MIYAKE, Issey

  • COLONNA, Édouard

  • COLONNA, Édouard

    Édouard Colonna

    Édouard Colonna (1862 - 1948)

    8

    ATUAÇÕES

    ATUAÇÕES

    • Arquiteta(o)
    • Designer de Jóias
    • Designer de Móveis
    • Designer Têxtil

    "Como designer de móveis, Eugène Colonna [sic] situa-se entre (...) [Eugène Gaillard e Georges De Feure]. Menos dinâmico do que Gaillard, mostra-se tão elegante como De Feure no que este tem de melhor; mas sua decoração é mais calma e mais austera do que a de ambos. De Feure e Colonna também trabalharam com têxteis e com porcelana”.

    Madsen, Stephan Tchudi. [1956]
    The Art Nouveau Style.
    New York, Dover Publications

    CRONOLOGIA

    • 1862 - Nasce, em Colônia, Alemanha, o primeiro filho do segundo casamento de Karl Edouard Klonne. A criança mais tarde assumirá o pseudônimo de Edward (Édouard) Colonna.
    • 1877 - Vai para Bruxelas, onde termina seus estudos de arquitetura em 1881.
    • 1882 - Muda-se para Nova Iorque, onde trabalha na Tiffany's Associated Artists por pouco tempo.
    • 1884 - Começa a trabalhar para o escritório de arquitetura de Bruce Price, em Nova Iorque.
    • 1885 - Passa a trabalhar para um dos maiores clientes da Bruce Price
    • 1888 - Casa-se com Louise McLaughlin, com quem tem um filho. O casamento não dura muito tempo. Neste mesmo ano deixa a Barney & Smith.
    • 1889 - Muda-se para Montreal, Canadá, onde abre seu escritório. Um de seus maiores clientes
    • 1897 - Com o fim da expansão ferroviária, desliga-se da Canadian Pacific Railway.
    • 1898 - Muda-se para a Europa, estabelecendo-se em Paris onde começa a trabalhar como designer para a Maison de l’Art Nouveau, de Siegfried Bing.
    • 1898 - Tem início o ápice da carreira de Collona, que perdura até 1902. Collona desenha jóias, produtos têxteis, móveis e participa da Exposição Universal de Paris, de 1900.
    • 1903 - Com a decadência do da galeria de Bing, Collona não consegue manter-se no ramo.
    • 1905 - Declínio do Art Nouveau e a morte de Siegfried Bing: Colonna volta ao Canadá, fixando-se em Toronto.
    • 1923 - Aos 61 anos muda-se para Nice, no Sul da França. Sua saúde torna-se frágil.
    • 1928 - Com a total deterioração de sua saúde, fica paralisado e confinado à sua cama, onde passará seus últimos anos.
    • 1948 - Morre, aos 86 anos, em Nice.

    OBRAS

    Cadeira Art Nouveau para Siegfried Bing, 1899.

    Jarro, 1899.

    Bacia, 1895.

    Pingente, ca. 1900

    A respeito da utilização das imagens leia o tópico Direitos de Propriedade Intelectual na página Termos de Uso.

    KITAOKA, Akiyoshi

    Racionalismo

  • WHISTLER, James

  • WHISTLER, James

    James Abbott McNeill Whistler

    James A. McNeill Whistler (1834 - 1903).

    8

    ATUAÇÕES

    ATUAÇÕES

    • Pintor(a)

    A personalidade dramática de [James Abbott] Whistler [pintor Americano expatriado na Inglaterra] e sua crença na arte pela arte contribuíram para chamar a atenção do público para o Movimento Estético [Art Movement]. Como pintor, ele acreditava no prazer visual da arte e em sua habilidade de transmitir sensações muito mais do que em seus significados literais ou declarações morais. Isso fica evidente em pinturas tais como Rose and Silver: The Princess from the Land of Porcelain (1864) e Harmony in Blue and Gold: Old Battersea Bridge (c. 1872) que funcionam como antídotos para os contos medievais que Rossetti e outros Pré-Rafaelitas descreviam em suas pinturas. (...) [De fato,] seus ideais estéticos (...) funcionaram, por um lado, como um antídoto bem-vindo para o ecletismo Vitoriano tradicional; e, por outro, para o medievalismo de Morris & Co”.

    MARGOLIN, Victor. [2015]
    World History of Design. Vol. I
    London, Bloomsbury, pp. 238-239.

    CRONOLOGIA

    • 1834 - Nasce em Massachusetts, EUA.
    • 1842 - Muda-se, com sua família, para São Petersburgo, Russia, a pedido do Tsar Nicolau I. Seu pai trabalha na construção de uma ferrovia que ligará São Petersburgo a Moscou. Começa suas aulas particulares de desenho.
    • 1845 - Entra, aos onze anos de idade, na Academia Imperial de Belas Artes de São Petersburgo, onde conhece vários artistas mais velhos e tira notas exemplares em anatomia.
    • 1855 - Muda-se para Paris para seguir definitivamente sua carreira artística, e estuda arte tradicional por algum tempo na Ecole Impériale des Beaux-Arts e no ateliê de Marc-Charles-Gabriel Gleyre. Deste último, Whistler aprende dois princípios que levará para o resto de sua carreira: “o traço é mais importante do que a cor” e "o preto é a cor fundamental da harmonia tonal".
    • 1858 - Whistler viaja pela França e mais tarde produz uma série de gravuras chamada “Twelve Etchings From Nature” com a ajuda de Auguste Delâtre. Através de seu amigo Henri Fantin-Latour, entra para o círculo social de Gustave Courbet, que envolvia também nomes como Édouard Manet e Charles Baudelaire.
    • 1859 - Suas gravuras são aceitas no 91º Salão da Royal Academy de Londres e fazem muito sucesso, motivando o artista a se mudar para Londres.
    • 1861 - Whistler retorna a Paris, onde pinta seu primeiro quadro famoso, a Sinfonia em Branco, No. 1: A Garota de Branco. Embora fosse apenas um estudo de cor, a pintura recebeu as mais variadas críticas e interpretações. Rejeitado para exibição na conservadora Academia Real, a obra é exposta em uma galeria particular.
    • 1864 - Pinta a Rose and Silver: The Princess from the Land of Porcelain.
    • 1871 - Pinta sua mais famosa obra, Arrangement in Grey and Black No.1, um retrato de sua mãe que é comum e incorretamente chamado de Whistler’s Mother. Sua recepção foi controversa, indo desde reações muito positivas a sátiras e ridicularização.
    • 1872 - Pinta a Harmony in Blue and Gold: Old Battersea Bridge.
    • 1877 - Realiza sua obra-prima em decoração de interiores, com a Peacock Room, considerada uma das mais altas referências para o estilo Anglo-Japonês. No mesmo ano, processa John Ruskin por difamação ao ter sua pintura Nocturne In Black And Gold: The Falling Rocket duramente criticada pelo mesmo.
    • 1903 - Morre aos 69 anos em Londres, Inglaterra.

    OBRAS

    The Princess from the Land of Porcelain

    Arrangement In Grey And Black No.1, Portrait Of The Artist's Mother.

    Nocturne In Black And Gold: The Falling Rocket.

    At The Piano.

    A respeito da utilização das imagens leia o tópico Direitos de Propriedade Intelectual na página Termos de Uso.

    BOGUSLAVSKAYA, Ksenia

    KIDNER, Michael

    Op Art

    LOVEGROVE, Ross

  • DAUM, Irmãos

  • DAUM, Irmãos

    Irmãos Daum

    Auguste Daum (à esq., atrás) e Antonin Daum (à dir., atrás)

    8

    ATUAÇÕES

    ATUAÇÕES

    • Designer de Vidros
    • Empresária(o)

    Chez Daum la nature est appréhendée de façon plus pragmatique. Il s’agit avant tout d’un réservoir de formes et de décors comme un autre dans lequel il convient de puiser. Les plantes choisies, à de très rares exceptions, n’ont qu’une valeur décorative. La dimension symbolique, chère à Gallé, est absente de la plupart des objets produits. Mais surtout, à la différence de ce dernier qui cherche à faire œuvre, les frères Daum ne revendiquent rien d’autre qu’une production industrielle de qualité. Pour cela, ils essayent de concilier une volonté artistique et des exigences de rentabilité. (...) Si Emile Gallé marque durablement l’art du verre, et par ricochet les arts décoratifs, par cette vision résolument novatrice, la verrerie Daum démontre la validité des théories et répond parfaitement aux aspirations des acteurs artistiques, politiques et économiques à la recherche d’une industrie performante et rentable.

    BARDIN, Cristophe [2010]
    Gallé/Daum, deux approches différentes du végétal comme source d'inspiration (afaverre.fr)
    Bulletin de l'Association Française pour l'Archéologie du Verre, 2010, p. 147-150

    CRONOLOGIA

    • 1853 - Nasce Auguste Daum, em Bitche, na França.
    • 1864 - Nasce Antonin Daum, em Bitche, na França.
    • 1878 - Jean Daum, pai dos Irmãos Daum, compra a Verrerie de Sainte Catherine, fábrica de vidros, em Nancy.
    • 1885 - Com a morte do pai, Auguste abandona a carreira de Direito e assume o controle da empresa.
    • 1887 - Antonin se forma na École Centrale de Paris, e no mesmo ano começa a trabalhar na fábrica de vidros da família.
    • 1891 - Auguste confia a seu irmão Antonin o departamento de arte da empresa, oferecendo a ele todos os recursos para aprimorar o trabalho e seguir os passos de sucesso de Émile Gallé na confecção de vidros.
    • 1895 - Participam da Expostion de Bordeaux e da Exposition de Bruxelles, nas quais são premiados.
    • 1897 - É criada uma escola de desenho dentro da Maison Daum onde são formados os decoradores e entalhadores da empresa.
    • 1900 - São premiados com o Grand Prix, na Exposition Universelle de Paris.
    • 1901 - Antonin torna-se um dos vice-presidentes da École de Nancy.
    • 1904 - Auguste torna-se presidente do Tribunal do Comércio de Nancy.
    • 1906 - Os Irmãos Daum reavivam a técnica de pâte de verre; um antigo método egípcio de fundição de vidro, aplicando-a na fabricação de parte de suas peças.
    • 1909 - Morre Auguste Daum, em Nancy, na França.
    • 1918 - Antonin adapta a companhia aos novos modos de produção, conservando suas qualidades, técnicas e orientações estéticas.
    • 1930 - Morre Antonin Daum, em Nancy, na França.

    OBRAS

    Luminária Le Figuier de Barbarie, 1902
    © Musée de l'École de Nancy

    Luminária, c. 1900

    Vaso Tristan et Yseult, c. 1897
    © Musée des Beaux-Arts de Nancy

    Luminária Perce-neige, c. 1905

    A respeito da utilização das imagens leia o tópico Direitos de Propriedade Intelectual na página Termos de Uso.

  • STEPANOVA, Varvara

  • STEPANOVA, Varvara

    Varvara Fyodorovna Stepanova

    Varvara Stepanova (1894-1958)

    8

    ATUAÇÕES

    OBRAS

    Cartaz para a peça Através de Lentes Vermelhas e Brancas, 1924
    © Arquivo Rodchenko Stepanova, Moscou

    Trajes Esportivos, 1923
    © Biblioteca Nacional da Rússia

    Modelos e mobiliário de cena para a peça A Morte de Tarelkin, 1922
    © Arquivo Rodchenko Stepanova, Moscou

    Padronagem Têxtil, 1924

    A respeito da utilização das imagens leia o tópico Direitos de Propriedade Intelectual na página Termos de Uso.

    BERTOIA, Harry

    NASH, Paul

  • BOSSI, Giovanni Battista

  • BOSSI, Giovanni Battista

    Giovanni Battista Bossi

    Giovanni Battista Bossi (1864-1924).

    8

    ATUAÇÕES

    ATUAÇÕES

    • Arquiteta(o)
    • Designer

    Comparado à produção de Moretti, Sommaruga, bem mais monumental e impressionante, a de Bossi é na verdade muito mais significante, partindo de um ponto de vista tipológico, a partir de pesquisas que penetram além das parede: plantas das casas de GB Bossi são espertamente projetadas para haver economia de espaço, soluções de ventilação, iluminação, salas técnicas e escadas são tão engenhosas que colocam o nível do seu trabalho em um diferente dos demais contemporâneos."

    CRONOLOGIA

    • 1864 - Nasce em Novara.
    • 1888 - Casa-se com Ida Gadda, filha do empreiteiro Pietro Gadda- o qual Bossi realizou muitos projetos arquitetônicos-, casa Gadda, como: casa Gadda, casa Bossi, Edicola Gadda.Além disso, deixa a Academia e se matricula em uma Escola Especial de Arquitetura.
    • 1889 - Recebe uma medalha de bronze na terceira classe na Escola de Arquitetura Elementar e uma menção honrosa na Escola de Prospectiva.
    • 1894 - Torna-se professor de desenho arquitetônico.
    • 1900 - É eleito como sócio honorário da Accademia di Brera e também fez parte da Consulta Archeologica.
    • 1903 - Projeta a Edicola Biffi, construída pelo químico industrial Antonio Biffi.
    • 1904 - Trabalha até esse ano na via Fatebenefratelli 21 e logo em seguida mudou-se para a Piazza Oberdan 4, para acompanhar melhor o trabalho das Casa Alessio e Casa Bossi na região de Monforte.
    • 1905 - Faz parte da elaboração da Architettura Italiana e da Comissão de Exames da faculdade de Arquitetura do Politécnico de Milão, juntamente com Giuseppe Sommaruga, Moretti e Ulisse Stacchi. Ainda nesse mesmo ano, terminou a Casa Galimberti.
    • 1906 - Termina os trabalhos na Casa Guazzoni, com Alessandro Mazzucotelli. Também participa da Exposição Internacional de Milão, onde projetou o Pavilhão da Paz.
    • 1910 - É nomeado Cavalheiro pela Ordem da Coroa Italiana. Começa o projeto da Casa Fratelli Conti, em Milão, no Stile Quattrocento.
    • 1912 - Projeta a Casa Riotta, no Estilo Eclético com elementos do Liberty.
    • 1924 - Morre em Milão.

    OBRAS

    Casa Galimbert, fachada.

    Casa Galimberti.

    Casa Guazzoni, entrada de grade feita por Mazzucotelli.

    Casa Guazzoni, fachada.

    A respeito da utilização das imagens leia o tópico Direitos de Propriedade Intelectual na página Termos de Uso.

    NELSON, George

    EARL, Harley

    LE CORBUSIER

    TSCHUMI, Bernard

  • GAUTHIER, Camille

  • GAUTHIER, Camille

    Camille Gauthier

    Camille Gauthier (1870-1963)
    © Musée de l'École da Nancy

    8

    ATUAÇÕES

    ATUAÇÕES

    • Designer de Móveis
    • Designer Gráfico
    • Ebenista
    • Marceneira(o)

    Après un début de carrière orientée vers la création de pièces uniques, Camille Gauthier s'est tourné vers la production en série d'un mobilier pratique et usuel. Ses meubles d'un coût faible ont pu être acquis par une clientèle moins aisée, également moins formée au goût moderne. Il a permis ainsi au mouvement artistique nancéien et à son inspiration naturaliste d'être diffusés auprès d'un large public. Dans ces modes de production, Gauthier se rapproche de l'ébéniste belge Serrurier-Bovy dont il a peutêtre croisé le chemin lors des concours de mobilier à bon marché organisés à Paris.

    Dans ces choix, l'ébéniste nancéien n'est pas isolé mais rejoint les objectifs de plusieurs artistes qui, en France, cherchent à créer « un nouvel art domestique destiné aux classes moyennes et au monde ouvrier 19 ». Fondée en 1895 à Paris, la Société des Cinq devenue deux ans plus tard l'Art dans Tout préconisait l'adaptation des créations modestes aux besoins modernes et aspirations esthétiques de l'époque, facilitées par l'intervention de la machine dans la fabrication.

    Camille Gauthier reste sans conteste l'artiste de l'Ecole de Nancy dont les productions et les méthodes de diffusion ont été les plus proches du postulat du critique d'art Roger Marx : « Rien sans art » et « art pour tous ». Elles ne dérogent pas non plus à un des souhaits exprimés dans l'Avant-propos des Statuts de l'Ecole de Nancy publié en février 1901 selon lequel « L'enseignement de l'Ecole de Nancy a pour objet de conserver au produit moderne français, tant aux objets de simple utilité qu'à ceux du luxe, le sens de la logique dans la construction, dans l'emploi rationnel des matériaux, l'instinct pratique de la convenance et du confort, sous une parure d'élégance, de beauté et d'intellectualité ».

    CRONOLOGIA

    • 1870 - Nasce na comuna de Norroy-les-Pont-à-Mousson, filho de um agricultor.
    • 1888 - Ingressa, aos 18 anos, na École des Beaux-Arts de Nancy. Frequenta as aulas do então diretor da instituição, Jules Larcher, parte da divisão de Antique et Nature do curso. A formação acadêmica que recebe baseia-se em grande parte na cópia de obras-primas da escultura Clássica e Renascentista.
    • 1890 - Gradua-se na École des Beaux-Arts. No mesmo ano, Camille conquista o prêmio Georges Jacquot, distinção concedida a jovens designers que parecessem promissores à Indústria.
    • 1891 - Dá continuidade a seus estudos na École des Arts Décoratifs de Paris.
    • 1893 - Retorna a Nancy, onde é contratado por Louis Majorelle como designer e ocupa-se principalmente dos trabalhos em marchetaria. Pouco tempo depois, a firma de Majorelle participa da Exposition d'Art Décoratif Lorrain, 1894, ocasião que marca uma mudança de rumos: em paralelo à confecção de móveis historicistas, a Maison Majorelle decide produzir também mobiliário no estilo nouveau.
    • 1901 - Tendo deixado a Maison Majorelle, estabelece um ateliê próprio na rue d'Auxonne, 8.
    • 1904 - Une forças com Auguste Poinsignon. A firma, agora sob o nome de Gauthier-Poinsignon, contaria com máquinas importadas dos Estados Unidos e um enorme mostruário, iluminado inteiramente por eletricidade. No mesmo ano, Gauthier é chamado a ilustrar a capa dos impressos postais vendidos pelos Etablissements Bergeret, além de projetar os catálogos de móveis distribuídos pela própria firma.
    • 1908 - A injeção de capital advinda da nova parceria e o subsequente investimento em maquinário pelos sócios faz com que seja possível produzir móveis de qualidade a preços reduzidos. A firma prospera; no ano de 1908, contando com dois escritórios, dois ateliês e uma galeria de exposições própria, empregavam ainda quarenta e três pessoas, responsáveis por serviços técnicos e administrativos.
    • 1909 - A firma participa da Exposição Internacional da França Oriental, em Nancy. A Gauthier-Poinsignon participava ativamente das manifestações artísticas ligadas à École de Nancy, tendo exposto diversos móveis em exibições passadas.
    • 1924 - Por ocasião da morte de Auguste Poinsignon, Gauthier vende a sociedade para Charles Delfour. Delfour dá continuidade à produção de mobiliário e à distribuição de catálogos — importante suporte de vendas — mantendo o nome de Gauthier-Poinsignon.
    • 1963 - Morre Camille Gauthier, tendo devotado os últimos anos de sua vida à pintura. O objeto de interesse de seus quadros — a pré-História — teria sido incentivado pelo contato com o padre Henri Breuil, famoso estudioso do período.

    OBRAS

    Sellette tripode en étagère d'applique à trois plateaux, 1901

    A respeito da utilização das imagens leia o tópico Direitos de Propriedade Intelectual na página Termos de Uso.

    MAKOVECZ, Irme

  • KLINGER, Max

  • KLINGER, Max

    Max Klinger

    Max Klinger (1857 - 1920)

    8

    ATUAÇÕES

    ATUAÇÕES

    • Escultor(a)
    • Pintor(a)

    CRONOLOGIA

    • 1857 - Nasce em Leipzig, na Alemanha.
    • 1874 - Começa seus estudos na Escola de Arte Grand Ducal Baden em Karlsruhe, onde dura um ano antes de ir para a Academia Real de Arte em Berlim, sob a tutela de Karl Gussow, completando sua formação com a avaliação "excepcional".
    • 1878 - Pela primeira vez apresenta seu trabalho ao público, na 52º Exposição da Academia em Berlim.
    • 1879 - Torna-se pupilo de Emile Charles Wauters, em Bruxelas.
    • 1880 - Pinta a série Eve and the Future (Opus III).
    • 1881 - Abre um estúdio em Berlim, onde tão logo se torna membro da Associação de Artistas de Berlim. Imprime seu mais famoso trabalho, Praphrase on The Finding of a Glove, uma série de dez gravuras baseadas em imagens que lhe vieram em sonhos após encontrar uma luva perdida num rinque de patinação.
    • 1883 - Recebe sua primeira grande encomenda: decorar o pátio da vila de Julius Albers. No mesmo ano, adquire um estúdio em Paris, onde se dedica a estudar o trabalho de Goya e Daumier.
    • 1893 - Retorna para Leipzig e torna-se bem sucedido, virando membro da Academia de Munique. É apontado como professor da Academia Real de Artes Gráficas de Leipzig e, alguns anos depois, se torna um membro da recém-criada Secessão Vienense.
    • 1902 - Expõe sua estátua Beethoven, que se torna parte interal da Exposição da Secessão Vienense daquele ano.
    • 1920 - Morre, aos 63 anos, em Naumburg, na Alemanha.

    OBRAS

    Badendes Mädchen, sich im Wasse spiegelnd, 1912

    Phantasien über einen gefundenen Handschuh, der Dame, die ihn verlor, gewidmet (4/10: Rettung), 1878

    Die Blaue Stunde, 1890.

    Phantasien über einen gefundenen Handschuh, der Dame, die ihn verlor, gewidmet. (10/10: Amor), 1878.

    A respeito da utilização das imagens leia o tópico Direitos de Propriedade Intelectual na página Termos de Uso.

  • BURNE-JONES, Edward

  • BURNE-JONES, Edward

    Edward Coley Burne-Jones

    Edward Burne-Jones (1833 - 1898)

    8

    ATUAÇÕES

    ATUAÇÕES

    • Artista Plástico
    • Cenógrafa(o)
    • Ceramista
    • Designer de Vidros
    • Designer Gráfico
    • Vitralista

    Lembro-me de uma vez estar conversando com o Sr. Burne-Jones sobre a ciência moderna e tê-lo ouvido dizer: “Quanto mais materialista se torna a ciência, mais pintarei anjos. Suas asas são meu protesto em nome da imortalidade da alma”.

    WILDE, Oscar The English Renaissance of Art. Palestra no Chickering Hall.
    Nova Iorque, 9 de janeiro de 1882.

    CRONOLOGIA

    • 1833 - Nasce em Birmingham, Inglaterra.
    • 1848 - Entra na Escola de Artes de Birmingham onde estuda por quatro anos.
    • 1853 - Começa a cursar Teologia na Universidade de Exeter, Oxford onde conhece William Morris, com quem divide uma paixão pela Idade Média e pelos escritos de Thomas Carlyle e John Ruskin. Também é lá que conhece o trabalho dos Pré-Rafaelitas.
    • 1856 - Sob a influência de Dante Gabriel Rossetti, Burne Jones e William Morris deixam a faculdade e decidem tornar-se artistas. Mudam-se para o número 17 da Red Lion Square, em Londres, endereço anterior de Rossetti.
    • 1861 - Torna-se um dos fundadores da firma Morris, Marshall, Faulkner and Co., transformando-se no seu principal designer de vitrais. Lá, produziu mais de 500 peças.
    • 1864 - É eleito sócio da Old Water Colour Society em virtude da qualidade de suas aquarelas. Dentre elas, The Merciful Knight (1863).
    • 1870 - Pede afastamento da Old Water Colour Society após escândalo relacionado a sua obra Phyllis e Demophoön. Passa os próximos sete anos trabalhando isolado, em Fulham, no oeste de Londres.
    • 1877 - Tem oito de suas pinturas a óleo, incluindo The Mirror of Venus e The Beguiling of Merlin expostas na abertura da Galeria de Grosvenor. Seu trabalho é altamente aclamado.
    • 1881 - Recebe um diploma honorário da universidade de Oxford.
    • 1885 - Torna-se presidente da Birmingham Society of Artists, e membro da Royal Academy.
    • 1891 - Torna-se membro da Art Workers' Guild.
    • 1898 - Morre aos 64 anos em Londres, Inglaterra.

    OBRAS

    Saint Cecilia, 1900

    An Angel Playing a Flageolet, 1878

    The Three Graces, c. 1890

    Rubaiyat of Omar Khayyam, c. 1870

    A respeito da utilização das imagens leia o tópico Direitos de Propriedade Intelectual na página Termos de Uso.

    HAMILTON, Cuthbert

    Pós-Modernismo

    ROZANOVA, Olga

    HOFMAN, Vlastislav

    BELTRI, Victor

  • DALÍ, Salvador

  • DALÍ, Salvador

    Salvador Dalí (1904-1989)

    8

    ATUAÇÕES

    REFERÊNCIAS DO CURSO

    OBRAS

    Young Virgin Auto-Sodomized by the Horns of Her Own Chastity, 1954.

    Portrait of My First Cousin, 1923.

    Sonho Causado Pelo Voo de uma Abelha ao Redor de Uma Romã um Segundo Antes de Acordar, 1944.

    Crepuscular Old Man, 1918.

    A respeito da utilização das imagens leia o tópico Direitos de Propriedade Intelectual na página Termos de Uso.

    Steampunk

    NEWTON, Ernest

  • ROBERTS, William

  • ROBERTS, William

    William Patrick Roberts

    William Roberts (-)
    © Neil Libbert / National Portrait Library (detalhe)

    8

    ATUAÇÕES

    REFERÊNCIAS DO CURSO

    OBRAS

    Combate, c. 1915
    © The estate of John David Roberts

    São Jorge e o Dragão, 1915
    © The estate of John David Roberts

    Machine Gunners, 1915
    © The estate of John David Roberts

    Two-Step II (estudo), c.1915
    © The estate of John David Roberts

    A respeito da utilização das imagens leia o tópico Direitos de Propriedade Intelectual na página Termos de Uso.

  • Japonismo

  • Japonismo

    Édouard Colonna
    Jarro, 1899.

    "A palavra ‘Japonismo’ foi cunhada em 1872 pelo autor e colecionador francês, Philippe Burty, para “designar um novo campo de estudos relacionado à arte, à história e à etnografia inspirado pela arte japonesa”. Para os olhos saturados pelo Neoclassicismo e pelo renascimento Gótico, então em plena voga, a arte japonesa era muito mais do que uma mera novidade visual refrescante. Todavia, é enganoso usar a palavra ‘Japonismo’ como se tratasse apenas de um fenômeno francês".

    LAMBOURNE, Lionel. [2005]
    Japonisme. Cultural crossings between Japan and the West.
    London, Phaidon Press, 2011

    OBRAS

    Félix Bracquemond
    Service Rousseau, Creil Montereau, decorados por Félix Bracquemond, 1867.

    Georges de Feure
    Sofá, 1900.

    Henri de Toulouse-Lautrec
    Cartaz para Moulin Rouge, 1891.

    Samuel Bing
    La Maison Bing.

    A respeito da utilização das imagens leia o tópico Direitos de Propriedade Intelectual na página Termos de Uso.

  • ECKMANN, Otto

  • ECKMANN, Otto

    Otto Eckmann

    Otto Eckmann por Lovis Corinth, 1897. (1865 - 1902)

    8

    ATUAÇÕES

    ATUAÇÕES

    • Designer Gráfico
    • Pintor(a)
    • Tipógrafa(o)

    CRONOLOGIA

    • 1865 - Nasce em Hamburgo, Alemanha.
    • 1885 - Começa a estudar pintura na Akademie der Bildenden Künste München (Academia de Belas Artes de Munique), onde permanece até 1890.
    • 1894 - Eckmann abandona a pintura pra se dedicar às artes aplicadas e artes gráficas.
    • 1895 - Começa a trabalhar pra revista Pan, e no ano seguinte, pra revista Jugend.
    • 1897 - Ensina pintura ornamental no Kunstgewerbemuseum (Museu de Artes Decorativas), em Berlim.
    • 1899 - Projeta o logo da revista Die Woche.
    • 1900 - Trabalha com projetos gráficos para Allgemeine Elektrizitätsgesellschaft (AEG), até 1902. Durante esse período, projeta as fontes Eckmann (1900) e Fette Eckmann (1902).
    • 1902 - Morre aos 36 anos, vítima de tuberculose, em Badenweiler, Alemanha.

    OBRAS

    Waldteich, tapeçaria.

    Schwertlilien, gravura, 1895.

    Revista Jugend, no. 14, 1896.

    Papel de Parede, 1899.

    A respeito da utilização das imagens leia o tópico Direitos de Propriedade Intelectual na página Termos de Uso.

  • UDALTSOVA, Nadezhda

  • UDALTSOVA, Nadezhda

    Nadezhda Udaltsova (1886-1961)

    8

    ATUAÇÕES

    REFERÊNCIAS DO CURSO

    OBRAS

    Datilógrafa, c. 1910

    Modelo da Artista, 1914
    © Museu Russo

    Restaurante, 1915
    © Museu Russo

    Cubismo, 1914
    © Museo Nacional Thyssen-Bornemisza

    A respeito da utilização das imagens leia o tópico Direitos de Propriedade Intelectual na página Termos de Uso.

    Gruppo Strum

  • PRIKKER, Johan Thorn

  • PRIKKER, Johan Thorn

    Johan Thorn Prikker

    Johan Thorn Prikker (1868 - 1932)

    8

    ATUAÇÕES

    ATUAÇÕES

    • Designer de Móveis
    • Designer de Vidros
    • Litogravurista
    • Pintor(a)

    CRONOLOGIA

    • 1868 - Nasce em Haia, na Holanda.
    • 1881 - Começa seus estudos na Academia Real de Belas Artes de Haia, onde permanece durante seis anos, mas sai antes de completar seus estudos.
    • 1890 - Conhece o grupo artistico belga The XX, junto do qual passa a expor seus trabalhos.
    • 1893 - Participa de inúmeras exposições de pinturas e desenhos simbolistas.
    • 1898 - Recebe o cargo de Diretor de Arte da recém-inaugurada galeria de Arts & Crafts em Haia. É nessa época que Prikker começa a desenhar mobilia, inspirado nos trabalhos de Van de Velde.
    • 1900 - Se desentende com o fundador da academia, Chris Wegerif, e acaba se afastando do cargo.
    • 1903 - Se muda para Krefeld, na Alemanha, onde passa a dar aulas na Escola de Artes Industriais.
    • 1910 - Sai de Krefeld para Hagen, onde começa a receber inúmeras encomendas de murais, vitrais e mosaicos.
    • 1913 - Torna-se o diretor da turma de pintura na Escola de Arts & Crafts de Essen.
    • 1914 - Participa da primeira exposição de Werkbund em Cologne, na Alemanha, com seus vitrais para a igreja dos Três Reis em Neuss.
    • 1920 - Se muda para Munique, onde passa a ensinar a arte dos vitrais e dos monumentos.
    • 1926 - Passa a lecionar na escola de Arts & Crafts de Cologne, onde permanece até sua morte.
    • 1932 - Morre aos 63 anos em Cologne, na Alemanha.

    OBRAS

    Braut, ca. 1892.

    Poster Holländische Kunstausstellung, 1903.

    Madonna in Tulpenland, 1892.

    Vitral na Igreja B.M.V. em Essen, 1931

    A respeito da utilização das imagens leia o tópico Direitos de Propriedade Intelectual na página Termos de Uso.

  • TOULOUSE-LAUTREC, Henri de

  • TOULOUSE-LAUTREC, Henri de

    Henri de Toulouse-Lautrec

    Henri de Toulouse-Lautrec (1864 - 1901)

    8

    ATUAÇÕES

    ATUAÇÕES

    • Designer Gráfico
    • Ilustrador(a)
    • Pintor(a)

    "A sensibilidade exasperada pelas cores contrastantes é uma das qualidades de seu “macabro” gênio. Nada o repele; pinta beleza e feiúra com soberba indiferença; pinta o vício e o vil, exóticas, atrozes e obscenas criaturas com a absoluta insolência e o máximo cinismo de um Diabo ou de um Deus que criaram em mútuo antagonismo o cruel e adorável mundo no qual vivemos. (…) Parte da técnica de Lautrec consiste não somente no seu modo original de observar a realidade, mas na sua maneira de ver as coisas: não em porções, não em sombras, mas em massas (…) Lautrec tinha uma paixão por cores brutais, em contrastes violentos e muitas vezes excessivos."

    SYMONS, Arthur. [1930]
    From Toulouse-Lautrec to Rodin.
    New York, Kessinger Publishing.

    CRONOLOGIA

    • 1864 - Nasce em Albi, na França.
    • 1878 - Sofre duas quedas consecutivas, nas quais quebra os dois fêmures devido a uma doença manifestada anos antes, que afeta a formação dos ossos, fazendo com que Henri não ultrapasse a altura de 1,52m.
    • 1880 - Monta um estúdio particular em Paris e passa a frequentar teatros e cabarés de Montmartre.
    • 1882 - Estuda Pintura com o retratista Léon Bonnat e, posteriormente, com Fernand Cormon, cujo ateliê frequenta por cinco anos.
    • 1888 - Pinta La Blanchisseuse no jardim de Pere Foret, Paris.
    • 1889 - Expôe suas obras no Salon des Indépendants.
    • 1890 - Produz ilustrações para a revista humorística semanal Le Rire.
    • 1891 - É contratado por Charles Zidler para criar o cartaz do Moulin Rouge, que corresponde ao seu primeiro cartaz litográfico.
    • 1893 - Tem sua primeira mostra individual, na galeria Booussod & Valadon.
    • 1894 - Produz ilustrações para La Revue Blanche.
    • 1896 - É impresso seu trabalho Elles, série de litografias coloridas focada no universo feminino, que produz um panorama da vida nos bordéis.
    • 1899 - O excesso de álcool faz com que seja internado em uma clínica psiquiátrica após um colapso nervoso.
    • 1901 - Morre vítima de sífilis e alcoolismo, em Malmoré, na França.

    OBRAS

    Cartaz para o café Divan Japonais, 1893.

    Cartaz para Moulin Rouge, 1891.

    Rousse, 1896.

    Jane Avril, 1893.

    A respeito da utilização das imagens leia o tópico Direitos de Propriedade Intelectual na página Termos de Uso.

  • ANTIDESIGN

  • ANTIDESIGN

    Design Radical

    Cadeira Pratone.
    Pietro Derossi. (1966)

    ATUAÇÕES

    • Itália
    • Reino Unido

    O design antirracionalista, na Italia, estava inspirado na pop art, na arte povera, e no design de exposições. Baseava-se no argumento interessante (...) de que não existe algo que possa ser chamado de bom design; ou, melhor ainda, que bom é tudo aquilo desejado pela maioria do público. (...)
    A política e as motivações do design italiano eram claras: quando uma expressão como ‘antidesign’ entrava no vocabulário do design, nem sempre estava claro a quem ou ao que esta oposição se referia. [Em suas manifestações a respeito, Ettore] Sottsass era inteligente demais para manifestar sua posição. Mas aquilo contra o qual ele claramente se manifesta é o que considerava o dogma racionalista da escola de design da antiga Alemanha Ocidental; tendo, como exemplo, [o trabalho de] Dieter Rams”.

    “Ettore Sottsass” in: Diseñadores del Siglo XX. Barcelona. Ediciones CEAC, 1993, p. 212.

    CRONOLOGIA

    • 1961 - 1980

    OBRAS

    Porta Casacos Cactus.
    Guido Drocco & Franco Mello. (1972)

    Sofá Bocca.
    Studio 65. (1972)

    Puf Sacco.
    Piero Gatti, Cesare Paolini & Franco Teodoro. (1966)

    Lâmpada de mesa Boalum.
    Gianfranco Frattini & Livio Castiglioni. (1969)

    A respeito da utilização das imagens leia o tópico Direitos de Propriedade Intelectual na página Termos de Uso.

  • HENRY, George

  • HENRY, George

    George Henry

    George Henry (1858 - 1943)

    8

    ATUAÇÕES

    ATUAÇÕES

    • Pintor(a)

    CRONOLOGIA

    • 1858 - Nasce em Ayrshire, na Escócia.
    • 1880 - Estuda na Escola de Arte de Glasgow, onde demonstra talento para pinturas naturalistas e de cores vibrantes. Atende informalmente às aulas do pintor paisagista William York Macgregor, em seu estúdio da Rua Bath.
    • 1885 - Conhece o artista Edward Atkinson Hornel, de quem rapidamente se torna grande amigo. Henry logo o introduz aos Glasgow Boys, e ambos artistas passam a trabalhar mais próximos, treinando juntos e colaborando em obras.
    • 1889 - Pinta sua obra mais famosa e controversa, intitulada Uma Paisagem de Galloway, sendo vista por muitas como 'o trabalho mais próximo a uma obra-prima já pintado por uns dos Glasgow Boys, e por outros como apenas medíocre.
    • 1890 - Começa a trabalhar em obras colaborativas com Edward Hornel. Logo completam a ousada pintura Druidas Trazendo Visco, utilizando gesso esculpido e folhas de ouro na criação da decoração.
    • 1893 - Viaja para o Japão com Hornel, onde passam um ano e meio estudando a arte local. O aprendizado influencia sua arte.
    • 1899 - É convidado
    • 1900 - Abre um estúdio próprio em Londres, onde passa a se dedicar quase exclusivamente a fazer retratos. Atividade que, apesar de distante de seu estilo vibrante e naturalista, mostra-se mais rentável.
    • 1902 - É eleito membro da Academia Real da Escócia e, mais tarde, também apontado como sócio da Academia Real de Arte da Inglaterra.
    • 1943 - Morre aos 85 anos em Londres, na Inglaterra.

    OBRAS

    The Head of the Holy Loch, 1882

    Galloway Landscape, 1889

    The Druids Bringing In The Mistletoe, 1890

    Geisha Girl, 1894

    A respeito da utilização das imagens leia o tópico Direitos de Propriedade Intelectual na página Termos de Uso.

    VENTURI, Robert

  • PRÜTSCHER, Otto

  • PRÜTSCHER, Otto

    Otto Prütscher

    Otto Prütscher (1880 - 1949).

    8

    ATUAÇÕES

    ATUAÇÕES

    • Arquiteta(o)
    • Designer
    • Designer de Jóias
    • Designer de Móveis
    • Designer Gráfico

    CRONOLOGIA

    • 1880 - Nasce em Viena, Áustria.
    • 1895 - Ingressa na Fachhochschule für Holzindustrie (Timber Industry College).
    • 1897 - Entra para a Kunstgewerbeschule (Escola de Artes e Ofícios), em Viena, onde estuda com Franz von Matsch e Josef Hoffmann.
    • 1900 - Diversos de seus trabalhos são publicados no Das Interieur.
    • 1901 - Termina seus estudos na Kunstgewerbeschule; em seguida trabalha em colaboração com Erwin Puchinger, fazendo Design de Interiores.
    • 1903 - É chamado para trabalhar como assistente na Graphische Lehr- und Versuchsanstalt (Instituto de Arte Gráfica de Viena).
    • 1908 - Projeta uma sala de mármore para o Kunstschau, que é executada depois por artesãos da Wiener Werkstätte.
    • 1910 - Torna-se professor na Graphische Lehr- und Versuchsanstalt (Instituto de Arte Gráfica de Viena) e na Kunstgewerbeschule (Escola de Artes e Ofícios).
    • 1911 - Casa-se com Helene Süßmandl.
    • 1922 - Torna-se membro da Künstlerhaus de Viena.
    • 1931 - Projeta a casa de Dr. Otto Wertheim, em Mariazell, Viena.
    • 1934 - Realiza a construção da loja Piccini, no mercado mais popular de Viena, o Naschmarkt.
    • 1946 - Aposenta-se e para de dar aulas.
    • 1947 - Ganha o Prêmio do Estado Austríaco de Arquitetura.
    • 1949 - Morre aos 68 anos, em Viena.

    OBRAS

    Estampa "Vineta" para Backhausen, 1905.

    Serviço de chá Sterling com detalhes de marfim e vime, c. 1920.

    Papel de parede para o Boulevard Theatre, em Annahof, 1910.

    Stand de plantas, 1903.

    A respeito da utilização das imagens leia o tópico Direitos de Propriedade Intelectual na página Termos de Uso.

  • LUMIÈRE, (irmãos)

  • LUMIÈRE, (irmãos)

    Auguste e Louis Lumière

    Os Irmãos Lumière: Auguste (1862-1954) e Louis (1864-1948).

    8

    ATUAÇÕES

    ATUAÇÕES

    • Cineasta
    • Inventor(a)

    CRONOLOGIA

    • 1862 - Nasce Auguste Marie Louis Nicolas Lumière, em Besançon, na França.
    • 1864 - Nasce Louis Jean Lumière, em Besançon, na França.
    • 1880 - Ingressam em La Martinière, uma das maiores escolas técnicas de Lyon. Nessa mesma época começam ambos a trabalhar na empresa do pai
    • 1881 - Louis começa a experimentar com os equipamentos do processo fotográfico. Descobre, então, um novo processo de placa seca que ficou conhecido como Etiquette Bleue. Trata-se de um avanço para o desenvolvimento da fotografia e para o sucesso comercial da empresa da família.
    • 1894 - Após entrarem em contato com o Cinetoscópio, de Thomas Edison, os Irmãos Lumière se empenham em aprimorar um aparelho que permitisse a projeção de imagens animadas para várias pessoas ao mesmo tempo. Constroem, assim, o Cinematógrafo, aparelho relativamente leve que podia funcionar como câmera ou projetor, acionado por uma manivela.
    • 1895 - Realizam a primeira demonstração ao público, paga, de seu cinematógrafo, no Grand Café, em Paris. Na ocasião exibem cerca de 10 filmes realizados no mesmo ano, dentre eles: La sortie des usines Lumière, Arrivée du train en gare de La Ciotat e L’arroseur arrosé, considerado uma das primeiras ficções do cinema.
    • 1896 - Abrem salas de projeção do Cinematógrafo em Londres, Bruxelas e Nova York.
    • 1899 - Louis desenvolve o Photorama Lumière; um método de fotografia panorâmica, que permitia a reprodução completa do horizonte (360º) em uma única foto e, posteriormente, a projeção dessa foto numa tela em formato cilíndrico.
    • 1900 - Participam da Exposition Universelle de Paris, onde projetam seus filmes numa tela gigante de aproximadamente 30 x 24 metros.
    • 1903 - Os Irmãos Lumière começam a pesquisar e desenvolver um processo de fotografia em cores, que fica conhecido como Autochrome Lumière. Nessa época eles começam a se distanciar do negócio cinematográfico.
    • 1907 - Começa a ser comercializado o autocromo, que se tornou o principal processo para a obtenção de fotografias coloridas durante o início do século XX até meados da década de 1930. Nessa mesma época, Auguste começa a se afastar dos negócios para se dedicar à pesquisa no ramo da medicina.
    • 1920 - Após algum tempo dedicando-se ao estudo da imagem em 3D, Louis apresenta o seu photostéréosynthèse, um método estereoscópico de fotografia, na Académie des Sciences.
    • 1935 - Louis supera uma de suas invenções fotográficas anteriores e, explorando a técnica dos anáglifos, desenvolve uma aplicação estereoscópica para a realização de filmes.
    • 1948 - Morre Louis Lumière, aos 83 anos, em Bandol, na França.
    • 1954 - Morre Auguste Lumière, aos 91 anos, em Lyon, na França.

    OBRAS

    Frame do filme La sortie des usines Lumière, 1895.

    Frame do filme Arrivée du train en gare de La Ciotat, 1895.

    Frame do filme Le Repas de Bébé, 1895.

    Cartaz publicitário da exibição do Cinematógrafo em Paris, por Henri Brispot, 1895.

    A respeito da utilização das imagens leia o tópico Direitos de Propriedade Intelectual na página Termos de Uso.

  • DASSON, Henry

  • DASSON, Henry

    Henry Dasson

    Henry Dasson (1825 - 1896)

    8

    ATUAÇÕES

    ATUAÇÕES

    • Ebanista
    • Escultor(a)
    • Marceneira(o)
    • Mestre de Fundição (Bronze)

    Se falássemos de um mestre de fundição de bronzes a certos amadores acostumados a confundir arte com arqueologia, eles não nos pediriam para ver suas obras; perguntariam a data de seu nascimento e o ano de sua morte. Se, por acaso, o referido fundidor tivesse nascido — como [Charles] Crozatier —, no início deste século, sorririam amarelo encolhendo desdenhosamente os ombros. E pior: se o dito fundidor tivesse o azar de viver neste exato momento (em que dele se fala), como é o caso de Henry Dasson, nem mesmo seu nome estariam interessados em saber.
    Não somos vítimas desse tipo de preconceito. É provável que Benvenuto Cellini tivesse contemporâneos que o tivessem desprezado (em nome da arqueologia) e que muitos acreditem que o próprio Crozatier já é coisa do passado. Mas sobre Henry Dasson: após examinar sua obra com atenção, estamos convencidos de que, muito em breve, [...] seus trabalhos serão tão admirados que muitos esquecerão de associá-los a seu nome. Isso talvez provoque nele [não sabemos como o sr. Dasson reage a elogios] (...) um tipo de vaidade anônima... A mais refinada de todas as vaidades... Aquela vaidade dos que, escondidos na multidão, são capazes de delicadamente recolher os mais deliciosos elogios daqueles que ignoram que o criador daquilo que admiram está presente.

    L. BRUNÉO. [1883]
    Le Panthéon de l'Industrie.
    Paris, 9e année, nº 438.

    CRONOLOGIA

    • 1825 - Nasce em Paris, filho de um sapateiro.
    • 1840 - É matriculado na École Turgot, recém inaugurada em 1839. Lá, torna-se aluno do escultor Justin-Marie Lequien.
    • 1854 - Casa-se com a colorista Pauline Dussob. Por volta dessa época, começa a exercer a relojoaria como ofício, sob a orientação do mestre relojoeiro mecânico Jean-François Arnoux.
    • 1867 - Assume o negócio de Carl Drechsler — ebanista pouco conhecido, que por sua vez assumira o atelier do mestre de fundição Charles Crozatier —, e começa a ter sua reputação reconhecida. Durante um breve período associa-se a Émile Godeau, produzindo artefatos de bronze e relógios.
    • 1871 - Adquire os negócios do mestre marceneiro Charles-Guillaume Winckelsen, depois de este ter falecido no ano anterior. Ao dar continuidade à tradição de Winckelsen, envolve-se na produção de mobiliário de alta qualidade. Em meio à crescente popularidade que os estilos historicistas haviam adquirido a partir da metade do século XIX, obtém grande sucesso com suas réplicas.
    • 1878 - Participa, com criações nos estilos Louis XV e XVI, da Exposição Universal de Paris. Entre elas, estaria sua celebrada cópia do Bureau du Roi. No mesmo ano, em 24 de junho, o jornal La Liberté publica uma nota descrevendo seu atelier na rua Vieille-du-Temple, 106: "As oficinas estão no fundo do jardim o qual o sr. Dasson se diverte povoando com estátuas. [Lá] trabalham 60 artesãos e ainda uns 40 são indiretamente empregados. Não é preciso dizer que todos são artistas extremamente talentosos".
    • 1883 - Participa da Exibição Internacional de Amsterdã. No mesmo ano, recebe a condecoração de cavaleiro da Légion d'Honneur, prêmio em reconhecimento pela qualidade de sua obra.
    • 1889 - É laureado com o Grand Prix Artistique da Exposição Universal de Paris.
    • 1894 - Encerra suas atividades e fecha a firma H. Dasson & Cie, realizando no local um grande leilão.
    • 1896 - Morre em Paris, aos 71 anos de idade. É enterrado no cemitério Père Lachaise, sob um busto de bronze assinado J. Dallier.

    OBRAS

    Criança brincando com ganso, 1876

    Relógio com putto de pé

    A respeito da utilização das imagens leia o tópico Direitos de Propriedade Intelectual na página Termos de Uso.

  • ELMSLIE, George Grant

  • GIMSON, Ernest

  • GIMSON, Ernest

    Ernest Gimson

    Ernest Gimson (1864 - 1919)

    8

    ATUAÇÕES

    ATUAÇÕES

    • Arquiteta(o)
    • Designer de Móveis

    Gimson desenvolveu sua aptidão para incrustar madeira em móveis na época em que trabalhava na Kenton and Company [empreendimento do qual era sócio]. Ao sair de lá, continuou a incrustar madeira e madrepérola nas peças - elegantes e parcimoniosas - que projetava. Além de seus vistosos gabinetes, Gimson (...) também projetou móveis em um estilo mais simples e rústico, exemplificado em diversos aparadores, mesas para sala de jantar e cadeiras com encosto de escada. Esse estilo, livre das referências medievais de Morris e dos padrões intricados das peças de Mackmurdo, influenciou tremendamente a estética ‘fitness for purpose’ [de adequação à finalidade] que dominou o design britânico até o final da Segunda Guerra Mundial. (...) Como consequência de [não] se motivar a adaptar seus projetos à produção industrial, (...) atendia apenas uma clientela limitada. Ao invés de produzir seu mobiliário pessoalmente, Gimson supervisionava uma equipe de artífices (...)”.

    MARGOLIN, Victor. [2015]
    World History of Design. Vol. I
    London, Bloomsbury, p. 243.

    CRONOLOGIA

    • 1864 - Nasce em Leicester, na Inglaterra.
    • 1881 - Torna-se aprendiz do arquiteto Isaac Barradale de Leicester, e fica sob sua tutela em seu escritório durante quatro anos.
    • 1883 - Assiste uma palestra sobre “Arte e Socialismo” ministrada pelo influente artista e designer do movimento Arts & Crafts, William Morris. Encantado e inspirado, Gimson chama Morris para conversar e acabam por tornar-se amigos.
    • 1885 - Com experiência profissional na área de arquitetura e bons resultados na Escola de Arte de Leicester, se muda para Londres. Sem perder o contato com Morris, Gimson entra para o estúdio de arquitetura de J. D. Sedding, onde se apaixona pelo Arts & Crafts.
    • 1889 - Entra para a Sociedade de Proteção a Construções Antigas de William Morris.
    • 1890 - Funda, junto de Sidney Barnsley, William Lethaby e outros designers a companhia de mobílias Kenton & Co., seguindo os ensinamentos de Philip Webb sobre a criação de objetos.
    • 1893 - Se muda para Gloucestershire com os irmãos Barnsley onde abrem uma oficina. Mais tarde, passam a contratar outros artesãos habilidosos para a firma, dentre eles, Peter van der Waals.
    • 1900 - Abre uma pequena oficina de móveis em Cirencester, mais tarde se mudando para lojas maiores. Tem como objetivo incentivar a comunidade o do vilarejo para transformá-lo em uma vila de artesãos.
    • 1908 - Cria uma competição em busca do melhor projeto para a construção da cidade de Camberra, capital da Austrália. Uma dupla de arquitetos americanos vence com a melhor planta.
    • 1916 - Rejeita um convite para fazer parte da Associação de Design Industrial, por sua forte resistência ao trabalho com máquinas.
    • 1918 - Realiza seu último grande projeto, a Biblioteca Memorial na Escola de Bedales, em Hampshire.
    • 1919 - Morre aos 55 anos em Sapperton, na Inglaterra.

    OBRAS

    Armário em Madeira, 1891.

    Casa Arts & Crafts em Leicestershire, 1899.

    Gaveteiro de Madeira, ca. 1907.

    Gaveteiro de Madeira, ca. 1902.

    A respeito da utilização das imagens leia o tópico Direitos de Propriedade Intelectual na página Termos de Uso.

  • CRANE, Walter

  • CRANE, Walter

    Walter Crane

    Walter Crane (1845 - 1915)

    8

    ATUAÇÕES

    ATUAÇÕES

    • Autor(a)
    • Designer Gráfico
    • Designer Têxtil
    • Ilustrador(a)
    • Poeta

    Todos enfatizavam a dignidade do trabalho e havia também aqueles que, como Crane e Ashbee, invocavam o socialismo para elevar o trabalho à categoria de um predicado sobre o qual não apenas uma arte sadia e bela estava baseada mas também na qual se assentava uma sociedade mais saudável e plena”.


    ADAMS, Steven.[1987]
    The Arts & Crafts Movement.
    London, Grange Books

    CRONOLOGIA

    • 1845 - Nasce em Liverpool, Inglaterra.
    • 1859 - Torna-se aprendiz do entalhador William James Linton, por meio de quem travou contato direto com trabalhos de Pré-Rafaelitas como Rossetti, Millais e outros.
    • 1864 - Começa a ilustrar para o também entalhador e artista gráfico Edmund Evans. Trabalha inicialmente em um livro de cantigas de roda e de embalar (nursery rhymes).
    • 1874 - Em uma série de ilustrações
    • 1877 - Planeja, com Edmund Evans, a execução do livro de canções de ninar: The Baby’s Opera.
    • 1882 - Elabora The Goose Girl, ilustração do livro Household Stories from Grimm, que, mais tarde, foi reproduzida em tapeçaria por Morris.
    • 1882 - É eleito membro do Institute of Painters in Water Colours.
    • 1888 - Funda a Arts And Crafts Exhibition Society.
    • 1890 - Torna-se Vice Presidente da Healthy and Artistic Dress Union que promovia roupas largas, ao invés de rígidas, apertadas e pesadas.
    • 1893 - Exibe Neptune’s Horses
    • 1894 - Colabora com Morris na decoração das páginas de The Story of the Glittering Plain.
    • 1894 - Torna-se Diretor de Design na Manchester Municipal School.
    • 1895 - Mostra seus trabalhos mais recentes em exposição na galeria/loja L’Art Nouveau, de Siegfried Bing, em Paris.
    • 1898 - Publica suas aulas de Manchester no livro The Bases of Design.
    • 1915 - Morre aos 69 anos, em Sussex, Inglaterra

    OBRAS

    Ilustração de capa para livro infantil, 1874.

    Neptune's Horses, 1892.

    Illustração para a Fábula "Red Riding Hood", 1875.

    Cartoon político.

    A respeito da utilização das imagens leia o tópico Direitos de Propriedade Intelectual na página Termos de Uso.

  • STEINLEN, Théophile Alexandre

  • STEINLEN, Théophile Alexandre

    Théophile Alexandre Steinlen

    Théophile Alexandre Steinlen (1859 - 1923)

    8

    ATUAÇÕES

    ATUAÇÕES

    • Cartazista
    • Designer Gráfico
    • Litogravurista
    • Pintor(a)

    CRONOLOGIA

    • 1859 - Nasce em Lausana, Suíça.
    • 1897 - Torna-se o principal ilustrador de La Feuille, de Zo Axa.
    • 1901 - Faz a capa da primeira edição do jornal humorista L'Assiette au Beurre.
    • 1904 - Entra para a Sociedade de Desenhistas e Humoristas.
    • 1911 - Funda Les Humoristes com Jean-Louis Forain e Charles Leander.
    • 1923 - Morre em Paris, França.

    OBRAS

    Le Coupable de François Coppée, 1896.

    Cartaz Tournée du Chat Noir, 1896.

    Save Serbia, 1916.

    Les femmes d'amis, ilustração para Georges Courteline, 1888.

    A respeito da utilização das imagens leia o tópico Direitos de Propriedade Intelectual na página Termos de Uso.

  • DUC, Joseph-Louis

  • DUC, Joseph-Louis

    Joseph-Louis Duc

    Joseph-Louis Duc (1802 - 1879)

    8

    ATUAÇÕES

    ATUAÇÕES

    • Arquiteta(o)

    A verdade é que esse grande mestre que acabamos de perder tinha um apreço e respeito profundos pela ordem. Para ele, a palavra “ordem” resumia todos os termos desta linguagem admirável da forma que é a arquitetura.
    “O que seria de nossos monumentos sem a ordem?” — dizia — “E não é dessa ordem — cujas proporções são estabelecidas pela medida do homem —, que herdamos a unidade e a escala dos edifícios?” “Suprimida a ordem, é imediato o estabelecimento de uma confusão. As proporções mais estranhas — às vezes encurtadas, às vezes esmagadas, às vezes com uma altura sem limites —, acabariam por formar um conjunto incoerente que poderia, até mesmo por um instante, ofuscar ou assombrar os olhos; mas jamais encantá-los”.

    Assim pensava o senhor Duc: sem a imposição de uma ordem não se poderia fazer mais do que construções. Nunca se chegaria à arquitetura. (...) O senhor Duc acrescentava que “A ficção deveria ser o elemento mais importante da arquitetura. É ela que traduz a sua essência. O templo grego não era uma lenda de pedra? Todas as partes que o compunham eram, de fato, objetos naturais metamorfoseados (não imitados) em pedra. Ao serem traduzidos (mais que imitados) poderiam se transformar ou em ficções ou em embustes. E desta operação misteriosa de criação, que se constrói entre a natureza e o coração do homem, que a arte nasceu. É deste amálgama da natureza com a matéria, obra quase divina, que se apoiam todos os dogmas da arquitetura. O resto não é mais do que terra; o resto, não passa de construções".

    SÉDILLE, Paul. [1879]
    Joseph-Louis Duc, architecte (1802-1879) : notice lue dans la séance d'ouverture du Congrès des architectes à l'Ecole des Beaux-Arts.
    16 de Junho de 1879.

    CRONOLOGIA

    • 1802 - Nasce dia 15 de Outubro em Paris, na França. Seu pai vinha de uma tradição renascentista de artesãos de épôes (espadas) e desde cedo estimularia o filho a copiar ou imitar modelos selecionados, como incentivo à formação artística do jovem Joseph-Louis Duc.
    • 1825 - Após ter estudado na Ecole des Beaux-Arts sob a tutela de Charles Percier, vence o grand Prix de Rome com seu projeto para a Prefeitura de Paris. Usa a bolsa de estudos do prix para estudar principalmente as obras romanas, como o Teatro Marcellus, em Roma, o de Taormina, na Sicília, e o Coliseu.
    • 1830 - Fim de sua estadia na Villa Médici, onde fizera amizade com Henri Labrouste, Léon Vaudoyer e Félix Duban. De volta à França, apresenta em 26 desenhos o projeto de restauração do Coliseu. Exibidos na Exposição Universal de Paris de 1855, rendem-lhe a admiração da nova geração de arquitetos.
    • 1834 - É escolhido para ocupar o cargo de inspetor nos trabalhos da Colonne de Juillet [Coluna de Julho], monumento em memória da revolução de julho de 1830. Jean-Antoine Alavoine é nomeado arquiteto responsável.
    • 1840 - No dia 28 de Julho inaugura-se a Colonne de Juillet, tendo Duc assumido o projeto após a morte de Alavoine. É recompensado, durante a cerimônia de inauguração, com a cruz de chevalier de la Légion d'Honneur. No mesmo ano, recebe a nomeação, junto com Etienne-Théodore Dommey, de arquiteto do Palais de Justice.
    • 1847 - Desenvolve o projeto para reconstrução do Palais de Justice, primeiro trabalho que lhe permite uma maior liberdade criativa.
    • 1862 - É nomeado officier de la Légion d'Honneur e substitui Louis Lenormand como arquiteto da Cour de Cassation (Tribunal de Cassação). No mesmo ano, constrói a capela principal da faculdade Louis-le-Grand, atual escola Michelet, em Vanves. Quatro anos mais tarde, em 1866, é eleito para a Académie des Beaux-Arts.
    • 1871 - Um grande incêndio atinge o Palácio de Justiça e o Tribunal de Cassação, destruindo parte do trabalho de Duc. O arquiteto dedica-se a reparar os danos, restaurando e aperfeiçoando as estruturas danificadas. No ano seguinte, é nomeado comandante da Légion d'Honneur.
    • 1875 - O conselho do Instituto Real de Arquitetos Britânicos condecora Louis-Joseph Duc com "[uma medalha de] distinção que a Rainha concede anualmente àquele que mais contribuiu, por meio das artes ou da literatura, para o avanço geral da arquitetura". Lord Bacon desmancha-se em elogios à obra do arquiteto.
    • 1877 - Começa a construir o castelo Boulard, em estilo neo-renascentista, em Biarritz.
    • 1879 - Morre no dia 22 de Janeiro, aos 76 anos, em Paris. Embora não tivesse tocado um ateliê ou tido alunos diretos, deixa uma série de discípulos e admiradores de seu trabalho.

    OBRAS

    Desenho do Palais de Justice, Paris.

    Capela do Lycée Michelet, Vanves.

    Coluna de Julho, Paris.
    © Foto por Jean-Louis Zimmermann, 2010

    Palais de Justice, Paris.

    A respeito da utilização das imagens leia o tópico Direitos de Propriedade Intelectual na página Termos de Uso.