Dicionário Aegis de Design

RUSKIN, John
(John Ruskin)

 (…) Quem se importa se os pontos de vista do Sr. Ruskin sobre a obra de Turner são corretos ou não? Qual a relevância disso? Sua prosa é tão poderosa e majestosa; (...); é tão rica em sua elaborada sinfonia musical; é tão segura e precisa em suas manifestações; é tão sutil na escolha de palavras e de epítetos, que se torna uma obra de arte pelo menos tão grande quanto qualquer dos pores-de-sol que descolorem ou que apodrecem em telas corrompidas nas galerias da Inglaterra (...)”.
WILDE, Oscar. Apud ADAMS, Steven. [1987]
The Arts & Crafts Movement.
London, Grange Books.
 CRONOLOGIA: 
  • 1819 - Nasce em Londres, na Inglaterra.

  • 1836 - Passa a morar em Oxford, onde frequenta o Christ’s Church College de 1838 a 1842.

  • 1848 - Inicia seus estudos de Arquitetura Gótica.

  • 1849 - Publica The Seven Lamps of Architecture. Trabalha em Veneza de novembro a março de 1850, onde estuda a arquitetura e a história da cidade.

  • 1851 - Publica o primeiro volume de The Stones of Venice. Continua trabalhando no resto do livro, em Veneza, de setembro até junho de 1852.

  • 1853 - Publicados os segundo e terceiro volumes do The Stones of Venice.

  • 1857 - Publica os The Elements of Drawing e o The Political Economy of Art.

  • 1867 - Publica Time and Tide, cartas sobre questões sociais e políticas tendo como alvo os trabalhadores britânicos.

  • 1869 - Nomeado o primeiro Slade Professor of Fine Arts, em Oxford.

  • 1877 - É processado por calúnia pelo artista James Whistler, um dos fatos que resultará em sua decisão de renunciar à sua Cátedra, dois anos depois.

  • 1878 - Funda a Guild of St. George. Sofre um ataque de loucura.

  • 1879 - Renuncia à Cátedra em Oxford.

  • 1883 - Reassume sua Cátedra em Oxford.

  • 1886 - Sofre novo ataque de doença mental.

  • 1900 - Morre em Brantwood, Cumbria, Inglaterra, aos 81 anos.

DRESSER, Christopher
(Christopher Dresser)

ATUAÇÕES: Designer, Teórica(o)
 Chistopher Dresser foi um Vitoriano de origem humilde que rompeu as fronteiras dos privilégios de classe para reivindicar seu lugar como o primeiro designer da era industrial a ter o lar como prioridade. A mensagem de Dresser era de que bens baratos e acessíveis não precisavam ser feios."

LYONS, Harry. [2005]
Christopher Dresser: The People's Designer.
London, Antique Collectors' Club.
 CRONOLOGIA: 
  • 1834 - Nasce em Glasgow, Escócia.

  • 1847 - Começa a estudar na Government School of Design em Londres, onde conhece artistas notáveis da época como Henry Cole, Richard Redgrave e seu mentor, Owen Jones

  • 1854 - Começa a lecionar botânica na Government School of Design

  • 1856 - Contribui com a placa XCVIII para a famosa publicação A Gramática do Ornamento de Owen Jones e seguiu estudando sobre botânica, chegando a publicar livros do assunto

  • 1859 - Recebe um doutorado no campo de botânica da Universidade de Jena, Alemanha por suas contribuições

  • 1860 - Abre um estúdio de design

  • 1862 - Publica um manifesto de design chamado A Arte do Design Decorativo; expõe seus trabalhos na Exibição Internacional de Londres

  • 1876 - Se torna o primeiro designer europeu a ser enviado ao Japão pelo governo britânico levando um presente para o recém-inaugurado Museu Nacional em Tokyo. Lá aprofunda seu conhecimento e interesse pelas formas e arte japonesa e aprende novas técnicas de manufatura e criação

  • 1880 - Abre sua Art Furnishers' Alliance no centro do distrito de luxo em Londres, próxima a outras grandes companias como Morris & Co., Liberty's, The Fine Art Society e a Grosvernor Gallery

  • 1883 - A compania de Dresser fecha devido a problemas financeiros e sua saúde declinante

  • 1904 - Morre aos 70 anos, em Mulhouse, França

VIOLLET-LE-DUC, Eugène
(Eugène Emmanuel Viollet-le-Duc)

 Achille Carlier, arquiteto laureado com o grande prêmio de Roma e que se dedicou (...) à denúncia do vandalismo restaurador, atribui [a Viollet-le-Duc] o epíteto de criminoso: “Viollet fez desaparecer a alma do passado: (...) o mais hediondo dos crimes históricos. (...) Viollet-le-Duc é um dos maiores criminosos da história: personagem nocivo tanto pela importância das obras que pessoalmente arruinou em caráter definitivo como também pela influência que exerceu sobre sua época, e que permitiu que um enxame de discípulos, seguindo seus passos, arruinassem outras obras não menos importantes”.

FOUCART, Bruno. “Viollet-le-Duc et la restauration.” in: NORA, Pierre. [1997]
Les Lieux de Mémoire.
Paris, Gallimard.
 CRONOLOGIA: 
  • 1814 - Nasce em Paris, França.

  • 1834 - Recusa-se a entrar na École des Beaux-Arts por discordar do sistema de ensino. Opta por uma formação prática estagiando com os arquitetos Jacques-Marie Huvé e Achille-François-René Leclère.

  • 1836 - Viaja pela Itália e pela França para estudar a Arte Grega e Romana e os principais monumentos destes países.

  • 1840 - Nomeado Inspetor das Obras de Restauração da Sainte-Chapelle, sob a supervisão do arquiteto Félix Duban. Também é encarregado da restauração da Igreja de Vézelay.

  • 1846 - Nomeado Diretor do Bureau des Monuments Historiques.

  • 1848 - Torna-se membro da Comission des Arts et Édifices Religieux.

  • 1849 - Torna-se membro da Comission Supérieure de Perfectionnement des Manufactures Nationales de Sèvres, Gobelins et Beauvais.

  • 1853 - Nomeado Inspecteur Général des Édifices Diocésains.

  • 1854 - Começa a publicar o Dictionnaire Raisonné de l'Architecture Française du XIe au XVe siècle, concluindo a obra quatro anos depois.

  • 1857 - Torna-se arquiteto dos Edifícios Diocesanos. Começa, com o arquiteto Jean-Baptiste Lassus a restauração da Catedral de Notre Dame de Paris.

  • 1858 - Publica o primeiro volume dos Entretiens sur l'Architecture, obra em que sumaria suas idéias sobre o método de ensino da Arquitetura.

  • 1863 - Torna-se professor de História da Arte e da Estética da recém-reorganizada École des Beaux-Arts, demitindo-se no ano seguinte por rejeição dos alunos.

  • 1870 - Durante a Guerra Franco-Prussiana é convocado a utilizar seus conhecimentos de fortificações na defesa da França.

  • 1874 - Declara-se livre pensador provocando uma reação do clero, fato que lhe obriga a demitir-se dos cargos que têm relação com a Igreja.

  • 1879 - Morre em Lausanne, Suiça, aos 65 anos de idade.

SCOTT, George
(George Gilbert Scott)

 Em suas Recollections [publicadas postumamente em 1879] — recordando sua carreira extremamente bem sucedida dedicada à causa gótica —, George Gilbert Scott (...) atribuiu ao ano de 1841 o seu ‘despertar’ para a verdade arquitetônica; despertar esse marcado pela influência simultânea de [Augustus] Pugin e dos Camdenianos [da Cambridge Camden Society]. Um despertar pode ser desconfortável: as resenhas pernósticas que o Ecclesiologist [nesletter da Cambridge Camden Society] publicava sobre novas igrejas e restaurações exaltavam e denunciavam, prescreviam e proscreviam com resultados impressionantes. Os juízos Camdenianos sobre a correção do gótico de um arquiteto influenciavam cada vez mais na escolha de quem conseguiria e de quem não conseguiria as comissões para novos projetos. Esse poder muitas vezes causava ressentimentos mas, para os arquitetos mais propensos a serem escolados, as recompensas eram mais do que financeiras. O domínio do design eclesiológico e do estilo [gótico] Decorado requeria uma experiência que combinava de forma muito particular o conhecimento técnico e as realizações acadêmicas. A resultante era uma nova espécie de autoridade. Arquitetos de igreja adquiriam classe, ou seja, melhoravam seu status cultural e ascendiam na hierarquia social”.
BROOKS, Chris. [1999] The Gothic Revival.
London, Phaidon..
 CRONOLOGIA: 
  • 1811 - Nasce em Gawcott, no condado de Buckinghamshire, Inglaterra, filho de um modesto pastor anglicano.

  • 1825 - Autodidata (mas já proficiente em desenho), vai estudar com seu tio - Samuel King -, com quem se inicia em Arquitetura e Matemática.

  • 1827 - Junta-se ao escritório londrino de Arquitetura de James Edmeston, onde começa a trabalhar com projetos de workhouses; casas destinadas à acomodação e emprego de pobres.

  • 1833 - Executa seu primeiro projeto: um vicariato para seu pai em Wappenham, Northamptonshire.

  • 1838 - Projeta – sem grande impacto -, a primeira (de centenas de outras tantas) igrejas.

  • 1839 - Começa a se interessar pela obra de A.W.N. Pugin, cuja influência seria decisiva em sua própria obra.

  • 1840 - Projeta, em Oxford, o Martyr’s Memorial; seu primeiro grande êxito dentro do estilo da arquitetura Neogótica.

  • 1841 - Inicia a construção da Igreja de Saint Giles, em Camberwell; projeto que o torna conhecido em toda Europa.

  • 1859 - Inicia o projeto da Capela do King’s College, em Londres.

  • 1864 - Inicia o projeto do Albert Memorial, no Hyde Park, Londres.

  • 1865 - Entra na competição para a construção do Midland Grand Hotel, nas imediações da estação ferroviária de St. Pancras. O projeto foi concluído em 1876.

  • 1865 - Começa a construção, em Dundee, Escócia, do edifício que alojará as McManus Galleries – inicialmente projetado como uma homenagem ao recentemente falecido Príncipe Consorte.

  • 1872 - Recebe o título de Cavaleiro do Império Britânico.

  • 1878 - Morre e é enterrado na Abadia de Westminster; uma grande honra.

MUTHESIUS, Adam G. Hermann
(Adam G. Hermann Muthesius)

 1861 - 1927
 CRONOLOGIA: 
  • 1861 - Nasce em Großneuhausen, Alemanha.

  • 1883 - Entra para o Charlottenburg Technical College, onde começa estudando Filosofia e Arte, e logo em seguida muda para Arquitetura. No mesmo ano, trabalha no escritório do arquiteto Paul Wallot.

  • 1887 - Termina os estudos e vai morar em Tóquio por 3 anos, onde é empregado por Ende & Böckmann.

  • 1891 - Volta para a Alemanha, e começa a trabalhar como arquiteto público e editor da seção “engenharia de superfície” da revista de Engenharia e Arquitetura Zeitschrift für Bauwesen.

  • 1895 - Trabalha na contrução da Levensau Bridge. No mesmo ano ganha uma viagem para estudar na Itália durante 7 meses.

  • 1896 - É nomeado embaixador cultural da Embaixada Alemã em Londres, e passa 6 anos investigando a arquitetura residencial, o estilo de vida doméstico e o design.

  • 1902 - Publica Stilarchitektur und Baukunst, sua primeira tentativa de definir elementos da Arquitetura Moderna de acordo com as noções de realismo e simplicidade.

  • 1904 - Publica Das Englische Haus, considerado um dos maiores livros de história e crítica da Arquitetura.

  • 1907 - Funda a Deutscher Werkbund, com Peter Behrens, e outros.

  • 1909 - Constrói, com outros arquitetos como Richard Riemerschmid, Bruno Paul e Wilhelm Kreis, a primeira Cidade Jardim da Alemanha, em Hellerau.

  • 1927 - Morre num acidente de bonde, em Berlim, Alemanha.

  ÍCONE DO MOVIMENTO:
  PERSONAGENS RELACIONADOS:
  1. Wilhelm Kreis

PUGIN, Augustus W. N.
(Augustus W. N. Pugin)

 Pugin foi o Gibbon da Arquitetura. Nos seus Contrasts escreveu a história de seu declínio e de sua queda – não da maneira zombeteira do grande discípulo de Voltaire -, mas com a solenidade e com a veemente eloquência de Savonarola. Como o dominicano italiano, o arquiteto inglês foi mais um reformista e delator dos abusos do paganismo. Embora fosse tão ortodoxo quanto Savonarola, teve mais sorte por ter nascido em tempos mais felizes. Tempos nos quais a denúncia de abusos não implicava em uma candidatura ao martírio”.

FERREY, Benjamin. [1861]
A.N. Welby Pugin and his Father.
London, Edward Stanford .
 CRONOLOGIA: 
  • 1812 - Nasce em Londres, na Inglaterra, filho do desenhista de projetos arquitetônicos francês Augustus Charles Pugin.

  • 1821 - Começa, desde cedo, a ser treinado pelo pai para fazer desenhos de edifícios góticos para ilustrar seus trabalhos.

  • 1827 - Vai trabalhar com a firma de ourivesaria Rundell & Bridge, que foi contratada para desenhar os móveis do recém-restaurado Castelo de Windsor.

  • 1830 - Abre um negócio de produção de entalhes góticos e de treinamento de pedreiros no estilo medieval. O negócio não obtém êxito, falindo logo em seguida.

  • 1835 - Pugin converte-se ao Catolicismo. Começa a trabalhar com o arquiteto Charles Barry no projeto vencedor para a reconstrução do Parlamento Inglês (destruído pelo fogo no ano anterior).

  • 1837 - Começa a trabalhar nas Torres de Alton. Nomeado Arquiteto e Professor de Antiguidades Eclesiásticas no Oscott College.

  • 1839 - Termina a construção de sua primeira igreja: a Igreja de St. Mary, em Uttoxeter, no interior da Inglaterra.

  • 1840 - Começa a trabalhar na Igreja Católica de St. Giles Cheadlem, em Staffordshire. Também inicia o projeto do Hospital de São João Batista, em Alton.

  • 1841 - Começa o trabalho na Catedral de St. George, em Southwark.

  • 1844 - Começa a construção de sua residência, em Ramsgate, Kent, chamada The Grange, ou St. Augustine’s Grange.

  • 1846 - Começa a construção da Igreja de St. Wilfrid, em Staffordshire.

  • 1847 - Após uma viagem à Itália, onde encontra o Papa, começa a trabalhar no projeto do Castelo de Alton.

  • 1850 - Termina a construção da St. Augustine’s Grange.

  • 1851 - Nomeado Commissioner of Fine Arts for the Great Exhibition.

  • 1852 - Morre, sendo enterrado na Igreja de sua propriedade, em St. Augustine’s Grange.

ENDELL, August
(August Endell)

 Endell foi um dos primeiros artistas a protestar contra o Naturalismo e o Realismo nas Artes Visuais. (...) [Ele] defendia abertamente aquilo que mais tarde seria chamado de Arte Abstrata. Enfatizava que a natureza não era um livro de padronagens para os artistas. A Arte não ‘está na natureza em nenhum momento; trata-se de algo completamente diferente’. A Arte deveria estar apoiada na ‘sensação de prazer’ e na ‘alegria pura da forma e da cor’.”
FRISCH, Walter. [2007]
German Modernism: Music and the Arts.
Los Angeles, University of California Press.
 CRONOLOGIA: 
  • 1871 - Nasce em Berlim, na Alemanha.

  • 1892 - Muda-se para Munique, onde estuda Estética, Psicologia e Filosofia, influenciado pelo psicólogo Theodor Lipps.

  • 1896 - Entra em contato com Hermann Obrist, que o convence a abandonar a carreira acadêmica para se tornar um artista autodidata.

  • 1896 - Trabalha por um ano na decoração do estúdio fotográfico Elvira, trabalho arquetípico do Jugendstil.

  • 1896 - Publica o texto Um die Schönheit, ilustrando um caminho para a arte abstrata.

  • 1901 - Constrói o teatro Buntes em Berlim, com aspectos que fazem lembrar seu trabalho em Munique.

  • 1904 - Funda a Schule für Formkunst, em Berlim.

  • 1905 - Trabalha por um ano na construção do prédio Neumannschen Festsäle, obra onde introduziria elementos mais geométricos.

  • 1913 - Termina a construção de um hipódromo para corrida de trote em Mariendorf, Berlim, obra com um estilo mais simples e objetivo.

  • 1918 - Nomeado diretor da Akademie für Kunst und Kunstgewerbe, em Breslau.

  • 1925 - Morre em Berlim, aos 54 anos.

LETHABY, William R.
(William R. Lethaby)

 Apesar de sua pouca educação formal, Lethaby tornou-se um educador bem sucedido de arquitetos; professor de Ornamento e Design no Royal College of Arts de 1900 a 1919 e autor de diversos livros. Ao longo de sua carreira, Lethaby manteve-se leal a Morris e a Webb e, através destes, a Ruskin, apesar de reinterpretar alguns aspectos do legado destes autores”.
NELSON, Robert. [2004]
Hagia Sophia, 1850-1950: Holy wisdom modern monument.
Chicago, University of Chicago Press.
 CRONOLOGIA: 
  • 1857 - Nasce em Barnstaple, Devon, Reino Unido.

  • 1877 - Depois de estudar na Royal Academy Schools, em Londres, trabalha sob orientação do arquiteto Richard Norman Shaw.

  • 1881 - Torna-se assistente principal de Richard Norman Shaw.

  • 1884 - Funda, junto com outros 14 arquitetos e designers, a Art-Worker’s Guild.

  • 1889 - Monta seu próprio escritório de arquitetura.

  • 1894 - Lethaby é nomeado Inspetor de Arte do Conselho de Educação Técnica, do recém formado London County Council.

  • 1896 - É indicado para o cargo de co-orientador na Central School of Arts and Crafts, em Londres, onde se tornaria diretor adjunto, permanecendo até 1911.

  • 1900 - Nomeado primeiro professor de Arte, no Royal College of Art.

  • 1915 - Torna-se Membro Fundador da Design and Industries Association.

  • 1931 - Morre, na Inglaterra, aos 74 anos.

Ooops!
Não encontramos resultados
com essa pesquisa.