• Escola de Nancy

  • Escola de Nancy

    Escola de Nancy

    Victor Prouvé
    Portrait de Monsieur et Madame Corbin, 1906

    ATUAÇÕES

    • França

    Revendiquant sa filiation avec l'exposition de 1984, l'École de Nancy, Alliance provinciale des industries d'art, fut fondée le 13 février 1901. L'apellation officielle de cette association souligne la place prépondérante qu'elle accordait à l'industrie. "Sorte de syndicat des industriels d'art et des artistes décorateus", l'École de Nancy était dominée par un groupe d'artistes travailant dans le même sens et partageand un certain nombre d'idéaux, esthétiques notamment. Dans les statuts, les qualificatifs qui accompagnent les noms de chacun des membres du comité directeur sont particulièrement significatifs de l'ambition de l'association: son président, Émile Gallé, est présenté en tant que "céramiste, fabricant de meubles et maître de verreries". Antonin Daum est également "maître de verreries" alors que Louis Majorelle est "fabricant de menuiseries d'art". C'est donc bien en tant que "producteurs" d'objets que ces personnalités souhaitent d'abord se présenter et non en tant qu'artistes. Si Émile Gallé fut désigné président, c'est non seulement parce qu'il jouissant d'une réputation qui dépassait déjà largement les frontières lorraines, mais également parce qu'il était l'archétype de cet artiste industriel que l'association entendait promouvoir. Gallé était alors à la tête d'ateliers où environ deys cents personnes produisaient céramique, verrerie et mobilier à l'aide d'outils modernes qui permettaient d'en améliorer le rendement. Gallé était en outre celui qui avait peut-être le mieux compris l'avantage que pourraient tirer les industriels et artistes lorrains à s'unir face à la concurrence internationale: "Après l'Exposition de 1900, l'évidence apparaît du danger qu'il y aurait pour nos ateliers lorrains à rester sans liens, en présence, du relèvement universel des industries d'rt dans le monde [...]"

    DOUCET, Hervé [2018]
    L'École de Nancy. Alliance Provinciale des Industries d'Art
    In: L'École de Nancy. Art Nouveau et Industrie d'Art
    Musée de L'École de Nancy/Somogy Éditions d'Art, Paris, 2018. p. 13-14

    OBRAS

    Louis Majorelle
    Fauteuil, c. 1898
    © RMN-Grand Palais (musée d'Orsay) / René-Gabriel Ojéda

    Émille Gallé
    Lâmpada de mesa Glicínia, c. 1920
    © Christie's / SOLICITAR PERMISSÃO

    Antonin e Auguste Daum
    Vaso Feuilles d'Automne, 1919

    Jacques Grüber
    Cúpula em vitrais do Gran Hotel Ciudad de Mexico
    © Fotografia de Alberto Quiñones (detalhe), 2016

    A respeito da utilização das imagens leia o tópico Direitos de Propriedade Intelectual na página Termos de Uso.

  • LEFUEL, Hector

  • LEFUEL, Hector

    Hector Lefuel

  • ROHLFS, Charles

  • ROHLFS, Charles

    Charles Rohlfs

    Charles Rohlfs (1853 - 1936)

    8

    ATUAÇÕES

    ATUAÇÕES

    • Designer de Móveis
    • Marceneira(o)

    Meus designs são meus. Eu os desenvolvo. Eles não são como os de qualquer outra época ou pessoa... Eu não leio Ruskin, nem ninguém, nem nada que poderia influenciar minhas ideias. Eu nunca as tiro de livros... Elas são minhas e, em sua execução, deposito todo meu coração e força, e é por isso que são encantadoras".

    ROHLFS, Charles [1900]
    House Beautiful
    edição de Janeiro

    CRONOLOGIA

    • 1853 - Nasce no Brooklyn, NY. Seu pai era marceneiro.
    • 1872 - Atua como designer de fogões de ferro fundido, tendo recebido sua formação na Cooper Union. Mais tarde, iniciaria uma carreira como ator profissional.
    • 1884 - Casa-se com Anna Katherine Green, autora de romances policiais de sucesso. Tentando ganhar a aprovação da família de Anna, desiste dos palcos e passa a trabalhar gerenciando uma fundição.
    • 1887 - Muda-se para Buffalo com a mulher e dois filhos pequenos. Começa a fabricar, junto a Anna, cadeiras e bancos para uso próprio.
    • 1889 - Estabelece um pequeno empreendimento no sótão de sua casa, chegando a empregar oito funcionários que o apoiavam na produção de artefatos os mais diversos: de mesas massivas a suportes de vela.
    • 1902 - Participa da International Exhibition of Modern Decorative Arts [Exibição Internacional de Artes Decorativas Modernas] em Turin, na Itália. Após a exibição, Rohlfs é admitido na Royal Society of Arts [Real Sociedade das Artes], em Londres, e recebe a encomenda de um conjunto de cadeiras para o Buckingham Palace.
    • 1907 - Apesar de aclamado pela crítica, a mudança de gostos e as baixas vendas ameaçam a viabilidade econômica do empreendimento. No ano de 1907, Charles encerra suas atividades como designer e passa a atuar ativamente em prol de causas cívicas.
    • 1909 - Lidera a Câmara do Comércio de Buffalo. Defende a implementação de reformas trabalhistas e faz campanha contra o trabalho infantil.
    • 1936 - Falece em Buffalo, no dia 30 de Junho, tendo passado seus últimos anos como um respeitado assessor político e membro de uma série de organizações cívicas.

    OBRAS

    Candlestick [Castiçal], 1904

    Hall Chair, 1904.
    © Foto cedida pelo Milwaukee Art Museum.

    Cadeira, 1901
    Comprado do Mary Blackwelder Memorial Fund pelo Smithsonian Design Museum

    Banco, 1898-99

    A respeito da utilização das imagens leia o tópico Direitos de Propriedade Intelectual na página Termos de Uso.

  • PICASSO, Pablo

  • PICASSO, Pablo

    Pablo Picasso (1881-1973)

    8

    ATUAÇÕES

    REFERÊNCIAS DO CURSO

    OBRAS

    Les Demoiselles d'Avignon, 1907.

    Boy Holding a Blue Vase, 1905.

    Gurernica, 1937.

    The Chicago Picasso, 1967.

    A respeito da utilização das imagens leia o tópico Direitos de Propriedade Intelectual na página Termos de Uso.

    ARBUTHNOT, Malcolm

    DRAISMA, Eibert

    CHIRICO, Giorgio de

    EAMES, Charles e Ray

  • SERRURIER-BOVY, Gustave

  • SERRURIER-BOVY, Gustave

    Gustave Serrurier-Bovy

    Gustave Serrurier-Bovy (1858 - 1910).

    8

    ATUAÇÕES

    ATUAÇÕES

    • Arquiteta(o)
    • Designer de Móveis

    CRONOLOGIA

    • 1858 - Nasce em Liège, Bélgica.
    • 1874 - Ingressa na Academia de Belas Artes de Liège, onde entra em contato com Auguste Donnay, os irmãos Berchman e Armand Rassenfosse.
    • 1882 - Trabalha com seu pai, Louis Serrurier, na construção de uma capela neogótica no Chateau de Chaityfintaine.
    • 1884 - Viaja a Londres, onde é desperto seu interesse pelo movimento Arts & Crafts. Essa nova influência fica aparente em seus trabalhos posteriores.
    • 1888 - Até então arquiteto em Liège, volta-se para o comércio e produção de móveis.
    • 1894 - Co-funda o Salon de La Libre Estétique, em Bruxelas, e apresenta o Cabinet de Travail.
    • 1895 - Organiza L’Oeuvre Artistique, em Liège, uma exposição internacional de artes aplicadas.
    • 1897 - Participa da Exposição Internacional de Bruxelas, junto com Henry Van de Velde e Paul Hankar.
    • 1899 - Em Paris, abre uma loja de varejo chamada L’Art dans L’Habitation.
    • 1900 - Participa da Exposition Universelle de Paris, onde constrói, com seu parceiro R. Dulong, o restaurante de luxo Pavillon Bleu.
    • 1901 - Visita a Colônia de Artistas de Darmstadt, o que o aproxima da Secessão Vienense.
    • 1903 - Constrói Villa L’Aube, sua residência pessoal.
    • 1905 - Participa da Exposition Universelle et Internationale de Liège, mostrando não só móveis luxuosos mas também peças originais, adequadas à vida de trabalhadores comuns.
    • 1910 - Morre na Antuérpia, Bélgica.

    OBRAS

    Protetor de lareira, ca. 1909.

    Armário-vitrine, 1899.

    Guarda-roupa de mogno, 1899.

    Villa l'Aube, 1903.

    A respeito da utilização das imagens leia o tópico Direitos de Propriedade Intelectual na página Termos de Uso.

  • Stile Liberty

  • MURDOCH, Peter

    URQUIOLA, Patricia

    GEDDES, Norman Bel

  • IMAGE, Selwyn

  • IMAGE, Selwyn

    Selwyn Image (1849 - 1930)

    8

    ATUAÇÕES

    ATUAÇÕES

    • Designer
    • Designer de Móveis
    • Designer deTexteis
    • Escritor
    • Ilustrador(a)
    • Poeta
    • Vitralista
  • MACKINTOSH, Charles R.

  • MACKINTOSH, Charles R.

    Charles Rennie Mackintosh

    Charles R. Mackintosh (1868 - 1928)

    8

    ATUAÇÕES

    ATUAÇÕES

    • Arquiteta(o)
    • Designer

    "A influência de Mackintosh pode ser percebida nos complexos e delicados ornamentos de ferro fundido de Antoni Gaudí, encontrados em diversas de suas construções em Barcelona. Também pode ser vislumbrada nas peças de Hector Guimard, que ainda adornam o Metrô de Paris.”

    TODD, Pamela. [2004]
    The Arts and Crafts Companion.
    London, Thames & Hudson

    CRONOLOGIA

    • 1868 - Nasce em Glasgow, Escócia.
    • 1883 - Ingressa na Glasgow School of Arts.
    • 1884 - Torna-se aprendiz do arquiteto John Hutchison, trabalhando ao seu lado por cinco anos.
    • 1889 - Trabalha no escritório Honeyman & Keppie, onde conhece Herbert MacNair.
    • 1894 - Realiza projetos com MacNair e as irmãs Margaret e Frances Macdonald. Juntos, eles passam a ser conhecidos como o grupo “The Four”.
    • 1895 - Projeta a Martyrs' Public School.
    • 1896 - Ganha o concurso para projetar o novo prédio da Glasgow School of Arts.
    • 1897 - Projeta a Queen’s Cross Church em Glasgow.
    • 1899 - Projeta a casa Windyhill em Kilmacolm, para seu amigo William Davidson.
    • 1900 - Casa-se com Margaret Macdonald.
    • 1902 - É chamado para construir a Hill House em Helesburgh, para o editor Walter Blackie.
    • 1914 - Muda-se para Londres, onde passa a trabalhar projetando móveis e fazendo design de interiores.
    • 1920 - Abandona a arquitetura para dedicar-se à pintura.
    • 1923 - Muda-se para Port Vendres, sul da França, onde pinta uma série de aquarelas.
    • 1928 - Morre em Londres, aos 60 anos, vítima de câncer.

    OBRAS

    The Harvest Moon, 1892.

    Prédio da Scotland Street School, Glasgow, 1906.

    Armário, 1902

    The Fort, 1926.

    A respeito da utilização das imagens leia o tópico Direitos de Propriedade Intelectual na página Termos de Uso.

  • BLAST

  • BLAST

  • CHÉRET, Jules

  • CHÉRET, Jules

    Jules Chéret

    Jules Chéret (1836 - 1932)

    8

    ATUAÇÕES

    ATUAÇÕES

    • Cartazista
    • Designer de Interiores
    • Ilustrador(a)
    • Litogravurista
    • Pintor(a)

    Jules Chéret é considerado o 'pai do pôster moderno'. Como litógrafo, impressor, projetista, pintor, designer de interiores e ilustrador, ele era uma figura preeminente no meio artístico e literário parisiense da virada do século. Tendo a litografia colorida como suporte, Chéret tornou o pôster promocional uma arte em si mesma, contribuindo com sua vasta produção de cartazes coloridos para a transformação do cenário urbano da capital da Arte, Paris.

    BUHRS, Michael [2011]
    Jules Chéret: Pionier der Plakatkunst/Pioneer of Poster art
    Arnoldsche Art Publishers, p. 8

    CRONOLOGIA

    • 1836 - Nasce em Paris, França.
    • 1849 - Começa a trabalhar como aprendiz de litógrafo.
    • 1852 - Seu interesse por Pintura faz com que ingresse na École Nationale de Dessin.
    • 1858 - Produz seu primeiro cartaz colorido, para a ópera Orphée aux Enfers de Jacques Offenbach.
    • 1859 - Viaja para Londres, onde continua trabalhando como litógrafo na editora de Cramer, produzindo capas de livros e desenhando para The Maple Furniture Company.
    • 1866 - Retorna a Paris para abrir uma oficina litográfica, recebendo o apoio de Eugene Rimmel, com quem trabalhou pouco tempo antes.
    • 1869 - Introduz um novo sistema de impressão em Paris, a partir de três pedras; o que o torna pioneiro na criação de cartazes publicitários para empresas de bebidas, cosméticos e companhias ferroviárias.
    • 1889 - É realizada a primeira exposição individual de seus cartazes, no teatro de La Potinière, em Paris. No mesmo ano, recebe medalha de ouro na Exposition Universelle.
    • 1890 - É condecorado pelo governo francês com a Légion d'honneur por sua contribuição para as Artes Gráficas.
    • 1895 - Cria a coleção Chéret Maîtres de l'Affiche, uma publicação de arte com reproduções (em tamanho menor) dos melhores trabalhos de noventa e sete artistas parisienses, entre eles Eugène Grasset e Dudly Hardy.
    • 1912 - É realizada exibição em retrospectiva de sua obra no Museu do Louvre.
    • 1928 - O governo francês inaugura em Nice o Musée des Beaux-Arts Jules Chéret, também conhecido como Musée Chéret.
    • 1932 - Morre, aos 96 anos, em Nice.

    OBRAS

    Poster Fêtes de Nice, 1907.

    Pastilles Poncelet, 1896-1900.

    Théâtre des Nouveautés - Fatinitza, 1879.

    Casino de Paris, 1891.

    A respeito da utilização das imagens leia o tópico Direitos de Propriedade Intelectual na página Termos de Uso.

  • DRESSER, Christopher

  • DRESSER, Christopher

    Christopher Dresser

    Christopher Dresser (1834 - 1904).

    8

    ATUAÇÕES

    ATUAÇÕES

    • Designer
    • Teórica(o)

    Chistopher Dresser foi um Vitoriano de origem humilde que rompeu as fronteiras dos privilégios de classe para reivindicar seu lugar como o primeiro designer da era industrial a ter o lar como prioridade. A mensagem de Dresser era de que bens baratos e acessíveis não precisavam ser feios.


    LYONS, Harry. [2005]
    Christopher Dresser: The People's Designer.
    London, Antique Collectors' Club

    CRONOLOGIA

    • 1834 - Nasce em Glasgow, Escócia.
    • 1847 - Começa a estudar na Government School of Design em Londres, onde conhece artistas notáveis da época como Henry Cole, Richard Redgrave e seu mentor, Owen Jones.
    • 1854 - Começa a lecionar botânica na Government School of Design.
    • 1856 - Contribui com a placa XCVIII para a famosa publicação A Gramática do Ornamento de Owen Jones e seguiu estudando sobre botânica, chegando a publicar livros do assunto.
    • 1859 - Recebe um doutorado no campo de botânica da Universidade de Jena, Alemanha por suas contribuições.
    • 1860 - Abre um estúdio de design.
    • 1862 - Publica um manifesto de design chamado A Arte do Design Decorativo; expõe seus trabalhos na Exibição Internacional de Londres.
    • 1876 - Se torna o primeiro designer europeu a ser enviado ao Japão pelo governo britânico levando um presente para o recém-inaugurado Museu Nacional em Tokyo. Lá aprofunda seu conhecimento e interesse pelas formas e arte japonesa e aprende novas técnicas de manufatura e criação.
    • 1880 - Abre sua Art Furnishers' Alliance no centro do distrito de luxo em Londres, próxima a outras grandes companias como Morris & Co., Liberty's, The Fine Art Society e a Grosvernor Gallery.
    • 1883 - A compania de Dresser fecha devido a problemas financeiros e sua saúde declinante.
    • 1904 - Morre aos 70 anos, em Mulhouse, França.

    OBRAS

    The Wave Bowl.

    Terrina de sopa e concha, c. 1878.

    Chaleira, 1879.

    Ornamento em estilo árabe, 1876.

    A respeito da utilização das imagens leia o tópico Direitos de Propriedade Intelectual na página Termos de Uso.

  • VON FERSTEL, Heinrich

  • VON FERSTEL, Heinrich

    Heinrich von Ferstel

    Heinrich von Ferstel (1828 - 1883).

    8

    ATUAÇÕES

    ATUAÇÕES

    • Arquiteta(o)
    • Professor(a)

    “Heinrich Ferstel (...) um ‘vigário de Bray’ [personagem dos Cantebury Tales de Geoffrey Chaucer que muda seus princípios de acordo com as necessidades de manter-se em seu cargo] mesmo entre os arquitetos politicamente flexíveis de então, dominava todas as variedades históricas da chamada ‘arquitetura de estilo’ capaz es de responder às alterações de gosto que acompanhavam as alterações de poder político. Filho de um banqueiro, Ferstel tivera seu ímpeto juvenil como revolucionário da Legião Acadêmica de 1848, mas logo emendou esse começo malogrado trabalhando como arquiteto para a aristocracia boêmia dos anos conservadores de 1850. Contando com o patronato de um desses aristocratas, conde Thun, Ferstel alcançou fama como arquiteto da Votivkirche [igreja construída em agradecimento ao malogro de uma tentativa de assassinato do Imperador Franz Joseph]”.

    SCHORSKE, Carl E. [1961]: Fin-de-Siècle Vienna.
    São Paulo, Cia. das Letras, 1989.

    CRONOLOGIA

    • 1828 - Nasce em Viena, filho de um funcionário (e posteriormente diretor) de banco.
    • 1845 - Matricula-se na Architekturschule der Akademie der bildenden Künste [Academia de Arquitetura e Escola de Belas Artes].
    • 1849 - Ingressa no estúdio de seu tio — Friedrich August Stache, importante arquiteto historicista —, onde iniciará sua carreira.
    • 1854 - Concorre com setenta e quatro outros arquitetos para projetar a Votivkirche, a ser construída em Viena.
    • 1856 - Início da construção da Votivkirche — que terminará em 1879.
    • 1866 - Nomeado Professor Titular de Engenharia Estrutural no Polytechnischen Institut de Viena.
    • 1869 - Inicia a construção do Museum für angewandte Kunst — o Museu de Artes Aplicadas. A obra receberá outras ampliações.
    • 1877 - Recebe a encomenda de projetar, na Ringstrasse, o prédio novo da Universidade de Viena (a terceira mais antiga da Europa). A obra será concluída um ano após sua morte.
    • 1879 - Recebe o título de Freiherr (Barão) do Imperador da Áustria.
    • 1883 - Morre em Grinzing, nos subúrbios de Viena. Deixa como legado não apenas uma série de edifícios públicos importantes na Ringstrasse como também casas e igrejas em diversos locais da Áustria e da Europa.

    OBRAS

    Igreja Votiva, Viena 1890 - 1900.

    Interior do o altar-mor da Schottenkirche, Viena.

    Fonte na antiga construção do banco Austro-Hungaro.

    Palácio de Lloyd Triestino em Trieste, Italia, 1879.

    A respeito da utilização das imagens leia o tópico Direitos de Propriedade Intelectual na página Termos de Uso.

    STELLA, Frank

  • VILASECA, Josep

  • VILASECA, Josep

    Josep Vilaseca i Casanovas

    Josep Vilaseca i Casanovas (1848 - 1910).

    8

    ATUAÇÕES

    ATUAÇÕES

    • Arquiteta(o)

    CRONOLOGIA

    • 1848 - Nasce em Barcelona, na Espanha.
    • 1873 - Forma-se em Arquitetura em Madrid e viaja junto com seu amigo Lluís Domènech para Alemanha, França, Suiça, Áustria e Itália para conhecer as tendências arquitetônicas.
    • 1874 - Torna-se professor na Escola d'Arquitectura de Barcelona.
    • 1879 - Projeta, junto com Francesc Vidal, o Atelier de Artes do mesmo.
    • 1885 - Projeta o Mausoléu da família Batlló, a Casa Pla e a Casa Bruno Cuadros, todos com clara influência Egípcia.
    • 1888 - Constrói o Arc de Triomf de Barcelona para a Exposição Universal de Barcelona de 1888.
    • 1910 - Morre, aos 62 anos, em Barcelona na Espanha.

    OBRAS

    Detalhe da fachada da Casa Pia Batlló, 1896

    Casa Comas d'Argemir, 1904

    Arc de Triomf de Barcelona, 1888

    Mausoléu da família Batlló i Batlló, Esculturas de Manel Fuxá, 1889

    A respeito da utilização das imagens leia o tópico Direitos de Propriedade Intelectual na página Termos de Uso.

  • Studio 65

  • BEDIN, Martine

    TSCHUMI, Bernard

  • GUIMARD, Hector

  • GUIMARD, Hector

    Hector Guimard

    Hector Guimard (1867 - 1942)

    8

    ATUAÇÕES

    ATUAÇÕES

    • Arquiteta(o)
    • Designer
    • Designer de Móveis

    Como fica evidente no design das entradas para o Paris Métro, [Hector] Guimard era um prodígio no uso de ferro fundido. Não eram todos os seus contemporâneos que tinham algum apreço por essa tecnologia, frequentemente tida como vulgar e alheia à Arte. Entretanto, Guimard era um artista, um architecte d'art anarquista, como referia-se a si próprio, capaz de dar forma aos seus mais criativos e expressivos trabalhos utilizando precisamente esse material, do qual seu professor [Eugène] Viollet-le-Duc fizera uso extensivamente. (...)

    Ele concebeu seus designs originais para o Castel Béranger (...) em estilo Neo-Gótico. No entanto, viagens à Inglaterra e à Bélgica realizadas em 1894 fizeram com que ele, nos anos subsequentes, mudasse gradualmente a decoração e estrutura do Castel Béranger — tornando-o um exemplo clássico de curvilínea e serpenteante fantasia arquitetônica [em estilo Art-Nouveau]. (...) Com suas linhas orgânicas e deslizantes intercaladas com detalhes biomórficos, sua elegância superando até mesmo a das entradas do metrô de Paris, (...) Guimard adquiriu o status de um inventor de formas cuja profunda marca, mesmo no século XX, não escapou a figuras como Picasso e Dalí.

    WOLF, Norbert [2011]
    Art Nouveau
    Prestel Verlag, Munique, 2015. p. 149-150

    CRONOLOGIA

    • 1867 - Nasce em Lyon, França.
    • 1882 - Inicia seus estudos de Arquitetura na École Nationale Supérieure des Arts Décoratifs, em Paris.
    • 1885 - Ingressa na École des Beaux-Arts.
    • 1888 - Desenha o interior do restaurante parisiense Au Grand Neptune.
    • 1891 - Torna-se professor na École des Arts Décoratifs, onde leciona até 1900. No mesmo ano desenha o Hôtel Roszé.
    • 1895 - Faz o Atelier Carpeaux; no mesmo ano projeta a École du Sacré-Coeur, sob influência dos trabalhos de Victor Horta e Viollet-le-Duc.
    • 1896 - Participa de competição para desenhar as entradas das estações do Métro de Paris. Perde, mas consegue o trabalho mesmo assim, devido à apreciação do presidente da companhia ferroviária pelo estilo Art Nouveau.
    • 1898 - Desenha o Castel Béranger, considerado seu primeiro prédio no estilo Art Nouveau; no mesmo ano projeta também a Maison Coilliot e a Villa La Bluette.
    • 1901 - Projeta o Castel Henriette e a Salle Humbert-de-Romans, que conta com inovações estruturais.
    • 1903 - Expõe o pavilhão Le Style Guimard na Exposition Internationale de L’Habitation no Grand Palais, em Paris.
    • 1909 - Casa-se com a artista americana Adeline Oppenheim; no mesmo ano desenha o Hôtel Guimard, cujo arranjo dos espaços interiores diferem de um andar para o outro.
    • 1922 - Funda, sob a presidência de Franz Jourdain, a Société des Architectes Modernes.
    • 1928 - Projeta um edício na rue Greuze em Paris, que acredita-se ser seu último trabalho como arquiteto.
    • 1938 - Muda-se para Nova York.
    • 1942 - Morre aos 75 anos em Nova York, EUA.

    OBRAS

    Hôtel Mezzara, Paris, 1911.

    Vaso, c. 1898.

    Porte Dauphine, 1901, Paris.

    'Banquette de fumoir', 1897.

    A respeito da utilização das imagens leia o tópico Direitos de Propriedade Intelectual na página Termos de Uso.

  • HOHENSTEIN, Adolfo

  • HOHENSTEIN, Adolfo

    Adolf Hohenstein

    Adolfo Hohenstein.

    8

    ATUAÇÕES

    ATUAÇÕES

    • Cenógrafa(o)
    • Ilustrador(a)
    • Pintor(a)

    OBRAS

    Capa da primeira edição da partitura de piano da ópera Tosca, de Puccini.

    Pôster de propaganda dos fabricantes de sabonete Chiozza e Turchi, de 1899.

    Pôster de propaganda Fiammiferi senza fosforo del Dottor Craveri.

    Projeto para o cenário do segundo ato da estréia de La bohème

    A respeito da utilização das imagens leia o tópico Direitos de Propriedade Intelectual na página Termos de Uso.

  • BALLA, Giacomo

  • BALLA, Giacomo

    Giacomo Balla (1871-1958)

    8

    ATUAÇÕES

    REFERÊNCIAS DO CURSO

    OBRAS

    Dinamismo di un cane al guinzaglio, 1912.

    Landscape, 1913.

    Lampada ad Arco, 1909.

    Transformación Forma-espíritu, 1918.

    A respeito da utilização das imagens leia o tópico Direitos de Propriedade Intelectual na página Termos de Uso.

  • COLONNA, Édouard

  • COLONNA, Édouard

    Édouard Colonna

    Édouard Colonna (1862 - 1948)

    8

    ATUAÇÕES

    ATUAÇÕES

    • Arquiteta(o)
    • Designer de Jóias
    • Designer de Móveis
    • Designer Têxtil

    "Como designer de móveis, Eugène Colonna [sic] situa-se entre (...) [Eugène Gaillard e Georges De Feure]. Menos dinâmico do que Gaillard, mostra-se tão elegante como De Feure no que este tem de melhor; mas sua decoração é mais calma e mais austera do que a de ambos. De Feure e Colonna também trabalharam com têxteis e com porcelana”.

    Madsen, Stephan Tchudi. [1956]
    The Art Nouveau Style.
    New York, Dover Publications

    CRONOLOGIA

    • 1862 - Nasce, em Colônia, Alemanha, o primeiro filho do segundo casamento de Karl Edouard Klonne. A criança mais tarde assumirá o pseudônimo de Edward (Édouard) Colonna.
    • 1877 - Vai para Bruxelas, onde termina seus estudos de arquitetura em 1881.
    • 1882 - Muda-se para Nova Iorque, onde trabalha na Tiffany's Associated Artists por pouco tempo.
    • 1884 - Começa a trabalhar para o escritório de arquitetura de Bruce Price, em Nova Iorque.
    • 1885 - Passa a trabalhar para um dos maiores clientes da Bruce Price
    • 1888 - Casa-se com Louise McLaughlin, com quem tem um filho. O casamento não dura muito tempo. Neste mesmo ano deixa a Barney & Smith.
    • 1889 - Muda-se para Montreal, Canadá, onde abre seu escritório. Um de seus maiores clientes
    • 1897 - Com o fim da expansão ferroviária, desliga-se da Canadian Pacific Railway.
    • 1898 - Muda-se para a Europa, estabelecendo-se em Paris onde começa a trabalhar como designer para a Maison de l’Art Nouveau, de Siegfried Bing.
    • 1898 - Tem início o ápice da carreira de Collona, que perdura até 1902. Collona desenha jóias, produtos têxteis, móveis e participa da Exposição Universal de Paris, de 1900.
    • 1903 - Com a decadência do da galeria de Bing, Collona não consegue manter-se no ramo.
    • 1905 - Declínio do Art Nouveau e a morte de Siegfried Bing: Colonna volta ao Canadá, fixando-se em Toronto.
    • 1923 - Aos 61 anos muda-se para Nice, no Sul da França. Sua saúde torna-se frágil.
    • 1928 - Com a total deterioração de sua saúde, fica paralisado e confinado à sua cama, onde passará seus últimos anos.
    • 1948 - Morre, aos 86 anos, em Nice.

    OBRAS

    Cadeira Art Nouveau para Siegfried Bing, 1899.

    Jarro, 1899.

    Bacia, 1895.

    Pingente, ca. 1900

    A respeito da utilização das imagens leia o tópico Direitos de Propriedade Intelectual na página Termos de Uso.

    SAARINEN, Eero

  • LÖFFLER, Berthold

  • LÖFFLER, Berthold

    Bertold Löffler

    Berthold Löffler (1874 - 1960).

    8

    ATUAÇÕES

    ATUAÇÕES

    • Ceramista
    • Designer
    • Designer Gráfico
    • Pintor(a)

    [Bertold] Löffler, embora fosse essencialmente um artista gráfico, era o parceiro de Michael Powolny na Wiener Keramik (...). Löffler e [Otto] Czeschka possuíam ambos, em igual medida, um forte senso para a expressão gráfica e talento para o decorativo — um interesse duplo pela delicadeza lúdica [da confecção de peças artesanais] e pelo refinamento expressivo da forma plana [no design gráfico]. Possivelmente [num gesto] da maior importância para o período que se seguiu à fase purista da Werkstätte, os dois reintroduziram a figura humana como um meio representacional e estético em si próprio — algo que viria a ser crucial para a nascente geração Expressionista.

    KALLIR, Jane. [1986]
    Viennese Design and the Wiener Werkstaette.
    Galerie St. Etienne/George Braziller, Inc. p. 129.

    CRONOLOGIA

    • 1874 - Nasce em Liberec.
    • 1890 - Inicia os estudos na Kunstgewerbeschule, onde estudou com Carl Czeschka, Adreas Groll e Koloman Moser.
    • 1900 - Adquire sua primeira experiência profissional fazendo Allegorien und Embleme, neue Folge, para Martin Gerlach.
    • 1904 - Começa a lecionar na Kunststuckereischule, em Viena.
    • 1906 - Funda a Wiener Keramik juntamente com Michael Powoly. Na fábrica eles optam por utilizar argila ao invés de porcelana.
    • 1907 - Substitui Czeschka na Kunstgewerbeschule, na aula de pintura e impressão, quando o mesmo vai para Hamburgo, lecionando para Oskar Kokoschka and Rudolf Kalvach. Löffler permanece no cargo até 1935.
    • 1912 - Elabora uma exposição para uma sala na exibição de primavera do Vienna's Museum for Art and Industry.
    • 1926 - Faz pinturas em alguns retábulos na Kirche Am Schüttel, em Viena.
    • 1935 - Se aposenta da profissão como professor.
    • 1960 - Morre em Viena.

    OBRAS

    pôster para a Kunstschau, 1908

    pôster Künstlerhaus Weihnacht Schau, 1930

    Untitled

    alegoria Sport und Wissenschaft, 1897

    A respeito da utilização das imagens leia o tópico Direitos de Propriedade Intelectual na página Termos de Uso.

  • ELLIS, Harvey

  • ELLIS, Harvey

    Harvey Clinton Ellis

    Harvey Clinton Ellis
    (1852 - 1904)

    8

    ATUAÇÕES

    ATUAÇÕES

    • Arquiteto
    • Designer de Móveis
    • Pintor(a)

    Muito da vida e do pensamento do designer permanece um enigma — e é dessa forma que [Harvey] Ellis presumidamente desejava que fosse. Descrito por amigos e colegas como um "gênio errante" e um "arquiteto poético", ele bebia exageradamente, o que pode ter levado à sua morte precoce em 1904, aos 52 anos. Suas excentricidades e a falta de uma ambição que o instigasse podem muito bem ter lhe custado o amplo reconhecimento de que muitos agora acreditam que era merecedor. Seu nome era conhecido por todos do ramo, desde os anos 1880 até bem depois de 1900. Construções espalhadas por todo o norte do estado de Nova York e ao longo do Meio Oeste carregam a forte marca de seu design, embora tenham sido atribuídas a seus empregadores.

    REIF, Rita [1981]
    Antiques: The Subtle Artistry of the Mission Furniture of Harvey Ellis
    The New York Times (nytimes.com)
    (Último acesso: 30/08/2019)

    CRONOLOGIA

    • 1852 - Nasce em Rochester, N.Y., primogênito de uma família próspera. Ainda criança, demonstra possuir uma aptidão artística fora do comum.
    • 1872 - É dispensado do West Point [Academia Militar dos Estados Unidos]. De acordo com os registros oficiais, o motivo teria sido o desempenho acadêmico insatisfatório de Ellis.
    • 1877 - Passa os cinco anos que se seguem à expulsão transitando entre Albany, Nova York e Rochester. Trabalha meio período como projetista para uma firma de Engenharia. Em 1877, ajuda a estabelecer o Rochester Art Club [Clube de Artes de Rochester], do qual participaria ativamente nos próximos anos.
    • 1879 - Em paralelo a sua atuação como artista, professor de arte e membro ativo do Rochester Art Club , decide abrir um escritório de arquitetura em parceria com o irmão mais novo, Charles. A empreitada seria bem sucedida, recebendo várias encomendas de edifícios no estilo Queen Anne.
    • 1885 - Harvey casa-se e faz uma viagem à França, onde entra em contato com construções medievais e produz uma série de esboços em aquarela.
    • 1886 - Deixa o irmão em Rochester e viaja para St. Paul, primeira parada de suas andanças pelo Meio Oeste. Pelos próximos sete anos mudaria-se constantemente, migrando para cidades nas quais houvesse grandes competições de design e trabalhando para diversas firmas do ramo.
    • 1887 - Começa a trabalhar para LeRoy Sunderland Buffington, dono do maior escritório de arquitetura do estado de Minnesota. Esse e outros empregadores seriam os responsáveis por enviar os desenhos em perspectiva de Harvey para revistas especializadas. O sucesso das ilustrações publicadas fariam de Ellis referência nacional.
    • 1893 - Em meio ao Pânico de 1893, um duro golpe para as firmas de arquitetura do meio oeste, Ellis retorna a Rochester. Volta a trabalhar em parceria com o irmão na Charles S. Ellis and Harvey Ellis, Architects. Produz, nesse período, um grande número de pinturas.
    • 1897 - A influência do Arts & Crafts inglês começa a transparecer em suas criações. No ano de 1897, ajuda a fundar a Rochester Arts & Crafts Society. Seu interesse no movimento se estenderia pelo resto de sua vida.
    • 1903 - Conhece Gustav Stickley por ocasião de uma exposição na Rochester Arts & Crafts Society, da qual Ellis era presidente. Publica seus designs arquitetônicos na The Craftsman [O Artífice], revista mensal de Stickley.
    • 1904 - Falece em Syracuse, N.Y., tendo passado os últimos meses de sua vida trabalhando para Gustav Stickley.

    OBRAS

    Music Cabinet. Circa 1903

    Desenho da Samuel C. Gale House, 1888

    Pillsbury Hall. 1889

    Louis Smith Tainter House, 1889

    A respeito da utilização das imagens leia o tópico Direitos de Propriedade Intelectual na página Termos de Uso.

    Arts & Crafts

    RAMS, Dieter

    DE FABRIS, Emilio

    MARTINI, Alberto

    AICHER, Otl

  • MACDONALD, Margaret

  • MACDONALD, Margaret

    Margaret MacDonald

    Margaret Macdonald (1865 - 1933)

    8

    ATUAÇÕES

    ATUAÇÕES

    • Designer
    • Designer Gráfico
    • Pintor(a)

    CRONOLOGIA

    • 1864 - Nasce próxima a Wolverhampton, na Inglaterra.
    • 1877 - Entra para uma progressiva escola local, a Orme Girls’ School, onde estuda arte com um pintor da Academia Real.
    • 1890 - Entra na Escola de Arte de Glasgow, onde torna-se amiga de outros estudantes e artistas, dentre eles Jessie Keppie, Agnes Raeburn, Janet Aitken, Katherine Cameron, Charles Rennie Mackintosh e Herbert McNair. O grupo se autodenomina ‘Os Imortais’.
    • 1894 - Começa a expor seus trabalhos junto de sua irmã, a artista Frances Macdonald, e seus dois colegas, os pintores e arquitetos Charles Rennie Mackintosh e Herbert McNair, os quais juntos formam o grupo The Four. Seus trabalhos são ridicularizados pela crítica por suas figuras “fantasmagóricas”, recebendo a alcunha de Spook School.
    • 1895 - Tem duas de suas pinturas e duas de sua irmã publicadas no livro Yellow Book de Aubrey Beardsley.
    • 1896 - Abre um estúdio com sua irmã Frances em Glasgow. Lá produzem os trabalhos mais variados, indo de pinturas a bordados, posters, painéis em metal e vitrais, dentre outros. No final do ano, o grupo The Four envia seus trabalhos para a Exposição de Arts and Crafts em Londres. As críticas não são boas, mas as obras captam o interesse da revista The Studio.
    • 1900 - Casa-se com o pintor arquiteto Charles Rennie Mackintosh. No mesmo ano, o casal expõe um par de painéis de gesso na Oitava Exposição da Secessão Vienense. A partir deste ano, Margaret inicia um período de trabalhos feitos quase exclusivamente em gesso.
    • 1902 - Exibe seus trabalhos na Exposição Internacional de Arte Moderna Decorativa em Turin. Sua contribuição, chamada Rose Boudoir, inclui painéis de metal para um armário desenhado por seu marido, e dois painéis grandes de gesso. 1903
    • 1903 - Trabalha na decoração das Willow Tea Rooms de Miss Cranston com Charles Rennie.
    • 1909 - Completa seus últimos painéis de gesso, chamados The Four Queens, eles representam as rainhas dos quatro naipes d baralho, e têm um estilo mais angular do que seus painéis anteriores.
    • 1921 - Morre sua irmã Frances Macdonald, um possível suicídio. Com a grande perda, Margaret pinta duas extraordinárias obras intituladas La Morte Parfumee e The Legend of the Blackthorns.
    • 1933 - Morre aos 68 anos em Londres, na Inglaterra.

    OBRAS

    Capa da revista Deutsche Kunst und Dekoration, 1902.

    Cardápio para Miss Cranston Cafe, 1911.

    Painel bordado, 1902.

    The Heart of the Rose, 1901.

    A respeito da utilização das imagens leia o tópico Direitos de Propriedade Intelectual na página Termos de Uso.

  • CRESSENT, Charles

  • CRESSENT, Charles

    Charles Cressent

    8

    ATUAÇÕES

    ATUAÇÕES

    • Burilador
    • Ebanista
    • Escultor
    • Mestre de Fundição

    CRONOLOGIA

    • 1685 - Nasce em Amiens, França, em uma família de artífices. Seu pai, François Cressent, foi Escultor do Rei e seu avô, Charles I Cressent, ebanista.
    • 1714 - Tendo aprendido escultura e buril com seu pai, segue para Paris onde completa seus estudos na Académie de Saint-Luc, formando-se Mestre Escultor no dia 14 de agosto. Trabalha como entalhador para os escultores Girardon e Le Lorrain.
    • 1719 - Casa-se com Claude Chevanne -- viúva de Joseph Poitou, ebanista do duque de Orléans. Sa femme lui apportait un établissement considérable, occupant une suite de quatre maisons sises rue Notre-Dame-des-Victoires et dont la première faisait l’angle de la rue Joquelet (aujourd’hui rue Léon-Cladel). Cressent obtint peu après le même titre que son prédécesseur.
    • 1723 - souvent les ciselait de sa main, malgré les règlements corporatifs qui interdisaient de cumuler deux professions. Plusieurs fois il fut appelé en justice pour ses empiètements sur les privilèges des bronziers. Le Régent vivait encore lorsque les premières poursuites s’exercèrent contre son ébéniste; elles aboutirent le 5 novembre 1723 à une sentence de police lui faisant défense d’uti liser des cuivres qui ne sortaient pas de l’atelier d’un fondeur.
    • 1743 - Douze ans plus tard, Cressent dut soutenir un procès contre les doreurs; puis, en 1743, cité de nouveau devant le tribunal du Châtelet, il fut condamné à l’amende avec l'ouvrier Jacques Confesseur qui consentait à couler ses bronzes.
    • 1743 - On lui doit un portrait de grandeur naturelle, en bronze patiné, du duc Louis d’Orléans, fils du Régent, personnage qui ne joua qu’un rôle effacé dans l’histoire, partageant sa vie entre les œuvres pies et les travaux d’érudition. Ce prince, à la mort de son père, avait fait de Cressent son ébéniste attitré et lui conserva son patronage jusqu’en 1743, date à laquelle il se retira du monde pour finir ses jours à l’abbaye de Sainte-Geneviève.
    • 1768 - Morre em Paris, no dia 10 de janeiro.

    OBRAS

    Relógio l'Amour vainqueur du Temps, 1745

    Bibliothèque, c. 1720

    Cômoda, c. 1745–49

    Cômoda, 1725-1730

    A respeito da utilização das imagens leia o tópico Direitos de Propriedade Intelectual na página Termos de Uso.

  • BLEROT, Ernest

  • BLEROT, Ernest

    Ernest Blerot

    8

    ATUAÇÕES

    ATUAÇÕES

    • Arquiteta(o)
    • Designer de Produto
    • Inventor(a)

    CRONOLOGIA

    • 1870 - Nasce em Bruxelas, na Bélgica.
    • 1884 - Criativo e inventivo desde muito jovem, desenvolve um sistema de tranca de pinos similar às fechaduras Yale. Mais tarde, obtém o diploma em Arquitetura na Escola Superior de Artes Saint Luc, em Bruxelas.
    • 1897 - Constrói sua primeira casa e inicia uma curta carreira na Arquitetura.
    • 1899 - Dentro de um período de dois anos, indo até 1901, Blerot consegue o feito extraordinário de projetar mais de 28 casas por toda Bruxelas. Padronizando os interiores, apenas a fachada dos edifícios era individual, reduzindo o tempo de construção e o custo.
    • 1901 - Inicia o projeto e construção de sua própria casa. A construção é tida como um dos mais marcantes edifícios de esquina em Bruxelas e é onde Blerot abre seu próprio estúdio.
    • 1910 - Casa-se e abandona sua prática profissional de arquitetura, tendo realizado em torno de sessenta projetos durante seu curto período de atividade.
    • 1919 - Após a Primeira Guerra Mundial, dedica-se a reconstrução do castelo de sua família totalmente destruído. O projeto dura cerca de 10 anos.
    • 1929 - Termina a reconstrução do castelo de sua família e praticamente se aposenta como arquiteto. Durante os anos seguintes, desenha inúmeros protótipos de carros motorizados, desenvolve um sistema de filtragem de água e projeta uma turbina eólica que nunca é posta em prática.
    • 1957 - Morre aos 86 anos em Bruxelas, na Bélgica.

    OBRAS

    Prédios na Rua St Boniface.

    Prédios na Rua Bellevue.

    Prédio na Avenida General de Gaulle.

    Castelo de Elzenwalle.

    A respeito da utilização das imagens leia o tópico Direitos de Propriedade Intelectual na página Termos de Uso.

    Introdução à História da Arte

  • CASSATT, Mary

  • CASSATT, Mary

    Mary Cassatt

    Mary Cassatt (1844 - 1926)

    8

    ATUAÇÕES

    ATUAÇÕES

    • Pintor(a)

    CRONOLOGIA

    • 1844 - Nasce em Pensilvânia, Estados Unidos.
    • 1855 - Tem seu primeiro contato com a arte de renomados pintores franceses como Ingres, Delacroix, Corot e Courbet na Exposição Universal de Paris.
    • 1859 - Apesar dos protestos de sua família, começa a estudar pintura na Academia de Belas Artes da Pensilvânia.
    • 1865 - Cansada da atitude paternalista de seus colegas e professores, e impaciente com o progresso lento de seus estudos, decide deixar a escola e estudar os antigos mestres por si só.
    • 1866 - Muda-se para Paris com sua mãe, mas como mulheres são proibidas de estudar na Escola de Belas Artes de Paris, Cassatt procura por aulas particulares com os mestres da academia. É aceita por Jean-Leon Gérome, um renomado artista hiperrealista e conhecido por sua pintura de temas exóticos.
    • 1868 - Tem sua primeira pintura, The Mandolin Player aceita no Salão de Paris. Cassatt é uma das duas únicas mulheres americanas aceitas na exposição aquele ano.
    • 1870 - Retorna aos Estados Unidos para viver com sua família, mas continua sem receber incentivo. Desiludida com a falta de interesse do público em adquirir sua arte, Cassatt chega perto de desistir de sua carreira artística.
    • 1872 - Tendo retornado para a Europa no final do ano anterior, tem mais um quadro aceito e vendido no Salão de Paris, chamando a atenção da comunidade artística de Parma, que a incentiva e encoraja a continuar.
    • 1877 - Tem, pela primeira vez em sete anos, todas as suas pinturas rejeitadas pelo Salão de Paris. É então convidada por Degas a mostrar seu trabalho junto dos Impressionistas em suas exposições indepentes. Mary aceita com entusiasmo.
    • 1891 - Atraída pela simplicidade e uso de blocos de cor da ilustração japonesa, exibe uma série de gravuras coloridas em água-tinta, dentre elas The Coiffure e The Bath, inspiradas nas obras de mestres Japoneses exibidas em Paris. Suas obras são consideradas sua contribuição mais original à história da arte.
    • 1893 - Pinta o mural Mulher Moderna, dividido em três partes, para a ala das mulheres na Feira Universal de Chicago. Bertha Palmer, mulher de negócios americana responsável pela encomenda, considerava Cassatt como a única capaz de realizar tal obra tão importante sobre o status das mulheres na era atual.
    • 1904 - Recebe a Legião de Honra da França por sua contribuição nas artes. Seu sucesso é reconhecido na Europa, porém em sua terra natal e entre sua família Cassatt não recebe o devido mérito.
    • 1914 - É forçada a parar de pintar devido ao estado avançado de sua catarata.
    • 1915 - Exibe dezoito de suas obras em apoio ao movimento Sufragista. Seu apoio ao movimento feminista causa conflitos entre Cassatt e sua família, o que a faz vender suas obras antes destinadas a seus herdeiros.
    • 1926 - Morre aos 82 anos próxima a Paris, França.

    OBRAS

    Under the Horse Chestnut Tree, 1897

    The Bath, 1891

    The Coiffure, 1891

    The Mandolin Player, 1872

    A respeito da utilização das imagens leia o tópico Direitos de Propriedade Intelectual na página Termos de Uso.

  • GALLÉ, Émile

  • GALLÉ, Émile

    Émile Gallé

    Emile Gallé (1846 - 1904)

    8

    ATUAÇÕES

    ATUAÇÕES

    • Botânico
    • Designer de Móveis
    • Designer de Vidros

    Évoquer l’oeuvre d’Émile Gallé, c’est considérer trois techniques différentes: la céramique, le bois et le verre. D’où le surnom d’ “homo triplex” attribuè à l’artiste par son ami le critique d’art Roger Marx. Mais dès son époque, et longtemps après sa disparition, c’est l’oeuvre de verre de Gallé qui a fait l’objet du plus grand nombre d’articles, d’études et de commentaires de la part des journalistes et des historiens de l’art. (...) Ernest Tisserand rédige sur l’oeuvre de verre de Gallé et de Lalique un article dont les propos sont louangeurs pour le Nancéien: “Il a mis le poème en verre et, pour arriver à ses fins, réalisé de telles inventions techniques, accompli de tels tours de force matériels...” De même peut-on être surpris par le commentaire de Le Corbusier sur l’artiste: “La vie de Gallé est belle, partagée entre l’étude directe de la nature at le caprice du feu de ses fours. Gallé laisse des objets qui sont de belles oeuvres, plastiques et sensibles... Gallé est un homme louable et son oeuvre est louable.” (…) sur l’oeuvre de Gallé permet de signaler que celle-ci, en particulier les pièces de verre, n’a jamais laissé indifférent, et qu’elle a conservé dans l’imaginaire collectif du XXe siècle une place de choix. Ce sont évidemment les techniques verrières mises au point, développées et améliorées par l’artiste qui sont la raison principale de ce long engouement et de cette admiration constant.

    THOMAS, Valérie [2004]
    Le verre dans l'oeuvre d'Émile Gallé. In: Émile Gallé et le verre, la collection du Musée de l'École de Nancy (catalogue)
    Somogy Éditions d'Art / Musée de l'École de Nancy, p. 22-23

    CRONOLOGIA

    • 1846 - Nasce em Nancy, na França.
    • 1862 - Estuda Botânica na Université de Nancy.
    • 1865 - Estuda Filosofia e Mineralogia em Weimar e no atelier FüR Architektur und Kunstgewerbe, até 1866.
    • 1866 - Torna-se aprendiz de vitraleiro na Burgun und Schverer, em Meisenthal, na Alemanha.
    • 1877 - Assume a diretoria da empresa de sua família.
    • 1878 - Expõe seus trabalhos pela primeira vez na Exposition Universelle de Paris, e é premiado com quatro medalhas de ouro.
    • 1884 - Expõe cerca de 300 peças em vidro, de grande diversidade artística, na Union Centrale des Arts Décoratifs, em Paris.
    • 1885 - Estuda arte oriental e técnicas de pintura com seu colega e artista botânico japonês, Hokkai [Tokuso] Takashima.
    • 1889 - É premiado novamente na Exposition Universelle por seus móveis e peças de vidro e cerâmica.
    • 1900 - É nomeado Comandante da Légion d'Honneur.
    • 1901 - Funda a École de Nancy, também conhecida como Alliance Provinciale des Industries d’Art.
    • 1904 - Morre em Nancy, aos 58 anos, vítima de leucemia.

    OBRAS

    Luminária Libélula, 1900
    © Museo Art Nouveau y Art Déco - Casa Lis

    Vaso Affection apresentado na Exposição Mundial de Paris, 1900
    © Tokyo Metropolitan Teien Art Museum

    Les Coprins, c. 1902
    © Musée de l'École de Nancy

    Cama Aube et Crépuscule, 1904
    © Musée de l'École de Nancy

    A respeito da utilização das imagens leia o tópico Direitos de Propriedade Intelectual na página Termos de Uso.