Dicionário Aegis de Design

(Resultado para Walter Crane e suas conexões)

CRANE, Walter
(Walter Crane)

 Todos enfatizavam a dignidade do trabalho e havia também aqueles que, como Crane e Ashbee, invocavam o socialismo para elevar o trabalho à categoria de um predicado sobre o qual não apenas uma arte sadia e bela estava baseada mas também na qual se assentava uma sociedade mais saudável e plena”.

ADAMS, Steven.[1987]
The Arts & Crafts Movement.
London, Grange Books.
 CRONOLOGIA: 
  • 1845 - Nasce em Liverpool, Inglaterra.

  • 1859 - Torna-se aprendiz do entalhador William James Linton, por meio de quem travou contato direto com trabalhos de Pré-Rafaelitas como Rossetti, Millais e outros.

  • 1864 - Começa a ilustrar para o também entalhador e artista gráfico Edmund Evans. Trabalha inicialmente em um livro de cantigas de roda e de embalar (nursery rhymes).

  • 1874 - Em uma série de ilustrações - que começa com The Frog Prince - passa a exibir uma clara influencia da Arte Japonesa.

  • 1877 - Planeja, com Edmund Evans, a execução do livro de canções de ninar: The Baby’s Opera.

  • 1882 - Elabora The Goose Girl, ilustração do livro Household Stories from Grimm, que, mais tarde, foi reproduzida em tapeçaria por Morris.

  • 1882 - É eleito membro do Institute of Painters in Water Colours.

  • 1888 - Funda a Arts And Crafts Exhibition Society.

  • 1890 - Torna-se Vice Presidente da Healthy and Artistic Dress Union que promovia roupas largas, ao invés de rígidas, apertadas e pesadas.

  • 1893 - Exibe Neptune’s Horses - obra prima da ilustração -, na New Gallery.

  • 1894 - Colabora com Morris na decoração das páginas de The Story of the Glittering Plain.

  • 1894 - Torna-se Diretor de Design na Manchester Municipal School.

  • 1895 - Mostra seus trabalhos mais recentes em exposição na galeria/loja L’Art Nouveau, de Siegfried Bing, em Paris.

  • 1898 - Publica suas aulas de Manchester no livro The Bases of Design.

  • 1915 - Morre aos 69 anos, em Sussex, Inglaterra

Arts & Crafts
(Arts & Crafts)

ORIGEM: Reino Unido
 O Movimento de Artes e Ofícios [Arts & Crafts] teve suas raízes nos anos finais da Grã- Bretanha do século XIX. Seus principais teóricos — homens como William Morris, C.R. Ashbee e W.R. Lethaby —, tiveram formação de arquitetos e trabalharam pela unidade das artes, acreditando que todos os empreendimentos criativos tinham o mesmo valor. Não apenas desejavam reformar o design como também restabelecer a qualidade do próprio processo de trabalho. Com a divisão do trabalho, a Revolução Industrial desvalorizou o ofício de artífice (craftsman) transformando-o em uma mera peça na engrenagem de uma máquina. O objetivo do Movimento de Artes e Ofícios era, nesse sentido, o de reestabelecer a harmonia entre arquiteto, designer e artífice. Desejavam também restaurar a perícia na produção de artefatos de uso quotidiano de forma que fossem não apenas bem projetados como também tivessem preços acessíveis."
CUMMING, Elizabeth. (1991): The Arts and Crafts Movement. London, Thames & Hudson, 2002, p.6.

ASHBEE, Charles Robert
(Charles Robert Ashbee)

 Charles Robert Ashbee afirmou que os princípios do Movimento Arts and Crafts foram desenvolvidos de maneira mais lógica e mais consistente nos Estados Unidos e na Europa do que na Grã-Bretanha.”

ADAMS, Steven. [1987]
The Arts & Crafts Movement.
London, Grange Books.
 CRONOLOGIA: 
  • 1863 - Nasce na vila de Isleworth, Inglaterra.

  • 1883 - Passa 3 anos estudando no King's College, em Cambrige, sob a orientação do arquiteto George Frederick Bodley.

  • 1888 - Funda a Guild and School of Handicraft no Toynbee Hall.

  • 1890 - A escola muda-se para Essex House em Mile End, Londres.

  • 1898 - Traduz e publica Benvenuto Cellini's Treatises; um clássico que descreve técnicas de ouriversaria e escultura.

  • 1902 - A escola é forçada a mudar-se de novo, desta vez para Chipping Camden, onde mais tarde funcionará a School of Arts & Crafts (1904-1914).

  • 1907 - É publicado um catálogo contendo seus trabalhos em prata e de joalheria a preços extremamente baratos.

  • 1909 - Publica Modern English Silverwork, sob a influência do estilo dos produtos de Arthur Liberty e da Secessão Vienense.

  • 1918 - É apontado conselheiro cívico do Mandato Britânico da Palestina, supervisionando construções e proteção de sítios históricos e monumentos como presidente da Sociedade Pró-Jerusalém.

  • 1942 - Morre, aos 79 anos, em Sevenoaks, Kent, Inglaterra.

BURNE-JONES, Edward
(Edward Coley Burne-Jones)

 
 CRONOLOGIA: 
  • 1833 - Nasce em Birmingham, Inglaterra.

  • 1848 - Entra na Escola de Arte de Birmingham, onde estuda por quatro anos.

  • 1853 - Começa a cursar teologia na Universidade de Exeter, Oxford, onde conhece William Morris, com quem divide uma paixão por todas as coisas medievais e pelos manuscritos de Thomas Carlyle e John Ruskin. Também é lá onde conhece o trabalho dos Pré-Rafaelitas.

  • 1856 - Sob a influência de Dante Gabriel Rossetti, Burne Jones e William Morris deixam a faculdade e decidem se tornar artistas. Mudam-se para a Red Lion Square 17 em Londres, onde ocupou Rossetti.

  • 1861 - Se torna um dos fundadores da firma Morris, Marshall, Faulkner and Co., sendo seu principal designer de vitrais e produzindo mais de 500 peças.

  • 1864 - É eleito sócio da Old Water Colour Society por suas grandes aquarelas, dentre elas, The Merciful Knight (1863).

  • 1870 - Deixa a sociedade após um escândalo sobre sua obra Phyllis e Demophoön. Passa os próximos sete anos trabalhando isolado em Fulham, no oeste de Londres.

  • 1877 - Tem oito de suas pinturas a óleo, incluindo The Mirror of Venus e The Beguiling of Merlin expostas na abertura da Galeria de Grosvenor. Seu trabalho é altamente aclamado.

  • 1881 - Recebe um diploma honorário da universidade de Oxford.

  • 1885 - Torna-se presidente da Birmingham Society of Artists, e sócio da Royal Academy.

  • 1891 - Se torna membro da Art Workers Guild.

  • 1898 - Morre aos 64 anos em Londres, Inglaterra.

DE MORGAN, William
(William De Morgan)

ATUAÇÕES: Designer, Ceramista, Autor(a)
 1839 - 1917
 CRONOLOGIA: 
  • 1839 - Nasce, em Londres, William Frend De Morgan, filho do matemático Augustus De Morgan.

  • 1859 - Aos vinte anos, William De Morgan ingressa na Royal Academy Schools — a mais antiga escola de artes da Grã-Bretanha — uma instituição que, moldada na Académie de Peinture et de Sculpture fundada por Luís XIV em 1648, na França, era famosa por seu ensino rigoroso e acadêmico.

  • 1862 - Desiludido com o ensino acadêmico, abandona o curso de oito anos pela metade e aproxima-se de William Morris e do círculo Pré-Rafaelita. Cerca dessa época começa a trabalhar para a Morris, Marshall, Faulkner & Co. onde projetava vitrais.

  • 1863 - Em paralelo aos projetos desenvolvidos para a Morris & Co., De Morgan monta um atelier independente na Fitzroy Square onde, em parceria com o vitralista James Lyon Tennant começa a direcionar sua criatividade para trabalhos com cerâmica.

  • 1872 - Um incêndio acidental provoca uma desavença com o proprietário e De Morgan se vê obrigado a mudar-se. Encontra um endereço em Chelsea, onde se estabelece.

  • 1873 - Redescobre técnicas que se assemelham à cerâmica mouresca espanhola e à cerâmica maiólica da Itália.

  • 1875 - Começa a desenvolver uma cartela de cores inspirada no que acreditava ser a padronagem Persa: azul escuro, azul turquesa, púrpura, verde, vermelho indiano e amarelo limão. (Sabe-se, hoje, tratar-se da tradição Iznik dos séculos XV e XVI).

  • 1882 - Problemas de coluna forçam De Morgan a deslocar seu atelier para Merton Abbey, onde ficará mais perto de casa.

  • 1888 - Após seu casamento, em 1887, com Evelyn De Morgan muda-se outra vez e desloca seu atelier para Sands End, em Fulham, onde, em sociedade com Halsey Ricardo, inicia o período mais prolífico de sua carreira.

  • 1898 - Com Morgan frequentemente ausente — na impossibilidade de serem enfrentadas uma série de dificuldades financeiras e técnicas —, o atelier de Fulham é fechado e a parceria com Ricardo dissolvida.

  • 1898 - De Morgan inicia uma nova parceria com três de seus antigos empregados: Frank Iles e os irmãos Passenger.

  • 1906 - Com o êxito de sua primeira novela — Joseph Vance —, inicia uma próspera (segunda carreira) de escritor.

  • 1907 - Dissolve sua sociedade com Frank Iles e os irmãos Passenger, que continuam o negócio por conta própria.

  • 1917 - Após publicar mais algumas novelas de sucesso morre, em Londres, sendo enterrado no cemitério de Brookwood.

LETHABY, William R.
(William R. Lethaby)

 Apesar de sua pouca educação formal, Lethaby tornou-se um educador bem sucedido de arquitetos; professor de Ornamento e Design no Royal College of Arts de 1900 a 1919 e autor de diversos livros. Ao longo de sua carreira, Lethaby manteve-se leal a Morris e a Webb e, através destes, a Ruskin, apesar de reinterpretar alguns aspectos do legado destes autores”.
NELSON, Robert. [2004]
Hagia Sophia, 1850-1950: Holy wisdom modern monument.
Chicago, University of Chicago Press.
 CRONOLOGIA: 
  • 1857 - Nasce em Barnstaple, Devon, Reino Unido.

  • 1877 - Depois de estudar na Royal Academy Schools, em Londres, trabalha sob orientação do arquiteto Richard Norman Shaw.

  • 1881 - Torna-se assistente principal de Richard Norman Shaw.

  • 1884 - Funda, junto com outros 14 arquitetos e designers, a Art-Worker’s Guild.

  • 1889 - Monta seu próprio escritório de arquitetura.

  • 1894 - Lethaby é nomeado Inspetor de Arte do Conselho de Educação Técnica, do recém formado London County Council.

  • 1896 - É indicado para o cargo de co-orientador na Central School of Arts and Crafts, em Londres, onde se tornaria diretor adjunto, permanecendo até 1911.

  • 1900 - Nomeado primeiro professor de Arte, no Royal College of Art.

  • 1915 - Torna-se Membro Fundador da Design and Industries Association.

  • 1931 - Morre, na Inglaterra, aos 74 anos.

MORRIS, William
(William Morris)

 Apolítico ferrenho, Rossetti influenciou Morris a silenciar sua inconveniente consciência social e a adotar uma filosofia estética do tipo “arte pela arte”. Enfeitiçado por Rossetti, Morris escreveu em 1856: ‘Não consigo interessar-me por temas político-sociais. (...) Não tenho nem o poder e nem a vocação para corrigi-los minimamente. Meu trabalho é a realização de sonhos, de uma maneira ou de outra’.”
BURDICK, John. [2006]
William Morris: Redesigning the World.
New York, New Line Books.
 CRONOLOGIA: 
  • 1834 - Nasce em Walthamstow, distrito localizado ao nordeste de Londres.

  • 1853 - Inicia estudos de Teologia na Universidade de Oxford, lá permanecendo até 1855.

  • 1857 - Inicia-se em pintura, guiado por Dante Gabriel Rossetti.

  • 1858 - Escreve seu primeiro livro de poemas, The Defense of Guinevere and Other Poems.

  • 1862 - Começa a desenhar papéis de parede, atividade em que se destacou.

  • 1864 - Lançados os papéis de parede Daisy, Fruit e Trellis.

  • 1875 - Abre a Morris & Co., loja de venda de produtos de Arts & Crafts.

  • 1877 - Funda a Society for Protection of Ancient Buildings.

  • 1883 - Torna-se membro da Social Democratic Federation; o primeiro Partido Socialista Britânico.

  • 1891 - Estabelece a Kelmscott Press, que produzirá livros a mão, sendo o primeiro título The True Nature of Gothic, de Ruskin. A Kelmscott produzirá 53 títulos de edições limitadas.

  • 1896 - Morre em Londres, aos 62 anos.

MACKMURDO, Arthur
(Arthur Mackmurdo)

 Mackmurdo, em geral, preocupava-se mais com uma reforma do design do que com a mudança do papel do designer (ou do artesão) na sociedade. (...) [Ele] identificava os conflitos na filosofia de Morris, escrevendo em suas anotações pessoais que Morris era incapaz de conceber um plano para uma nova estrutura social, e que seu ‘socialismo não tem uma base filosófica’. Mackmurdo preferia ficar de fora da política, adotando, como muitos arquitetos, uma postura flexível com relação a seus interesses e comissões”.

CUMMING, Elizabeth / KAPLAN, Wendy. [1991]
The Arts and Crafts Movement.
New York, Thames & Hudson, 2004.
 CRONOLOGIA: 
  • 1851 - Nasce em Londres.

  • 1869 - Inicia-se como aprendiz primeiro do arquiteto Chatfield Brooks e, posteriormente, de James Brooks; expoentes do estilo Neogótico.

  • 1874 - Acompanha John Ruskin, que conhecera no ano anterior, a uma viagem à Italia.

  • 1875 - Estabelece um escritório em Londres, onde conhece William Morris e James Abbott McNeil Whistler.

  • 1882 - Funda, com Selwyn Image, Herbert P. Horne e Bernard Creswick, a Century Guild, influenciada por John Ruskin e William Morris.

  • 1884 - Funda o The Hobby Horse, que viria a se tornar um dos periódicos mais influentes da época.

  • 1889 - Constrói partes do Hotel Savoy, em Londres, em parceria com o arquiteto H.Horne.

  • 1904 - Aposenta-se e se muda para Essex, onde passa a se concentrar em escrever e em questões socioeconômicas pelos próximos quase 40 anos.

  • 1942 - Morre, em Essex, aos 91 anos.

VOYSEY, Charles
(Charles Voysey)

 Durante uma década de cada metade de 1900, a inventividade, a simplicidade e a humanidade dos designs de Voysey encantaram e desafiaram mentes artisticas, fossem britânicas, européias ou americanas. Seguidores do Art Nouveau e expoentes do Modernismo o tomaram por inspiração (embora em ambos os casos ele tenha se oposto, tendo pouca simpatia por ambos os movimentos - ou, com o que chamava de "Individualismo", por movimentos em geral).
O’DONNELL, Anne Stewart. [1997]
C. F. A. Voysey: Architect, Designer, Individualist..
 CRONOLOGIA: 
  • 1857 - Nasce em Yorkshire, Inglaterra.

  • 1874 - Torna-se aprendiz do arquiteto J.P. Seddon.

  • 1882 - Monta seu próprio estúdio em Westminster.

  • 1883 - Desenha papéis de parede para a Jeffrey & Co., por indicação de seu amigo A. H. Mackmurdo.

  • 1884 - Junta-se à Art Workers Guild.

  • 1888 - Expõe seus trabalhos com tecidos e papéis de parede na exposição inaugural da Arts and Crafts Exhibition Society, na New Gallery.

  • 1893 - Começa a desenhar papéis de parede para a Essex & Co.

  • 1896 - É construída a Annesley Lodge, em Hampstead, Londres; projetada por Voysey.

  • 1900 - Conclui The Orchard, sua própria casa em Chorley Wood, Hertfordshire.

  • 1915 - Publica Individuality na revista The Studio e na Dekorative Kunst, da Alemanha.

  • 1924 - Torna-se mestre da Master of the Art-Workers Guild.

  • 1940 - Recebe uma medalha de ouro do Royal Institute of British Architects.

  • 1941 - Morre em Winchester, Inglaterra.

GIMSON, Ernest
(Ernest Gimson)

 
 CRONOLOGIA: 
  • 1864 - Nasce em Leicester, na Inglaterra.

  • 1881 - Torna-se aprendiz do arquiteto Isaac Barradale de Leicester, e fica sob sua tutela em seu escritório durante quatro anos.

  • 1883 - Assiste uma palestra sobre “Arte e Socialismo” ministrada pelo influente artista e designer do movimento Arts & Crafts, William Morris. Encantado e inspirado, Gimson chama Morris para conversar e acabam por tornar-se amigos.

  • 1885 - Com experiência profissional na área de arquitetura e bons resultados na Escola de Arte de Leicester, se muda para Londres. Sem perder o contato com Morris, Gimson entra para o estúdio de arquitetura de J. D. Sedding, onde se apaixona pelo Arts & Crafts.

  • 1889 - Entra para a Sociedade de Proteção a Construções Antigas de William Morris.

  • 1890 - Funda, junto de Sidney Barnsley, William Lethaby e outros designers a companhia de mobílias Kenton & Co., seguindo os ensinamentos de Philip Webb sobre a criação de objetos.

  • 1893 - Se muda para Gloucestershire com os irmãos Barnsley onde abrem uma oficina. Mais tarde, passam a contratar outros artesãos habilidosos para a firma, dentre eles, Peter van der Waals.

  • 1900 - Abre uma pequena oficina de móveis em Cirencester, mais tarde se mudando para lojas maiores. Tem como objetivo incentivar a comunidade o do vilarejo para transformá-lo em uma vila de artesãos.

  • 1908 - Cria uma competição em busca do melhor projeto para a construção da cidade de Camberra, capital da Austrália. Uma dupla de arquitetos americanos vence com a melhor planta.

  • 1916 - Rejeita um convite para fazer parte da Associação de Design Industrial, por sua forte resistência ao trabalho com máquinas.

  • 1918 - Realiza seu último grande projeto, a Biblioteca Memorial na Escola de Bedales, em Hampshire.

  • 1919 - Morre aos 55 anos em Sapperton, na Inglaterra.

CLARKE, Harry
(Harry Clarke)

 
 CRONOLOGIA: 
  • 1889 - Nasce em Dublin, Irlanda. Filho de um decorador de igrejas, Harry cresceu em torno de muitas escolas de arte.

  • 1905 - Deixa a universidade de Belvedere após a morte de sua mãe poucos anos antes, e começa a trabalhar como aprendiz no estúdio de seu pai durante o dia e frequentar aulas na Escola de Arte de Dublin à noite.

  • 1910 - Seu vitral “The Consecration of St Mel, Bishop of Longford, by St Patrick” ganha a medalha de ouro na Competição Nacional da Banca de Educação em Londres. A primeira de três medalhas de ouro consecutivas por seus vitrais na Competição Nacional.

  • 1914 - Casa-se com a artista Margaret Crilley e, juntos, se mudam para Londres, onde Harry começa a trabalhar com encomendas de ilustração de livros.

  • 1916 - É impresso seu primeiro projeto completo de ilustração, contendo 16 placas coloridas e mais 24 em meio-tom para o livro “Fairy Tales by Hans Christian Andersen”.

  • 1918 - Entrega nove vitrais encomendados para a Capela de Honan. Seu trabalho magnífico e bem detalhado cimenta sua reputação como um artesão habilidoso e original.

  • 1921 - Morre seu pai, Joshua Clarke, e Harry se muda para seu estúdio na North Frederick Street. Enquanto seu irmão cuida das encomendas de decoração, Harry continua a realizar suas encomendas em vidro, logo tendo seu nome associado a alta qualidade em vitrais.

  • 1923 - É instalado o vitral The Ascension em Brisbane, recebido com grande aclamação.

  • 1927 - Clarke entrega ao Ministro irlandês sua proposta para uma encomenda de vitral contendo oito cenas distintas de obras de escritores irlandeses para a Organização Internacional do Trabalho em Genebra. Sua ideia é rejeitada após serem consideradas impróprias algumas das cenas contendo dançarinas semi-n

  • 1931 - Morre em Coire, Suíça, aos 41 anos de idade.

WEBB, Philip
(Philip Webb)

 George Jack, (…) principal assistente [de Webb], escreveu após sua morte: ‘É como lembrar-se dos raios de sol do passado – eles deleitam e passam, mas também fazem as coisas crescer. Webb foi como os raios de sol; foi, inclusive, tão pouco reconhecido e agradecido quanto eles’."

TODD, Pamela. [2004]
The Arts & Crafts Companion.
New York, Palazzo, 2008.
 CRONOLOGIA: 
  • 1831 - Nasce em Oxford, na Inglaterra.

  • 1846 - Começa seu aprendizado junto ao arquiteto John Billing, em Reading, Berkshire.

  • 1852 - Torna-se assistente do arquiteto George Edmund Street, em Londres.

  • 1856 - Conhece William Morris, de quem se tornará grande amigo.

  • 1858 - Abre sua própria firma de Arquitetura.

  • 1859 - Constrói para William Morris a Red House, em Bexleyheath, Kent; casa que será uma das referências do Movimento Arts & Crafts.

  • 1861 - Ajuda a fundar a Morris, Marshall, Faulkner & Company, firma para a qual executará diversos projetos.

  • 1874 - Inicia o projeto da Igreja (Gótica) de St. Martin, em Brampton; a única Igreja na qual trabalhou. A construção dura quatro anos.

  • 1877 - Funda, com William Morris, a Society for the Protection of Ancient Buildings.

  • 1885 - Junta-se à Socialist League, da qual se tornará Tesoureiro.

  • 1892 - Começa o projeto da Casa Standem, terminado em 1894; um de seus últimos trabalhos.

  • 1900 - Aposenta-se e vai morar no interior da Inglaterra onde viverá modestamente.

  • 1915 - Morre em Worth, Sussex, Inglaterra, aos 84 anos.

COBDEN-SANDERSON, Thomas
(Thomas James Cobden-Sanderson)

 
 CRONOLOGIA: 
  • 1840 - Nasce em Northumberland, na Inglaterra.

  • 1882 - Casa-se com Anne Cobden, e passa a usar junção do nome Cobden-Sanderson.

  • 1884 - Abre uma oficina e abandona a prática do Direito.

  • 1893 - Abre a Doves Bindery em Hammersmith, Londres, batizando-a com o nome de um pub próximo, The Dove.

  • 1900 - Cria a Doves Press, da qual Emery Walker se torna sócio. Walker supervisiona a criação da Doves Type, fonte usada em todos os livros impressos por eles.

  • 1901 - Publica o manifesto sobre a estética do livro The Ideal Book (ou Book Beautiful).

  • 1909 - Cobden-Sanderson e Walker dissolvem sua parceria, entrando em disputa pelos direitos da Doves Type.

  • 1917 - A Doves Press, depois de ter publicado em torno de cinquenta obras notáveis, fecha suas portas.

  • 1922 - Morre aos 81 anos.

Ooops!
Não encontramos resultados
com essa pesquisa.