suas obras em diversas casas de prestígio.

  • 1919 - Encarregado pelo Círculo Eqüestre de Barcelona para ilustrar um livro em homenagem a um de seus presidentes, não consegue completar o trabalho.

  • 1920 - Morre aos 64 anos, em Palma de Mallorca, Espanha.

TEAGUE, Walter Dorwin
(Walter Dorwin Teague)

 
 CRONOLOGIA: 
  • 1883 - Nasce em Indiana, Estados Unidos.

  • 1960 - Falece duas semanas antes de seu aniversário de 77 anos.

Ooops!
Não encontramos resultados
com essa pesquisa.