Dicionário Aegis de Design

(Resultado para Ernest Blerot e suas conexões)

BLEROT, Ernest
(Ernest Blerot)

 
 CRONOLOGIA: 
  • 1870 - Nasce em Bruxelas, na Bélgica.

  • 1884 - Criativo e inventivo desde muito jovem, desenvolve um sistema de tranca de pinos similar às fechaduras Yale. Mais tarde, obtém o diploma em Arquitetura na Escola Superior de Artes Saint Luc, em Bruxelas.

  • 1897 - Constrói sua primeira casa e inicia uma curta carreira na Arquitetura.

  • 1899 - Dentro de um período de dois anos, indo até 1901, Blerot consegue o feito extraordinário de projetar mais de 28 casas por toda Bruxelas. Padronizando os interiores, apenas a fachada dos edifícios era individual, reduzindo o tempo de construção e o custo.

  • 1901 - Inicia o projeto e construção de sua própria casa. A construção é tida como um dos mais marcantes edifícios de esquina em Bruxelas e é onde Blerot abre seu próprio estúdio.

  • 1910 - Casa-se e abandona sua prática profissional de arquitetura, tendo realizado em torno de sessenta projetos durante seu curto período de atividade.

  • 1919 - Após a Primeira Guerra Mundial, dedica-se a reconstrução do castelo de sua família totalmente destruído. O projeto dura cerca de 10 anos.

  • 1929 - Termina a reconstrução do castelo de sua família e praticamente se aposenta como arquiteto. Durante os anos seguintes, desenha inúmeros protótipos de carros motorizados, desenvolve um sistema de filtragem de água e projeta uma turbina eólica que nunca é posta em prática.

  • 1957 - Morre aos 86 anos em Bruxelas, na Bélgica.

MINNE, George
(George Minne)

 
 CRONOLOGIA: 
  • 1866 - Nasce em Ghent, na Bélgica.

  • 1879 - Começa seus estudos em pintura na Academia de Belas Artes, em Ghent. Por pressão de seus pais, Minne tenta estudar Arquitetura por algum tempo, mas logo abandona a ideia, focando seus estudos em arte monumental.

  • 1885 - Vai estudar na Academia Real de Belas Artes, em Bruxelas, onde permanece por quatro anos.

  • 1886 - Visita Paris pela primeira vez, sendo apresentado aos artistas simbolistas franceses. Na volta, abre seu próprio estúdio em Ghent, onde esculpe uma de suas mais famosas obras, Mãe Chorando Sobre Seu Filho Morto.

  • 1889 - Participa de sua primeira exposição no Salão Tri-Anual de Ghent com duas de suas obras. No mesmo ano, esculpe a imagem Homem e Mulher Ajoelhando, a primeira de uma famosa série de figuras ajoelhadas.

  • 1890 - É convidado a exibir suas obras em uma das exposições do Les XX, um grupo composto por vinte pintores, designers e escultores belgas que expunham seu trabalho anualmente. As figuras de Minne dentre elas Mãe Chorando Sobre seu Filho Morto e Mãe de Luto com Duas Crianças recebem duras críticas da imprensa conservadora mas atraem críticos de arte progressistas por sua originalidade.

  • 1892 - É eleito membro do grupo artístico Les XX.

  • 1898 - Esculpe sua obra prima, a Fonte dos Jovens Ajoelhados que lhe traz notoriedade fora de seu país, especialmente na Áustria e na Alemanha.

  • 1900 - É um dos artistas principais na Exposição da Secessão Vienense, apresentando além da Fonte dos Jovens Ajoelhados outras doze esculturas. Seu trabalho exerce grande influência na vanguarda vienense.

  • 1913 - Passa a dar aulas de desenho de modelo vivo na Academia de Ghent.

  • 1931 - Em reconhecimento a seus trabalhos, Minne recebe o título de Barão.

  • 1941 - Morre aos 74 anos.

SERRURIER-BOVY, Gustave
(Gustave Serrurier-Bovy)

 
 CRONOLOGIA: 
  • 1858 - Nasce em Liège, Bélgica.

  • 1874 - Ingressa na Academia de Belas Artes de Liège, onde entra em contato com Auguste Donnay, os irmãos Berchman e Armand Rassenfosse.

  • 1882 - Trabalha com seu pai, Louis Serrurier, na construção de uma capela neogótica no Chateau de Chaityfintaine

  • 1884 - Viaja a Londres, onde é desperto seu interesse pelo movimento Arts & Crafts. Essa nova influência fica aparente em seus trabalhos posteriores.

  • 1888 - Até então arquiteto em Liège, volta-se para o comércio e produção de móveis.

  • 1894 - Co-funda o Salon de La Libre Estétique, em Bruxelas, e apresenta o Cabinet de Travail.

  • 1895 - Organiza L’Oeuvre Artistique, em Liège, uma exposição internacional de artes aplicadas.

  • 1897 - Participa da Exposição Internacional de Bruxelas, junto com Henry Van de Velde e Paul Hankar.

  • 1899 - Em Paris, abre uma loja de varejo chamada L’Art dans L’Habitation.

  • 1900 - Participa da Exposition Universelle de Paris, onde constrói, com seu parceiro R. Dulong, o restaurante de luxo Pavillon Bleu.

  • 1901 - Visita a Colônia de Artistas de Darmstadt, o que o aproxima da Secessão Vienense.

  • 1903 - Constrói Villa L’Aube, sua residência pessoal.

  • 1905 - Participa da Exposition Universelle et Internationale de Liège, mostrando não só móveis luxuosos mas também peças originais, adequadas à vida de trabalhadores comuns.

  • 1910 - Morre na Antuérpia, Bélgica.

PRIVAT-LIVEMONT, Henri
(Henri Privat-Livemont)

 1861 - 1936
 CRONOLOGIA: 
  • 1861 - Nasce em Schaerbeek, na Bélgica.

  • 1883 - Muda-se para Paris, após ganhar uma bolsa de estudos. Começa a trabalhar na decoração da prefeitura, e também na do Théâtre de la Porte Saint Martin.

  • 1886 - Expõe suas pinturas no Grande Salão de Paris.

  • 1889 - Conclui seu trabalho em Paris e retorna para sua cidade natal. Em Schaerbeek, trabalha como pintor e decorador. No ano seguinte, abre seu estúdio e começa a atuar como designer de posters e propagandas.

  • 1891 - Torna-se professor de ‘desenho, ornamento e figura’ na nova escola industrial de Schaerbeek. No mesmo ano, faz ilustrações para diversos periódicos, dentre eles as edições de janeiro a fevereiro para o jornal francês Le Journal Illustré.

  • 1895 - Tem trabalho incluído na publicação Les Maîtres de l’Affiche [Os Mestres do Poster], junto de outros artistas franceses e internacionais. Esta publicação francesa imprime mensalmente quatro novos posters dentre os melhores criados na época.

  • 1896 - Simbolista, Privat-Livemont é influenciado desde muito cedo da estética do Art Nouveau. Seus primeiros posters remetem muito às artes de Alfons Mucha. Desenha, neste ano, seu mais famoso poster, a propaganda para o Absinto Robette.

  • 1897 - [a Grande Maison de Blanc] Uma importante loja em Bruxelas, na Bélgica, é decorada com alguns de seus mais famosos painéis na fachada.

  • 1900 - Realiza seus primeiros sgraffites, técnica artística aplicada comumente em peças de cerâmica e decoração arquitetônica. Ganha muitos prêmios por seus trabalhos feitos para as lojas e escolas de Bruxelas.

  • 1936 - Morre aos 74 anos em Schaerbeek, na Bélgica.

CAUCHIE, Paul
(Paul Cauchie)

 
 CRONOLOGIA: 
  • 1875 - Nasce em Hainaut, na Bélgica.

  • 1887 - Entra para a Academia de Belas Artes para estudar desenho e pintura. Quatro anos depois passa a focar seus estudos em Arquitetura, mas não dura muito tempo.

  • 1893 - Abandona o curso de Arquitetura para ter aulas com o pintor e muralista Constant Montald, em Bruxelas.

  • 1894 - Entra para a Escola de Artes Decorativas na Academia Real de Belas Artes, em Bruxelas, onde prossegue seus estudos em desenho e pintura e começa a aprender as técnicas de sgraffito e esmaltagem.

  • 1896 - Começa a trabalhar por conta própria, especializando-se em decoração.

  • 1899 - Viaja para Paris para estudar, mas é forçado a retornar para casa para tocar seus negócios.

  • 1905 - Constrói sua casa e estúdio, chamada de Casa Cauchie. Seu mais famoso trabalho, a casa é considerada uma das mais belas construções do Art Nouveau em Bruxelas, reunindo inúmeras criações suas e de Paul e sua esposa, a pintora Caroline Voets.

  • 1910 - Realiza seu segundo projeto arquitetônico, uma casa de sua propriedade em Etterbeek.

  • 1913 - Seus trabalho continua a crescer e o fluxo de pedidos se torna tão grande que Cauchie precisa contratar funcionários. Além de seus murais em sgraffito, Cauchie também produz vitrais, pinturas e móveis.

  • 1914 - Por ocasião da Primeira Guerra Mundial foge para a Inglaterra com sua família, onde pinta e expõe sua arte.

  • 1918 - Após o fim da guerra, retorna para a Bélgica mas encontra dificuldades para vender seu trabalho. O sgraffito havia saído de moda e se tornado muito caro para a população empobrecida. Passa então a dedicar-se a pintura: guache e aquarela.

  • 1923 - É condecorado com a Ordem da Coroa da Bélgica.

  • 1941 - Toma parte do Comitê Cultural formado pelo Departamento de Propaganda da Alemanha.

  • 1943 - É criada a Federação de Artistas Belgas e Expressionistas Franceses, da qual é convidado a fazer parte após uma exposição de suas obras em Charleroi, na Bélgica.

  • 1952 - Morre aos 77 anos em Bruxelas, na Bélgica.

HANKAR, Paul
(Paul Hankar)

 1859 - 1901
 CRONOLOGIA: 
  • 1859 - Nasce em Frameries, na Bélgica.

  • 1879 - Após concluir seus estudos na Academia Real de Belas Artes de Bruxelas, onde conhece o colega e futuro arquiteto Victor Horta, Hankar começa a trabalhar no escritório do arquiteto Hendrik Beyaert, onde recebe treinamento na área da Arquitetura.

  • 1889 - Sob a supervisão de Beyaert, atua como designer chefe para o Palacio de Chávarri em Bilbao, na Espanha.

  • 1891 - Torna-se professor de engenharia na Escola de Artes Aplicadas de Schaerbeek, posição que ocupa por seis anos.

  • 1893 - Abre seu próprio escritório em Bruxelas, e começa a construção de sua própria casa, o Maison Hankar. Esta casa e a de Victor Horta, construídas na mesma época, são consideradas as duas primeiras casas construídas no estilo Art Nouveau.

  • 1894 - Trabalha durante dois anos como editor da revista L’Emulation, uma publicação que promovia o estilo do Art Nouveau.

  • 1896 - Apresenta um projeto para uma “Cidade dos Artistas” para a cidade litorânea de Westende. Apesar de nunca realizado, o projeto serve futuramente como inspiração para a Colônia de Artistas em Darmstadt, na Alemanha.

  • 1897 - Inicia o projeto e construção do Hôtel Ciamberlani, em Bruxelas, um de seus notáveis projetos. Dá uma palestra sobre a “Nova Bruxelas”, uma visão própria sobre o desenvolvimento urbano da cidade. No mesmo ano, participa da Exposição Colonial em Tervuren, na Bélgica.

  • 1899 - Projeta um banco de pedra monumental para ser exibido na Exposição Universal em Paris no ano seguinte. O Rei Leopoldo II da Bélgica compra o banco e doa a obra para um parque em Ostend.

  • 1901 - Morre aos 41 anos em Bruxelas, na Bélgica.

HORTA, Victor
(Victor Horta)

ATUAÇÕES: Arquiteta(o), Designer
 A inspiração genial de Horta foi de libertar a Arquitetura da tutela das linhas Neoclássicas e Góticas, reinventando as formas com maior liberdade e com espírito prático de modo que pudessem adaptar-se a projetos reais que poderiam ser desenvolvidos com os incontáveis novos materiais que a época colocava à sua disposição. É de acordo com essa perspectiva que devemos compreender a Casa Tassel, considerada o primeiro edifício do Art Nouveau belga; ou seja, levando em consideração não apenas o novo espírito da Arquitetura como também o emprego de novos materiais. (…) Em todos os trabalhos de Horta observa-se um equilíbrio nas composições. Os imperativos da construção nunca são rompidos. Além disso, graças a uma imaginação excepcional, suas formas foram evoluindo criativa e constantemente de modo a se adaptarem às demandas mais variadas.”
KLICZKOWSKI, Maria Sol. [2003]
Victor Horta.
New York, teNeues Publishing..
 CRONOLOGIA: 
  • 1861 - Nasce em Gante, Bélgica.

  • 1873 - Estuda Arquitetura na Académie des Beaux-Arts de Gante.

  • 1874 - Frequenta a Athénée Royal de Gand, até 1877.

  • 1878 - Muda-se para Paris, iniciando uma parceria com o arquiteto e designer Jules Debuysson, trabalhando em seu atelier em Montmartre.

  • 1880 - Volta para a Bélgica, após a morte de seu pai.

  • 1881 - Casa-se e se muda para Bruxelas, onde entra para a Académie Royale des Beaux-Arts.

  • 1884 - Vence o prêmio Godecharle de arquitetura com seu projeto para um novo prédio do Parlamento.

  • 1887 - Ganha competição organizada pela Académie des Beaux-Arts de Bruxelas voltada a ex-alunos, com seu projeto de um Museu de História natural.

  • 1889 - Visita a Exposition Universelle em Paris, onde fica encarregado de um pavilhão destinado a apresentar a escultura de Jef Lambeaux, Les Passions Humaines.

  • 1892 - Torna-se professor na Faculté Polytechnique de l'Université Libre de Bruxelles, onde permanece até 1911.

  • 1893 - Constrói La Maison Autrique e L'Hôtel Tassel ambos em Bruxelas.

  • 1894 - Torna-se presidente Société Centrale d'Architecture da Bélgica. No mesmo ano, constrói a Maison Frison e o Hôtel Solvay, todos os dois em Bruxelas.

  • 1895 - Projeta o Hôtel Van Eetvelde, no mesmo ano são construídos em Bruxelas: o Jardin d'Enfants, o Hôtel Deprez-Van de Velde e a Maison du Peuple, demolida em 1965.

  • 1898 - Constrói a Maison Hortae o atelier, que em 1969 se torna o Museé Horta.

  • 1912 - É encarregado do projeto de reformulação dos cursos na Académie des Beaux-Arts de Bruxelles.

  • 1913 - Torna-se diretor da Académie des Beaux-Arts, exercendo o cargo por três anos.

  • 1916 - Vai à Londres participar de um Congresso pela Reconstruction de la Belgique, e é impossibilitado de voltar para a Bélgica pelas autoridades alemães, indo então para os EUA, onde passa três anos, só retornando a seu país em 1919.

  • 1919 - Faz os primeiros esboços do projeto do Palais des Beaux-Arts em Bruxelas, inaugurado em 1928.

  • 1925 - É nomeado diretor do departamento de Beaux-Arts da Académie Royale da Bélgica.

  • 1932 - Recebe do rei Albert I o título de Barão.

  • 1939 - Começa manuscrito de suas memórias, publicado somente em 1986.

  • 1947 - Morre em Bruxelas, Bélgica.

VAN AVERBEKE, Émile
(Émile Van Averbeke)

ATUAÇÃO: Arquiteta(o)
 
 CRONOLOGIA: 
  • 1876 - Nasce em Antwerp, na Bélgica.

  • 1888 - Entra para a Academia de Belas Artes de Antwerp, onde permanece por seis anos, mas não conclui seus estudos.

  • 1892 - É registrado como desenhista e começa a trabalhar no estúdio do arquiteto Émile Thielens, um dos responsáveis por introduzir o Art Nouveau em Antwerp.

  • 1899 - Projeta, em colaboração com Thielens e seu amigo Jan van Asperen, o prédio para o café e restaurante Paon Royal. No mesmo ano, deixa o estúdio de Émile Thielens e decide abrir seu próprio.

  • 1905 - É contratado pelo município de Antwerp para fazer parte do órgão público conhecido como Régie des Bâtiments [Registro de Posturas].

  • 1907 - Colabora com Jan Van Asperen para projetar o quartel do corpo de bombeiros de Paleisstraat, em Antwerp. Sua fachada simples e geométrica demonstra a clara transição do estilo de Van Averbeke do Art Nouveau para o Art Deco.

  • 1920 - Ocupa o posto de Arquiteto Chefe Municipal, no qual projeta uma série de construções públicas entre as duas grandes guerras. Entre essas obras figuram quartéis para o corpo de bombeiros, escolas, escritórios para o Porto de Antwerp, e também casas para a população.

  • 1926 - Dirige a restauração da torre do sino da Catedral de Nossa Senhora de Antwerp.

  • 1929 - Recebe autorização especial do município para monitorar o projeto do edifício Boeentoren - um arranha-céus em estilo Art Deco no centro de Antwerp - realizado pelo arquiteto Jan Vanhoenacker.

  • 1930 - Desempenha um importante papel na construção do local para a Exposição Universal de Antwerp. O projeto faz parte também de uma política de planejamento urbano que tem como um de seus objetivos o estímulo ao desenvolvimento de um novo distrito no sul da cidade.

  • 1945 - É apontado curador do museu Rubenshuis, situado na mansão do pintor Rubens, em cuja restauração trabalhou durante a Segunda Guerra Mundial.

  • 1946 - Morre aos 70 anos em Antwerp, na Bélgica.

KHNOPFF, Fernand
(Fernand Khnopff)

ATUAÇÃO: Pintor(a)
 
 CRONOLOGIA: 
  • 1858 - Nasce em Grembergen, na Bélgica.

  • 1876 - Entra para a Academia Real de Belas Artes de Bruxelas, onde começa a estudar desenho.

  • 1878 - Na Exposição Universal de Paris, conhece a obra dos pintores John Everett Millais e Edward Burne-Jones.

  • 1881 - Apresenta pela primeira vez seus trabalhos ao público no Salon de l’Essor em Bruxelas, porém recebe duras críticas.

  • 1883 - Funda, junto com outros artistas, o grupo Les XX, formado por vinte pintores, designers e escultores belgas, com os quais passa a exibir anualmente seu trabalho em exposições organizadas pelo grupo.

  • 1885 - O escritor francês Joséphin Péladan lhe pede para criar a capa de seu novo livro. Khnopff aceita, mas é mais tarde levado a destruir sua obra devido ao escândalo causado pela famosa cantora Rose Caron, ofendida pelo retrato ilustrado para a capa. O episódio traz notoriedade para Khnopff.

  • 1895 - Começa a trabalhar como correspondente para o periódico britânico The Studio, pela coluna “Studio Fala Sobre Bruxelas” onde escrevia sobre a evolução da arte na Bélgica e na Europa continental.

  • 1896 - Pinta sua mais famosa obra, o quadro intitulado A Carícia.

  • 1898 - Exibe 21 de suas obras na primeira Exposição da Secessão Vienense. Seus trabalhos são recebidos com grande admiração, e tornam-se de grande influência para Gustav Klimt.

  • 1904 - É contratado para decorar o teto do Salão de Casamento da prefeitura de Saint Gilles. No mesmo ano, recebe um pedido de um rico banqueiro para criar painéis decorativos para a sala de música do Palácio Stoclet, onde conhece o arquiteto Josef Hoffman e o pintor Gustav Klimt.

  • 1919 - É condecorado comandante da Ordem de Leopoldo, na Bélgica.

  • 1921 - Morre aos 63 anos em Bruxelas, na Bélgica.

DELVILLE, Jean
(Jean Delville)

ATUAÇÕES: Pintor(a), Autor(a), Poeta
 
 CRONOLOGIA: 
  • 1867 - Nasce em Louvain, na Bélgica.

  • 1879 - Entra para a Academia de Belas Artes em Bruxelas, onde durante os anos seguintes estuda desenho anatômico realista e pintura da natureza, ganhando inúmeros prêmios por suas pinturas dentro da instituição.

  • 1887 - Exibe seus trabalhos pela primeira vez ao público na exposição anual do grupo L’ Essor. Suas obras tinham como tema recorrente representações realistas da classe trabalhadora.

  • 1888 - Seu trabalho recebe destaque dentre os melhores apresentados na Exposição de L’Essor deste ano. Exibe, junto de suas obras, o controverso estudo para a pintura A Mãe, que mostra uma mulher em trabalho de parto.

  • 1892 - Seu crescente interesse na arte idealista o leva a criar uma sociedade de artistas chamada Pour L’Art. Realizam sua primeira exposição no fim do ano, focando em temas impressionistas e simbolistas. Delville pinta uma de suas mais famosas obras, O Ídolo da Perversidade.

  • 1894 - Realiza a segunda Exposição de seu grupo, abrindo espaço para as artes decorativas e aplicadas. As obras são recebidas com grande entusiasmo da crítica e da imprensa.

  • 1895 - Sua frequente presença no Salon de la Rose+Croix do escritor Joséphin Péladan o influencia a criar o Salon d’Art Idéalist. No mesmo ano, ganha o Prix de Rome, uma bolsa de estudos francesa para artistas permanecerem em Roma de 3 a 5 anos, custeados pelo governo francês.

  • 1898 - Pinta e exibe sua obra-prima, o quadro intitulado A Escola de Platão.

  • 1900 - É convidado a dar aulas na Escola de Arte de Glasgow, onde permanece por seis anos.

  • 1907 - Retorna para Bruxelas e torna-se professor da Academia de Belas Artes de Bruxelas, realizando um de seus grandes sonhos.

  • 1914 - Foge com sua família para a Inglaterra durante a Primeira Guerra Mundial. Durante esse período, escreve para vários jornais e organiza a publicação Arte Belga em Exílio, projeto que é bem sucedido em angariar fundos para caridade para outros belgas refugiados.

  • 1920 - Colabora com vários artistas famosos de sua geração para criar a Sociedade de Arte Monumental, cujo foco era reunir pintores, artistas e arquitetos em busca de criar arte para construções públicas.

  • 1932 - Completa seu projeto* em colaboração com inúmeros artistas, criando um mosaico de cenas em sequência totalizando 120 metros, representando a Bélgica em paz, com imagens da vida material, intelectual e moral, e a Bélgica heróica, mostrando sua vitória e tributo aos heróis de guerra.

  • 1937 - Aposenta-se da posição de professor na Academia de Belas Artes de Bruxelas.

  • 1953 - Morre aos 86 anos em Bruxelas, na Bélgica.

LAMBEAUX, Jef
(Jef Lambeaux)

ATUAÇÃO: Escultor(a)
 
 CRONOLOGIA: 
  • 1852 - Nasce em Antwerp, na Bélgica.

  • 1871 - Exibe sua primeira obra, intitulada Guerra.

  • 1881 - Viaja para Paris onde vive na miséria mas produz O Beijo, sua mais aclamada obra, considerada por muitos sua obra-prima.

  • 1883 - Torna-se um dos membros fundadores da sociedade de artistas Les XX, mas sua oposição aos ideais vanguardistas do grupo o levam a deixá-lo no ano seguinte.

  • 1887 - Esculpe em bronze A Fonte de Brabo, monumento que se torna o símbolo oficial da cidade de Antwerp. A imagem mostra Salvius Brabo, o fundador de Antwerp, em um pedestal com sereias e outros animais marinhos. A obra demonstra fortes traços do Art Nouveau.

  • 1889 - Exibe, no Salão Trienal de Ghent, um desenho em tamanho real para sua escultura Paixões Humanas. A cena caótica com corpos retorcidos gerou desconforto e atraiu a ira dos críticos.

  • 1893 - Apresenta, no Salão de Paris, sua obra Embriaguez, que lhe rende duras críticas por sua representação sensual do corpo humano. Recebe o apelido de ‘Michelangelo da sarjeta’ do pintor Jean Delville. No mesmo ano, após sua exibição em Paris, recebe um prêmio da Legião de Honra.

  • 1898 - Completa uma de suas mais famosas e controversas obras, o colossal relevo em mármore Paixões Humanas, que é instalado em um templo próprio para sua exibição, construído pelo arquiteto Victor Horta.

  • 1908 - Morre aos 56 anos em Bruxelas, na Bélgica.

SAINTENOY, Paul
(Paul Saintenoy)

ATUAÇÕES: Arquiteta(o), Autor(a)
 
 CRONOLOGIA: 
  • 1862 - Nasce em Bruxelas, na Bélgica.

  • 1881 - Começa a estudar Arquitetura em Antwerp e, mais tarde, retorna a Bruxelas para completar sua formação.

  • 1891 - Executa o projeto de autoria de seu pai, o arquiteto Gustave Saintenoy, para a residência oficial do governador da cidade de Hasselt, na Bélgica.

  • 1897 - Compra uma casa em estilo clássico e a reconstrói, tornando-a conhecida como Hotel Saintenoy, para onde se muda com a família.

  • 1898 - Inicia a construção do prédio para a Farmácia Delacre, em Bruxelas, em estilo neogótico.

  • 1899 - Completa seu mais famoso projeto: a expansão da loja de departamentos Old England no estilo Art Nouveau.

  • 1905 - Termina a construção do Castelo Le Fy.

  • 1910 - Torna-se professor de História da Arquitetura na Academia Real de Belas Artes de Bruxelas.

  • 1918 - Com o fim da guerra, é designado membro da “Comissão Real de Monumentos e Sítios”, onde desempenha um importante papel na reconstrução da Bélgica pós-guerra.

  • 1952 - Morre aos 90 anos em Bruxelas, na Bélgica.

Ooops!
Não encontramos resultados
com essa pesquisa.